A XI Feira Sabores do Paraná que começou nesta quarta-feira no Parque Barigüi, em Curitiba, reúne 250 agroindústrias e cerca de 1.500 itens diferentes.


A XI Feira Sabores do Paraná que começou nesta quarta-feira no Parque Barigüi, em Curitiba, reúne 250 agroindústrias e cerca de 1.500 itens diferentes. Até domingo os visitantes poderão degustar e levar para casa uma variedade de produtos já conhecidos e consagrados, e também conhecer os lançamentos preparados por algumas agroindústrias, que sempre estão em busca da receita perfeita para agradar os paladares mais exigentes.

Esse é o caso de Anete Barison Dal Sasso, proprietária da Duga Produtos Naturais, de Rolândia. Ela passa boa parte do seu tempo entre panelas, frutas e legumes, para extrair o que há de melhor dos produtos e encontrar a receita ideal. “É uma experiência que trago de criança, observando nossas avós a transformar frutas e verduras em geleias e conservas”, lembra a dona da empresa. Este é o oitavo ano que Anete participa da Feira Sabores do Paraná em Curitiba.

Quando começou trabalhava com uma linha de 18 produtos, entre eles a geleia de caipirinha, o chutney de manga, o alho na palha, entre outros. Para este ano são 48 itens diferentes entre geleias, conservas e patês. Entre eles três lançamentos, as geleias de kiwi com pimenta e kiwi com castanha, e o relisch de abobrinha, receita crocante , feita no vinagre, para ser saboreada em sanduíches ou saladas.

Anete também aposta no sucesso da sua linha de berinjelas, que vai do patê ao caviar, passando pelas conservas. O caviar é preparado apenas com as sementes da berinjela. “Esta receita me levou para a horta durante meses, para acompanhar a maturação do legume, até que chegasse à mesma aparência, cor e textura do verdadeiro caviar. E conseguimos chegar ao caviar vegetal”, explicou Anete que hoje tem seus produtos conhecidos de norte a sul do Brasil.

Outras novidades prometem sucesso na edição desse ano, como o doce de milho, calda orgânica de amora, molho de ervas finas, estrogonofe e quiche de champignon (congelados), geléia de maçã com canela, raiz forte ao vinagre tinto, frutas desidratadas, coalhada seca e pernil defumado entre outros.

Muitos expositores participam da Feira Sabores desde a sua primeira edição, como Marina Gillung, do município de Palmeira. Conhecida por suas geleias de sabores exóticos como as de cravo, canela, caipirinha, café, pétalas de rosas, vinho ou de erva-mate, Marina já tem consumidores fiéis, que todos os anos procuram seu quiosque para adquirir os produtos. Também bastante procurados são os panetones em calda, de Irati, e os embutidos de Prudentópolis, na região centro-sul do Estado, como a cracóvia, salame tipo italiano e linguiça, além de queijos variados, sucos e vinhos.

Além de alimentos, na feira podem ser encontrados artesanato rural, plantas ornamentais, pratos típicos na praça de alimentação, e espaço de lazer para as crianças.

A Feira Sabores do Paraná faz parte do Programa da Agroindústria Familiar – Fábrica do Agricultor, coordenado pela Secretaria da Agricultura e executado pela Emater. O programa foi criado para diversificar a cadeia produtiva rural como forma de fortalecimento da agricultura familiar, fixação e permanência do agricultor na sua atividade, integrada ao sistema de produção.

Segundo o secretário em exercício da Secretaria da Agricultura, Eliel de Freitas, a Feira funciona como um canal de divulgação, inserção e encontros de negócios para os produtos da agroindústria, seja de origem animal ou vegetal, orgânicos e naturais. ‘É uma maneira de fortalecer o trabalho dos pequenos agricultores que atuam nesse setor, de criar hábitos de consumo para esses produtos, e de contribuir para a entrada das agroindústrias no grande mercado”, destacou Eliel.