As regalias que o contribuinte banca na Câmara dos Deputados não se limitam apenas aos salários de mais de R$33 mil dos parlamentares e verbas de R$150 mil para o gabinete de suas excelências. Também acabam na conta do contribuinte brasileiro mimos para funcionários públicos da Câmara, como mesas de jantar e até orientador/professor para o trabalho de conclusão de curso de funcionário da Casa.

Acabou na nossa conta quatro mesas de jantar compradas por R$3,4 mil cada. Na melhor hipótese, se destinam aos imóveis funcionais. Outro exemplo. Servidor da Câmara ganha bem, mas foi o contribuinte quem pagou R$694 pela contratação de um professor particular para o abastado.

Até conta do “século passado” é repassada ao contribuinte: a Câmara já torrou este ano mais de R$5,1 mil em 1,6 mil carimbos sortidos. A Câmara contratou, por R$4 mil empresa “especializada em pesquisas via web” para levantamento de salários. No Google seria grátis.

Réus

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e os ex-ministros petistas Antônio Palocci Filho e Paulo Bernardo viraram réus em uma ação em que são acusados de terem recebido propina da Odebrecht. A denúncia feita pelo Ministério Público Federal foi aceita nesta quarta-feira (5) pelo juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal. Os três são acusados de terem praticado corrupção passiva por aceitar, segundo o Ministério Público, R$ 64 milhões da Odebrecht em 2010.

Propina da grossa

O dinheiro seria uma contrapartida ao aumento da linha de crédito para financiamento da exportação de bens e serviços Brasil e Angola, cuja autorização teria sido à época de R$ 1 bilhão. A denúncia aceita também inclui o empresário Marcelo Odebrecht por suposta prática de corrupção e os executivos Ernesto os executivos Ernesto Sá Vieira Baiardi e Luiz Antônio Mameri, ex-diretores da construtora. A defesa de Palocci disse que o ex-ministro “irá colaborar com a Justiça para o amplo esclarecimento dos fatos que são objeto da denúncia”. A reportagem também entrou em contato com as defesas dos demais réus e aguarda resposta.

Décima vez

Esta é a décima vez em que Lula se torna réu na Justiça Federal –há processos no DF, São Paulo e Paraná. Em um deles, em Brasília, ele já foi absolvido. O ex-presidente está preso desde abril de 2018 devido a condenação no caso do tríplex de Guarujá (SP).

Dois pesos, duas medidas

Atendendo a defesa de Lula, com parecer favorável do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça adotará pesos e medidas distintos para casos idênticos. Outro presidiário ilustre por crime da mesma laia, Eduardo Cunha já poderia estar no semiaberto ou em prisão domiciliar, mas o MPF foi contra e a juíza Carolina Lebbos, da vara de execuções penais de Curitiba, assentiu, lembrando que o criminoso é reincidente: há outra condenação em primeira instância. E o manteve na prisão.

Na marra

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) sancionou a lei que permite que usuários de drogas sejam internados de forma compulsória, ou seja, mesmo que não queiram. A nova lei, com diretrizes para o Sisnad (Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas), foi publicada na edição desta quinta-feira (6) do DOU (Diário Oficial da União) e apresenta vetos em relação ao texto aprovado pelo Congresso, como no item sobre redução de penas.

Responsabilidade

Com a nova lei, usuários de drogas poderão ser levados para centros de tratamento contra a própria vontade com anuência de um médico. Ela pode acontecer a pedido de familiar, do responsável legal ou de servidor público da área de saúde ou do Sisnad. A internação involuntária será realizada apenas após aprovação médica e “perdurará apenas pelo tempo necessário à desintoxicação, no prazo máximo de 90 dias”. O Ministério Público e a Defensoria Pública deverão ser informados da internação em até 72 horas. A família ou o representante legal poderão, a qualquer momento, requerer ao médico a interrupção do tratamento.

Reincidência conta

A defesa de Cunha reclamou porque a segunda condenação ainda não foi confirmada em segunda instância, mas não teve choro nem vela. Os casos são idênticos: Lula já pode ter o semiaberto, mas há uma segunda condenação a 12 anos e 11 meses, tanto quanto Cunha. Condenado pela propina recebida por meio do tríplex do Guarujá e do sítio de Atibaia, Lula enfrenta outras seis acusações igualmente graves.

Lula ataca

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz que, além de ter feito a interceptação telefônica do escritório de advocacia representante do petista, a Operação Lava Jato produziu relatórios que detalharam ao menos 14 horas de conversas entre os defensores, em uma afronta à legislação. Essa é a base da principal aposta para tentar anular no STF (Supremo Tribunal Federal) a condenação do ex-presidente no caso do tríplex de Guarujá (SP).O petista está preso desde abril de 2018, após ser condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro nesse caso. Em abril deste ano, a pena foi reduzida para 8 anos, 10 meses e 20 dias pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), abrindo caminho para progressão ao regime semiaberto.

Anulação do processos

A defesa do ex-presidente, no entanto, ainda tenta a anulação do processo no STF com base em uma ação ingressada no ano passado e que traz como base um relato do advogado Pedro Henrique Viana Martinez. O defensor não faz mais parte da equipe contratada pelo petista, mas diz ter visto na 13ª Vara Federal de Curitiba os relatórios produzidos a partir das interceptações telefônicas do ramal-tronco do escritório Teixeira Martins & Advogados, responsável pela defesa técnica de Lula. Era na 13ª Vara que atuava o então juiz e hoje ministro Sergio Moro (Justiça). Diálogos entre advogados e também de defensores com seus clientes são sigilosos e protegidos por lei.

Fachin já rejeitou

O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, já rejeitou no mês passado um recurso da defesa de Lula que questionava a imparcialidade de Moro como juiz nos processos contra o ex-presidente.

Sob nova direção

O novo presidente do PSDB, Bruno Araújo, tem a missão de levar o partido ao centro, sem a lorota de “centro-esquerda” de antes. O antecessor Geraldo Alckmin quase fez de tucano espécie em extinção.

Falta de consideração

O MPF acusa Romero Jucá de haver colocado Sergio Machado na presidência da Transpetro. Já Renan Calheiros, que o manteve no cargo por 11 anos, deve ter odiado tamanha falta de reconhecimento.

Pegaram leve

O Procon-SP multou Latam, GOL e Azul em R$6,9 milhões por cobrar por cobrança antecipada da marcação de assentos. Faltou mandar devolver, em dobro, valores tomados dos passageiros lesados.

Sabe quem está lá

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) está surpresa com o nível de desconhecimento sobre o parlamento. “Pessoas que não estão aqui dentro”, diz ela, acham que “sabem mais do que quem está dentro”.

Ambiente favorável

O número de emendas apresentadas à reforma da Previdência do governo Bolsonaro é bem menor do que as 460 apresentadas durante idêntica discussão no governo Lula.

Na nossa conta

Sem conseguir cobrar a energia em áreas comandadas pelo tráfico ou milicianos, os “gatos” no RJ equivalem a 24% da energia consumida no Estado, equivalente a todo o consumo do Espírito Santo.

Contra a corrupção

A Frente Parlamentar Ética Contra a Corrupção realiza, nesta quinta, seminário sobre medidas para a redução da impunidade, como o fim do foro privilegiado e a reformulação do Tribunal de Contas da União.

Aprendeu rápido

O deputado Alexandre Frota (PSL-SP) tomou gosto pela política. Em reunião do Congresso, anunciou a liberação da bancada para votar de acordo com a consciência de cada deputado. Todos ficaram surpresos.

Tabela

O Congresso tem engessado tanto orçamento e as prerrogativas que em breve o presidente será eleito só para cumprir tabela.

Mais uma

A cada dia, o presidente Jair Bolsonaro cria, através de uma entrevista, discurso, tuite ou mesmo projeto de lei, uma ofensa ao bom senso ou até à inteligência, das armas às cadeirinhas de bebês nos automóveis. Essas cadeirinhas de bebês nos veículos serão dispensadas de uso, caso a Câmara aprove o novo projeto no Planalto – o que certamente não acontecerá. O Brasil é o quarto país do mundo em mortes de trânsito. Em 2017, o país registrou 845 mil acidentes de trânsito com 45 mil mortes. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o uso da cadeirinha tem o poder de reduzir em 71% as mortes dos bebês em acidentes.

 

Ideia fixa

Afrouxar normas do trânsito é uma ideia fixa de Bolsonaro desde seus tempos de deputado. Em 2010, ele já tentou acabar com obrigatoriedade das cadeirinhas dos bebês nos veículos. A tentativa acabou ficando nas gavetas das Câmara. Maior volume de pontos na carteira, menos radares eletrônicos, menos lombadas, tudo isso, além das cadeirinhas, devolverão, segundo Bolsonaro, o “prazer de dirigir” ao brasileiro.

 

Devagar

Os projetos e realização da JHSF estão andando devagar. Agora, surge nova campanha para vender terras na Fazenda Boa Vista, avisando que é o único lugar particular que se pode praticar thriatlon e lança nova promoção de descontos para o outlet Catarina na Rodovia Castelo Branco. No coração dos Jardins, as obras do shopping de luxo também andam em ritmo lento.

 

Troca

O apresentador Ivan Moré está mudando de casa. Após ser afastado da apresentação do Globo Esporte paulista, ficou sem atração e recebeu uma proposta da Record. Sem muita tradição na cobertura esportiva Ivan Moré deverá liderar a cobertura do Pan-Americano de Lima e, no segundo semestre irá fazer parte do novo Esporte Fantástico, que será reformulado.

 

Economia

O general Joaquim Silva e Luna está à frente da Itaipu Binacional há 100 dias e nesse período conseguiu uma economia de R$ 163 milhões.  “Encaro a gestão em Itaipu como a missão de mostrar à população que viemos não para atender a interesses diversos, mas para confirmar que é possível, sim, administrar uma empresa pública de forma idônea e em consonância com as diretrizes do governo federal”. E completou: “Estamos trabalhando juntos para entregar os melhores resultados à sociedade brasileira”.

 

Brincadeira

Ainda sobre a economia de Silva e Luna frente à Itaipu: tem gente acreditando que é melhor economista que Paulo Guedes e já pedem seu nome na pasta da Economia. Outros pedem que ele faça um texto paras as reformas da Previdência e Tributária. Paulo Guedes e Jair Bolsonaro não gostaram da brincadeira.

 

Sem viagem

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, tem se empenhado bastante para que a reforma da Previdência seja discutida e votada antes do recesso parlamentar.  Uma das medidas baixadas é que todas os pedidos de viagem estão sendo negados. “Todos os pedidos estão sendo negados, para que a gente possa, a partir do dia 20 de junho, já voltar a ter o quórum de 500, 505 deputados”.

 

Festas juninas

Ainda sobre os pedidos de viagem negados:  problema é que na região Nordeste, neste mês, é época de festas juninas e grande parte dos parlamentares querem participar. O deputado Júlio César (PSD-PI), coordenador da bancada do Nordeste na Câmara, jogou a solução na mão do governo, ou seja, se forem liberados, terão mais chance de apoio nordestino. “As festas vão até o dia 29 de junho, que é o dia de São Pedro. Então, mais ou menos entre os dias 23 e 29 de junho são dias difíceis da gente ter uma presença maciça de deputados nordestinos (na Câmara). Mas essa é uma matéria tão importante que cabe ao governo administrar essa dificuldade aí, das festas juninas”.

 

Repercussão

Brunna Gonçalves, dançarina e a nova namorada de Ludmilla, viu seu nome parar nos principais veículos do Brasil, depois da cantora assumir o romance. “Já esperava uma repercussão, mas não esperava que fosse ser tanto”. Ela ganhou 400 mil seguidores em 24horas. “Sobre os seguidores… estou sem acreditar até agora! Eu não consigo mexer no meu Instagram porque não para de subir os números. Ganhei 400 mil seguidores só ontem! Isso é assustador para mim, mas está sendo muito bom porque sempre quis trabalhar como influencer. Agora vou focar para gerar bastante conteúdo para os meus novos seguidores”. Brunna focará sua carreira como influenciadora digital.

 

Novo par

A atriz Julia Dalavia, a Laila de Órfãos da Terra, está de namorado novo: Chicão, filho de Cássia Eller. Os dois foram vistos juntos no lançamento do o aplicativo 342Amazonia, no Circo Voador, no Rio, que contou com show de Caetano Veloso, Lulu Santos, Maria Gadú, Teresa Cristina, entre outros.

 

Quanto

Hoje, a Soros Fund Management tem um total de US$ 4,3 bilhões em investimentos e participações. Em sua carteira, aparecem pesos-pesados do mercado americano: entre outros, The Walt Disney Company, Netflix, Microsoft e Red Hat, só para começo de conversa. E também a Oi, tele brasileira, onde o fundo de George Soros tem 0,07% dos mais de R$ 5,95 bilhões de papeis que compõem o capital social da companhia.

 

Em campo

Bolsonaro descobriu que a Câmara está se aliando ao ministro Paulo Guedes para aprovar uma agenda que devolva ao país a capacidade de crescimento econômico. E resolveu entrar em campo para não ficar de fora: esta semana, foi até a Câmara, matar saudades de seus tempos de deputado federal e abraçar Rodrigo Maia, presidente da Casa. De quebra, a frase: “O Parlamento é meu e a Presidência é de vocês”. O próprio Maia, contudo, sempre desconfiado, rebate: “Nem o Parlamento é dele e tampouco a Presidência é nossa”.

 

Avanço

O Pastor Everaldo, presidente do PSC (ele foi acusado pela Odebrecht de receber R$ 6 milhões para favorecer Aécio em 2014) está emplacando homens seus no governo de Wilson Witzel, no Rio. O primeiro foi André Moura (réu em três ações penais do Supremo), ex-aliado de Eduardo Cunha, como “secretário extraordinário” em Brasília. Agora, foi a vez de Valter Alencar, candidato derrotado ao governo do Piauí, como assessor especial no Rio. Salário: R$ 45,2 mil (pagos pelo Rio por ele ser ex-desembargador eleitoral).

 

Guerra é guerra

Nas redes sociais, Luana Piovani cutucou Anitta, agora namorando com Pedro Scooby, dizendo que sempre “pretendeu vencer na vida com o poder da cabeça e não com o poder da bunda”. Anitta devolveu, sem citar Luana, uma mensagem dirigida a ela, onde fala do bairro pobre onde nasceu, aprendeu diferentes idiomas (e fala fluentemente), abriu empresa, criou seu produto, cuida da carreira, sustenta a família, desviou da “ignorância que é a maioria do ensino público brasileiro”, exportou seu trabalho e “carrega esse bando de críticas sem fundamento nas costas seguindo sorridente e feliz”. E encerra: “Se alguém fez tudo isso só com o poder da bunda, me mostrem quem é”.

 

Quer desbloquear

Em meio às denúncias de estupro, violência sexual e exibição de conversas e fotos íntimas na internet que pesam sobre Neymar Jr. a defesa do jogador está tentando desbloquear na Justiça parte dos recursos de suas empresas no Brasil. Em setembro do ano passado, por problemas com a Receita Federal, foram bloqueados R$ 189 milhões das contas pessoais e das empresas de Neymar. A Receita está cobrando cerca de R$ 70 milhões por supostas “diferenças de entendimento” pilotadas pelo pai do jogador.

 

Memória viva

O Vento Leste Editora e Publicações conseguiu a autorização, através do Pronac, para captar R$ 598,5 milhões para um livro de fotos e uma exposição fotográfica em São Paulo integrantes do projeto “Autobiografia de Vanita Toledo”, cujo acervo de imagens é a memória viva da cena artística do país.

 

Comercial

A prologada presença na noite de terça-feira (4) de Jair Bolsonaro no programa de Ratinho (SBT) exibiu mesmo esticado comercial do governo, com o apresentador só levantando assuntos de interesses do Chefe do Governo até chegar à Nova Previdência, depois de alguns esclarecimentos tropeçantes. A operação teria tido grande parte paga à emissora, além de cachê para o apresentador (R$ 300 mil). Detalhe: Bolsonaro aproveitou para insinuar que “o Congresso apera contra o Governo”.

 

Coordenador

Em meio a conversa de Ratinho com o presidente Jair Bolsonaro em seu programa, o apresentador deixou escapar o nome de “Fabinho”, provavelmente seu amigo de infância e coordenador da área de propaganda do Planalto. Trata-se de Fábio Wajngarten, da Secom.

 

Até Bob Esponja

Nas redes sociais, Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, está – mais uma vez – sendo massacrada por ter considerado os personagens Bob Esponja e Patrick como gays. Damares defende sua acusação: “E só olhar a maneira que Bob olha para seu amigo”. Chegou até a exibir uma computação onde Bob Esponja aparece usando um tule de balé.

 

Na CNN brasileira

William Waack e Evaristo Costa são novas contratações da CNN brasileira que deverá estar no ar no segundo semestre. Waack será âncora dos noticiosos principais e Evaristo fará um programa semanal direto de Londres.

 

Retrato

Dados da Febraban: o Brasil tinha em 2018, 21,6 mil agências de bancos tradicionais, em comparação com 23,4 em 2016 (queda de 7,7%). Desse total, 52% estão na região Sudeste e só 5% na região Norte. Para segurança dessas agências, o setor emprega 63 mil vigilantes privados, equivalente a 75% do quadro da Polícia Militar de São Paulo – e gasta R$ 9 bilhões ao ano.

 

Candidata laranja

Valter Alencar, novo assessor especial de Wilson Witzel, investigado pela justiça é também acusado de inscrever uma funcionária do PSC, partido do governador, como candidata laranja da sigla em 2018. Izete Abreu teria recebido indevidamente cerca de R$ 280 mil do fundo eleitoral.

 

Primeira-dama

O programa de Luciana Gimenez virou uma espécie de sala de estar da família Bolsonaro. Já deram as caras lá, o presidente e seu filho Eduardo, agora ela convidou a primeira-dama Michelle Bolsonaro. Há quem diga que é o local certo e a entrevistadora perfeita para fazer propaganda do bom marido e bom pai. Só não falar nada sobre as relações de Michelle com sua mãe e menos ainda com sua vó, que mora numa favela.

 

Maquininha da fé

O Banco Renner, que tem o bispo Edir Macedo como principal acionista (49%), vai entrar na “guerra das maquininhas”. Prepara-se para criar sua própria empresa e vai disputar mercado com Cielo, Rede, Stone, PagSeguro e outras mais.

 

Não é bem assim

Esta semana, em audiência na Câmara dos Deputados, o ministro Paulo Guedes, da Economia, correu desnecessário risco ao revelar que foi convidado por Dilma Rousseff para ser seu ministro da Fazenda. Guedes não foi convidado efetivamente: o que houve foi apenas uma sondagem. Ou seja: pode ser desmentido publicamente. A ex-presidente pode até chama-lo de mitômano na primeira oportunidade.

 

Uma e outra

Se conseguir assumir o diretório municipal do PSL e estimulada pela mais radical ala do partido, a começar pelo senador Major Olímpio, a deputada Joice Hasselmann pode acabar antecipando sua candidatura à prefeitura de São Paulo. O importante seria sair na frente de Janaína Paschoal (dois milhões de votos para Assembleia Legislativa de São Paulo), também do próprio partido. Janaína, contudo, que ainda não decidiu se sai candidata, está atenta: qualquer movimento, pode trocar de partido. O que não falta é convite.

 

Vai sair

Abílio Diniz deverá sair de vez da BRF: quer aproveitar a fusão da companhia com o Marfrig para pular fora do barco e virar uma das piores páginas de sua trajetória empresarial. Ele poderia dobrar a aposta e garantir sua participação, mas quer mesmo distância da nova empresa e da indústria de proteína animal. Em 2013, Abílio assumiu o Conselho da BRF com apoio de Previ e Petros. Cinco anos depois, era expurgado do cargo pelos mesmos fundos de pensão. Entre 2016 e 2017, sob seu comando, a BRF acumulou perdas de R$ 1,4 bilhão.

Frases

“A economia brasileira está estagnada e precisamos das reformas para tirá-la dessa estagnação.”

Paulo Guedes, ministra da economia