Até 2022 a previsão é que 80% do crescimento de receita das empresas dependerá diretamente de ofertas e operações digitais, de acordo com a mais recente pesquisa da IDC Brasil. Além disso, a cada ano, U$ 6 trilhões são jogados fora com os danos cibernéticos. Esse levantamento foi feito pela Cybersecurity Ventures, principal instituição de pesquisa do mundo sobre economia cibernética.

Para complementar esse cenário, segundo as projeções da Brasscom, das 420 mil novas oportunidades em tecnologia, uma em cada quatro (107,1 mil delas), serão demandadas em atividades relacionadas à internet das coisas. Outras 45,3 mil (11%) são para a área de segurança. Enquanto 40,7 mil postos serão exigidos por atividades de Big Data e Analytics, o segmento de computação em nuvem, precisará de 24,8 mil (6%) vagas novas em cinco anos. “Só em Curitiba, a estimativa é que faltam hoje 3.000 profissionais no setor de tecnologia da informação (TI)”, complementa Adriano Krzyuy, presidente da Assespro-PR.

O mercado para profissionais ligados à tecnologia da informação está entre os temas do Fórum Internacional sobre Segurança Cibernética – CyberSec 2019, que ocorre no Campus da Indústria da Fiep, em Curitiba, nos dias 25 e 26 de junho. O Fórum Internacional sobre Segurança Cibernética é realizado pela Paraná Metrologia, Fundação Araucária, Sistema Fiep, Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-Paraná) e Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre). Mais informações no site www.cybersec.org.br.

Candidatos, com conhecimentos atualizados e que tenham fluência em inglês se destacam nos processos de seleção. Outras qualificações também podem alavancar as chances do profissional. “Mesmo que o Brasil não tenha uma relação sólida, no setor de tecnologia, com a China, somos uma potência em crescimento. Outro que se tornou referência aqui para a América Latina é o Chile”, comentou Krzyuy.

Para ele, “aqueles candidatos que possuem um alto grau de desempenho em lógica e em segurança são os que mais são visados no setor de proteção de dados, por exemplo. Afinal, eles terão de entender e solucionar problemas com impactos exorbitantes”.

“O que fazer para consertar o Brasil”

Durante almoço-debate, do Lide Paraná (grupo de líderes empresariais), o economista e professor, José Pio Martins falou  sobre o tema “O que fazer para consertar o Brasil”. O evento foi no Hotel Bourbon, em Curitiba.

O economista enumerou seis aspectos que contribuem para a situação atual do país: o PIB brasileiro é pouco; a produtividade brasileira é inexpressiva; o Brasil é muito pobre; o Brasil tem um gigantesco desperdício de força de trabalho; a taxa de investimento é medíocre [sic]; e a estrutura do gasto público é desastrosa.

Traçando um paralelo entre Brasil e Estados Unidos, com dados informados pelo Banco Mundial, Pio exemplificou aos filiados ao LIDE, participantes do almoço, cada fato, com a intenção que, ao final, cada um pudesse pensar nos problemas ou obtivessem novas informações, que os ajudem a chegar à conclusão do que deve ser feito para consertar o país.

O economista, durante a palestra exemplificou que os problemas do país estão basicamente em alguns pontos econômicos: produto, inflação, desemprego, investimento do PIB e dívida pública. “E qual é o sonho? O Brasil precisa aumentar a produtividade e incorporar os que estão de fora do mercado como única forma de elevar o padrão de vida médio”.

“Além disso, nós temos atualmente uma tríplice crise: a crise econômica, a crise política e a crise jurídico-moral. Essas três crises juntas serviram para demonstrar de forma clara o que está funcionando e o que não está; e os sistemas que entraram em colapso”, expõe Pio Martins.

AD Clinic apresenta franquia de estética

A AD Clinic participará da ABF Franchising Expo, maior feira de franquias da América Latina, que será realizada entre os dias 26 e 29 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo. A marca mostrará aos investidores que vai muito além de um espaço estético com diversos tratamentos e tecnologia de ponta. Criada em 2014, pelo empresário paranaense Rodrigo Nunes, a clínica atrai cada vez mais olhares no mercado nacional. Por conta da aceitação e crescimento, a AD Clinic recentemente passou por uma reestruturação da marca e com isso nasceu o projeto de franquias. “Nosso principal objetivo é fornecer estética e bem-estar para as pessoas em qualquer hora do dia. Atendemos a beleza como um todo: feminina, masculina, facial e corporal”, explica orgulhoso o CEO da marca.

Rodrigo Nunes é o fundador do Grupo AD – é o gestor de negócios, com experiência em coaching, administração e marketing. Em apenas 5 anos, inaugurou e gerenciou 5 unidades próprias, 1 franquia e está em constante expansão de seus negócios na área da beleza.

Pierre   Berenstein é a “Estrela ADVB” dia 26

O presidente do Brasil da rede mundial de “casual dining” Outback, Pierre
Berenstein, fala sobre a história da rede de restaurantes no Brasil na
próxima edição do “Estrela ADVB” – evento realizado pela Associação dos
Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – Seção Paraná (ADVB-PR),
que promove um bate-papo sobre diversos temas pertinentes ao mundo dos
negócios. O encontro acontece no dia 26 de junho, às 8h, no Four
Points By Sheraton.

Pierre Berestein, além de presidir o Outback no Brasil, atualmente é presidente  da Bloomin’ Brands International no Brasil. Ele é economista pela
PUC-SP com MBA na Fundação Dom Cabral, pós-MBA na Northwestern
University e especialista em operações e logística  no Massachusetts
Institute of Technology. Já atuou em cargos de liderança de empresas
como International Meal Company, Livraria Saraiva, GRSA – Grupo de
Soluções em Alimentação, Play Center e Hopi Hari.

Os convites para o “Estrela ADVB” podem ser adquiridos na ADVB-PR ou no local do evento. O valor é de R$120, com descontos para associados. Mais informações pelo telefone (41) 3085-3124, whatsapp (41)99128-9113 ou e-mail: secretaria@advbpr.com.br.

Pagamento de contribuições vencidas

Os Microempreendedores Individuais (MEI) que tiverem suas contribuições vencidas na quinta-feira (20), feriado de Corpus Christi, deverão antecipar o pagamento para até o dia 19 (quarta-feira) e não deixar para efetuar posteriormente à data. Quando vencidos em finais de semana ou feriados, os impostos devem ser recolhidos nos dias úteis anteriores. A quitação mensal da contribuição do MEI é obrigatória. O pagamento é feito por meio do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS).

A contribuição mensal é a garantia que o Microempreendedor Individual tem para conseguir todos os benefícios, como os previdenciários, por exemplo. Além de um valor reduzido, o imposto é fixo e pode ser colocado no controle de gastos do empresário. O MEI inativo ou que teve receita zero também está obrigado a pagar o valor mensal previsto pelo Simei, porque ele independente do exercício de atividade e do volume de receita.

Empresas  para conexão com startups

 

 

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) selecionou 30 indústrias de grande porte, uma delas de Portugal, para participar do Programa Startup Indústria 4.0. A iniciativa, que está em sua segunda edição, irá conectar startups que ofereçam soluções para essas indústrias. As selecionadas são Docol Metais Sanitários, Procosa, Renault, Natura, Bosch, Embraco, Marcopolo, Votorantim Cimentos, Libbs, Botica, Malwee, Arcelormittal, Cartepillar, 3M, Fras-LE, Oxiteno, Mondelez, Tigre, Confab, Nestlé, Vale, Cobra Correntes, Wirklich, International Indústria Automotiva, Schneider, Electrolux, BRF, Usaflex e Springer. A portuguesa é a Myshirt, do setor têxtil. No total, 86 indústrias brasileiras e portuguesas participaram da seleção.A maioria das indústrias selecionadas são do estado de São Paulo (11), em seguida vem empatados Rio Grande do Sul e Santa Catarina (6), depois Paraná (4) e, por fim, Minas Gerais e Rio de Janeiro (1). Do total, 20% são indústrias de produtos químicos, farmoquímicos e farmacêuticos.

 

Readmissão de microempreendedores

O escritório Lima Lopes & Cordella Advogados Associados, lembra que foi promulgada Lei Complementar que autoriza o retorno ao Simples dos optantes excluídos do regime em 1º de janeiro de 2018 que fizeram adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional (PertSN), instituído pela LC nº 162/2018. A opção de retorno ao regime do Simples poderá ser realizada até 12 de julho, com efeitos retroativos a 1º de janeiro de 2018.

MadeiraMadeira faz palestra inaugural

Começou oficialmente o Speed Up, Programa de Aceleração de Startups promovido pela Agência de Inovação da PUC Paraná: a Hotmilk. O programa foi criado para impulsionar as startups de Curitiba e região, e será dividido em três etapas independentes: a Fábrica de ideias, a Fábrica de Produtos e a Fábrica de Negócios.Nesta primeira fase, 17 startups foram selecionadas e passarão por uma fase de imersão com mentores de startups locais que iniciaram a operação com pouco investimento e hoje são protagonistas do cenário de tecnologia e inovação do Brasil.A abertura do evento foi realizada pelo Daniel Scandian, CEO e fundador da MadeiraMadeira, a maior loja 100% online de produtos para casa do Brasil. possível formar um time engajado e que compartilhe da visão dos fundadores.” afirma o CEO.Neste ano, a MadeiraMadeira completa 10 anos, mas a operação iniciou bastante modesta, com apenas quatro funcionários sediados em uma pequena casa em São José dos Pinhais.

Pensamento crítico e sustentável na Contabilidade

Sustentabilidade, pensamento crítico e a contabilidade além dos números foram os temas do evento realizado na terça-feira (11) para alunos do Mestrado em Ciências Contábeis da FECAP. A palestra ficou sob responsabilidade do Prof. Dr. Nicholas McGuigan, Diretor de Educação e Professor de Contabilidade da Monash University, na Austrália.

O especialista apresentou uma nova perspectiva no âmbito do ensino contábil. De acordo com ele, é preciso remover o padrão existente na educação e nos profissionais de Contabilidade, uma vez que cada indivíduo possui contextos e vivências diferentes.

Ele destacou que, atualmente, os cursos de graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado na área são lecionados da mesma forma, independentemente da Instituição de Ensino. Acrescentou sua visão de que a Contabilidade pode trabalhar contra a corrupção e a favor da preocupação ecológica, por exemplo. “Contadores precisam entender o mundo além das finanças”, afirmou.