Fim de feira

458

O fim de feira do petismo chega a ser comovente. Execrado em todos os lugares, o PT tenta encontrar as formas de sobreviver. Com o PT dilacerado, os petistas querem transformar a APP – Sindicato em nova frente de oposição ao governo Beto Richa. Hoje, a sociedade brasileira abomina todas as formas dos seguidores de Lula e Dilma e a saída petista foi terceirizar a gritaria. Olhadelas nos currículos dos principais dirigentes da APP revelam que eles estão mais preocupados com a política do que com a classe.

A Professora Merlei, das mais fanáticas da seita, foi candidata a deputada federal pelo PT na eleição de 2014. Hermes Leão esteve na Polícia Federal de Curitiba para protestar contra a prisão coercitiva do ex-presidente Lula, no ano passado. Hoje o sindicato dos professores tem orientação política partidária, o que é uma pena. Deveria estar lutando contra a contratação de professores temporários e pedindo concursos públicos. Mas o que se vê hoje é a bandeira partidária da estrela solitária falando mais alto.

Na sala de aula

O chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e a secretária de Educação, professora Ana Seres, receberam a direção da APP-Sindicato. O encontro, no Palácio Iguaçu, é mais uma rodada de negociações sobre a resolução 113 editada pelo Governo do Estado na última semana e que prevê uma maior presença dos professores em sala de aula.

Lenda urbana

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, disse que “é lenda urbana” a versão de que teria pedido à presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, para assumir a relatoria da Lava Jato. “Não sei de onde vocês tiraram isso”, rebateu Gilmar, ao ser indagado em São Paulo, na quinta-feira, 26, se foi à Cármen para se oferecer à relatoria do mais intrincado e explosivo processo de combate à corrupção no País. Ele participou de um evento do Instituto de Direito Público (IDP).

Maracutaia

A transferência de dinheiro entre Eike Batista e Sérgio Cabral precisou envolver compra de ações da Vale, da Ambev e da Petrobras. Isso demonstra que nem mesmo a dificuldade para abrir uma conta serviu para frear o esquema de corrupção entre a dupla. Diante do impedimento para consolidar o negócio por meio de uma transferência direta do empresário para uma conta no Panamá, a transação precisou envolver a compra das ações para se concretizar, segundo informações do Ministério Público Federal (MPF).

Quem paga?

Enquanto a Polícia Federal procurava Eike Batista por mais um esquema criminoso do ex-governador Sérgio Cabral, o atual governador Luiz Fernando Pezão assinava em Brasília os termos do socorro federal para o falido Rio, onde funcionários estão sem salários e cidadãos e empresas serão chamados a contribuir com mais impostos. Cabral rouba, o Tesouro cobre e, no fim das contas, pessoas físicas e jurídicas pagam a conta.

Oceano

A força-tarefa da operação “Eficiência” definiu o patrimônio ilícito de Cabral como um “oceano”, mas o Estado virou um mar de lama, os fluminenses vivem num mar de lágrimas e, se há alguma ironia nessa história, é que justamente o vice de Cabral, depois seu sucessor, é quem bate de porta em porta em Brasília para segurar a onda em que o Rio se afoga.

A perigo

O retorno do empresário Eike Batista ao Brasil é praticamente certo, na avaliação de juristas. Para a professora de Direito Internacional e advogada Maristela Basso, a fuga ou viagem de negócio de Eike, às vésperas da Operação Eficiência, foi ‘uma ingenuidade legal’. “Todos os acordos internacionais anticorrupção trazem hoje os compromissos dos países de devolverem os investigados e condenados em atos de achaque aos cofres públicos”, afirma. “Porque já entram na categoria de crimes contra os direitos humanos e contra humanidade”, disse Maristela Basso, sócia do Nelson Wilians e Advogados Associados.

Todo mundo dentro

A Lava Jato em peso torce para que Cármen Lúcia homologue a delação da Odebrecht, ao menos o que já estiver pronto para sair do forno, em 1º de fevereiro, quando o Judiciário volta a dar expediente. Nos bastidores, teme-se que a operação “caia em mãos erradas” no STF. A ministra ainda não disse como escolherá o novo relator. Investigadores, porém, têm calafrios de pensar no sorteio de um nome apenas entre juízes da segunda turma — preferem que toda a corte seja opção.

Lava Jato duplicada

O procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF), disse nesta quinta-feira (26) que a delação de ex-executivos da Odebrecht dobrará o número de pessoas sob investigação.

“A perspectiva é que a operação dobre de tamanho. A colaboração da Odebrecht e de vários de seus funcionários são fatos trazidos que podem continuar em boa parte em Curitiba, mas muito provavelmente vão ser espalhados pelo Brasil criando uma espécie de filhos da operação”, disse, em entrevista.

Deltan Dallagnol, que dirige a equipe que revelou o esquema de corrupção e desvio de dinheiro na Petrobras, declarou que os investigadores ficaram espantados com a sofisticação do esquema montado pela Odebrecht no chamado Setor de Operações Estruturadas, o ‘setor de propina’.

Prisão comum

Quando se entregar, o ex-bilionário Eike Batista deverá ficar em cela comum porque não possui curso superior.

Dez contas

A fase Eficiência da Operação Lava Jato conseguiu verificar que o ex-governador Sérgio Cabral tinha dez contas, em cinco lugares diferentes – Uruguai, Luxemburgo, Suíça, Bahamas e Andorra.

Sem data

O ministro Herman Benjamin, relator do processo contra a chapa Dilma-Temer no TSE, mandou avisar que existe muita coisa ainda para ser finalizada antes da conclusão do processo que ainda possui duas fases: a de Ação de Investigação e Ação de Impugnação de Mandato Eletivo. Uma representação também fará parte do processo e só depois terá de fato o devido julgamento. A fase de produção de provas e o julgamento ainda não tem data marcada.

Separado

A chapa Dilma-Temer está sendo acusada de várias irregularidades, entre tantas, a de desobediência no limite dos gastos e a manipulação de indicadores divulgados pelo governo. O presidente Michel Temer pediu ao TSE – Tribunal Superior Eleitoral – para ser julgado em separado, porque não participou diretamente da campanha de reeleição. O que não deixa de ser verdade.

Não vai

Mesmo ainda não admitindo a candidatura publicamente para sua reeleição, o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) conseguiu atrapalhar o plano de seus inimigos. Ele mandou avisar que não irá presidir a sessão no dia da votação da disputa presidencial da Casa. Parte do “centrão” estava planejando entrar com uma ação na justiça para impedir esse comando. “Não tenho nenhuma expectativa de presidir uma sessão em que eu possa disputar”. A sessão será presidida pelo vice Waldir Maranhão (PT-MA).

Tempo de presidência

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) pode chegar a quase cinco anos na presidência da Casa. Isso tudo porque se for candidato (ainda não assumiu) e reeleito, poderá se candidatar a reeleição em 2019, a lei permite isso. Muitos aliados e até analistas políticos, apostam que Maia não se candidatará em 2019.

Sem compromisso

Os partidos pequenos estão negociando seu apoio com os candidatos a presidência da Câmara em troca de alguns favores. Os principais alvos são Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Jovair Arantes (PTB-GO), Rogério Rosso (PSD-DF) e André Figueiredo (PDT-CE) nem foram procurados, porque suas chances de vitória são mínimas. Eles querem que seja anulada a votação da reforma política que aprovou a Cláusula de Barreira e que o fim das coligações seja anulada. Nenhum dos dois se comprometeu com o total absurdo.

Medindo força

Com a disputa presidencial da Câmara chegando, o Planalto quer ver qual a quantidade de votos que o “centrão” receberá e assim medir sua força dentro da Casa,, visando estratégia e o quanto poderão ceder para o grupo nas futuras votações. A verdade é que eles querem pressionar para que o candidato do “centrão” Jovair Arantes (PTB-GO) desista da sua candidatura.

Pode desistir

O ex-presidente Lula poderá desistir de ser presidente do PT. Ele quer permanecer perto de sua mulher Marisa Letícia, que sofreu um AVC na última terça-feira e precisará de cuidados especiais. Apesar o estado de saúde delicado de Marisa, o ex-presidente permanece confiante e por incrível que pareça sereno, bem diferente da imagem que ostentava há dias atrás.

Achando bom

O presidente Michel Temer está recebendo várias sugestões de nomes que possam ocupar a vaga de Teori Zavascki no STF – Supremo Tribunal Federal. E mais nomes brotam na mídia, mesmo sem a menor cogitação. Muitos estão recebendo críticas, outros ganham até apoio popular. O Planalto está gostando, porque só indicará um nome após a escolha do novo relator da Lava Jato. Acredita que tudo isso ajude na escolha de um nome forte e que agrade a todos.

O que o PT fala do PT

É a primeira vez que um dirigente do PT, ocupando cargo no governo, compartilha com o distinto público suas críticas ao partido e também ao governo. A arrogância tem sido a marca forte do PT desde que chegou com Lula ao poder federal em 2002. O escândalo do mensalão abalou, sim, a blindagem do partido. A proximidade de eleições gerais e as incertezas da economia aconselham que ele banque o humilde.

Na última sexta-feira, em Porto Alegre, durante palestra no Fórum Social Temático, o secretário-geral da presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, disse que o modelo responsável por levar o PT ao poder exibe sinais preocupantes de desgaste. É necessário, segundo ele, debater as características de um novo projeto de governo capaz de ir além de temas “como inclusão social e distribuição de renda”. Nada muito diferente do que pensam nomes de peso do PSDB, o partido que governou o país nos oito anos que antecederam à ascensão do PT .É necessário, segundo ele, debater as características de um novo projeto de governo capaz de ir além de temas “como inclusão social e distribuição de renda”.

No primeiro mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso, desembrulhou-se o Plano Real, a inflação de mais de 80% ao mês do governo Sarney acabou manietada e a renda distribuída como em ralas ocasiões. A inclusão social começou verdadeiramente ali. Ou ali deu um salto.

Volta ao trampo

Os trabalhos no Plenário na Assembleia Legislativa do Paraná serão retomados na próxima quarta-feira (1º), com a posse da nova Mesa Executiva que comandará o Legislativo estadual de fevereiro de 2017 a 31 de janeiro de 2019. A solenidade que abre o período acontece a partir das 14h30. Terá um pronunciamento do presidente reeleito, deputado Ademar Traiano (PSDB) e a posse da nova Mesa. As sessões plenárias com espaço para os pronunciamentos dos parlamentares e votação de projetos deverão ser retomadas na segunda-feira (6).

Operação ‘dinheiro sujo’.

Mais de 120 policiais civis e militares do Paraná estão nas ruas desde as 6h desta sexta-feira (27) numa grande operação para prender uma quadrilha especializada em diversos crimes: desde a explosão de caixas eletrônicos, lavagem das notas, até falsificação de documentos e fraudes na venda de imóveis. A ação policial é coordenada pelo Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep) com apoio da Polícia Militar do Paraná e das Polícias Civil do Paraná e de Santa Catarina.

Alemanha avalia

O Departamento Federal de Polícia da Alemanha (conhecido como BKA) diz que uma eventual extradição de Eike Batista, caso ele seja encontrado em território alemão, teria de passar por uma decisão da Justiça Alemã. Mas Berlim não fecha de forma definitiva as portas para que um caso seja avaliado. Eike tem dupla nacionalidade e teria deixado o Brasil com passaporte alemão.

Foco correto

A crise financeira dos Estados é, em certo sentido, pior que a enfrentada pelo governo federal. Já que não podem emitir dívida, como a União, são obrigados a fechar o caixa com cortes abruptos de serviços públicos, inadimplência no pagamento de fornecedores e atraso nos salários do funcionalismo. Pode-se medir o tamanho do aperto pelo fato de que começam a surgir propostas de soluções estruturais, em geral estranhas à paisagem política brasileira.

Por que a demora?

A ordem de prisão de Eike Batista consta de um despacho assinado pelo juiz federal Marcelo Bretas em 13 de janeiro de 2017. Mas só nesta quinta-feira (26), 13 dias depois da expedição do mandado judicial, os agentes federais foram à mansão do ex-bilionário, no Rio. Não o encontraram. Informou-se que decolara para Nova York dois dias antes, na noite de terça-feira.

Singela explicação

Tacio Muzzi, delegado da Polícia Federal, saiu-se com uma explicação singela: “Em relação à viagem do senhor Eike Batista, não havia prévio conhecimento. Estava-se acompanhando a movimentação dos investigados e, na madrugada de hoje (26), chegou ao conhecimento que poderia ter saído para fora do país na data do dia 24, na parte da noite. ” Hummmm.

A delação de Eike

Quem tem mais a temer com uma (mais do que) provável delação premiada de Eike Batista é o PT, Lula e Dilma Rousseff à frente. O MPF não precisa de Eike para encalacrar Sérgio Cabral. Mas Eike, um dos sócios do Brasil Grande da era petista, pode ser útil a quem queira descortinar como se financiou o PT e suas campanhas eleitorais naqueles tempos.

O muro

Donald Trump, na corrida presidencial, disse que iria construir um muro na fronteira do país com o México. A medida foi polêmica e fez o candidato recuar. Empossado há dias, assinou decreto que autoriza a construção da muralha. Trump quer impedir que os imigrantes ilegais consigam entrar no país a qualquer custo e triplicou o número de agentes que trabalham na divisa. Só não ficou muito claro ainda se, é realmente o México que arcará com os custos da mega-construção, como Trump prometera em campanha.

Preço do muro

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, já mandou avisar que não assumirá qualquer custo do muro que o novo presidente dos Estados Unidos mandou construir.  A construção terá de 9 a 17 metros de altura e será construído com placas de concreto. Ainda terá um reforço de 4,5m de profundidade para impedir que se cave eventuais túneis. O preço da obra não é barato. Pode ficar entre US$ 12 bilhões e US$ 40 bilhões.

Arrecadação despenca

Com a crise econômica, a arrecadação federal somou R$ 1,289 trilhão no ano passado, o pior resultado desde 2010, divulgou nesta sexta-feira (27) a Receita Federal. Na comparação com 2015, a queda real (retirado o efeito da inflação) foi de 2,97%. Foi o terceiro ano seguido de queda na arrecadação. No caso somente das receitas administradas pela Receita Federal, que somaram R$ 1,265 trilhão em 2016, a queda foi de 2,38% na comparação com 2015.

Frases

“Agora o Eike vai abrir uma nova empresa com X: Xadrez! ‘

Do humorista José Simão

“Eu agiria com a mesma naturalidade com que eu decido todos os processos. ”

Gilmar Mendes, falando como trabalharia se assumisse a relatoria da Lava Jato.