Produtos fabricados com matérias-primas tipicamente amazônicas como bijuterias, poderão em breve chegar a outros países e ter sua produção ainda mais estimulada.

Produtos fabricados com matérias-primas tipicamente amazônicas como bijuterias feitas com sementes e fibras naturais (as chamadas biojóias), polpas de frutas regionais, óleos aromáticos e guaraná poderão em breve chegar a outros países e ter sua produção ainda mais estimulada.

Essa é uma das expectativas de empresários de pequeno e médio porte que atuam na região amazônica.

Na última semana, eles expuseram parte do que comercializam em território local a representantes comerciais de outras regiões brasileiras e também de outros países da América do Sul e da Europa, durante a 6ª edição da Amazontech. O evento foi realizado em São Luís (MA) e terminou no sábado (29).

Durante a Amazontech 2008 – que é uma ampla mostra de inovações tecnológicas, conhecimentos científicos e empreendedorismo sobre a Amazônia – quase 150 empresas de produtos amazônicos também participaram da Rodada de Negócios, com o objetivo de incrementar suas ações comerciais.

Em média, 800 pessoas visitaram o local do evento para ver de perto os artigos exibidos. A expectativa é que, nos próximos seis meses, negócios no valor de R$ 1,5 milhão possam ser fechados.

Um dos exemplos de oportunidades é o da Cooperativa de Produtos e Beneficiadores de Plantas Medicinais Fitoterápicos e Fitocosméticos (Coopifitos) de Manaquiri (AM), que fica a cerca de 60 quilômetros de Manaus.

Segundo a gerência da cooperativa, uma empresa paulista pediu o envio de mais amostras dos produtos fabricados, o que poderá transformar a Coopifitos em fornecedora.