Mais da metade dos brasileiros acredita que a Lava-Jato cometeu excessos em nome de uma agenda de combate à corrupção. Há divergências sobre como proceder sobre decisões específicas tomadas no âmbito da operação. É o que mostra a 18ª edição da pesquisa XP/Ipespe, realizada entre 9 e 11 de outubro.

O levantamento ouviu 1.000 eleitores de todas as regiões do país, por meio de entrevistas telefônicas realizadas por operadores entre os dias 9 e 11 de outubro. A margem máxima de erro é de 3,2 pontos percentuais para cima ou para baixo. Na pesquisa, foram dadas três opções de respostas aos entrevistados sobre a operação, além da possibilidade de não adotar posição: 1) A Lava-Jato cometeu excessos, mas o resultado valeu a pena; 2) A Lava-Jato cometeu excessos e algumas decisões tomadas com base nela devem ser revistas; 3) A Lava-Jato não cometeu excessos ao combater a corrupção.

Segundo o levantamento, 54% acreditam que a Lava-Jato cometeu excessos: 14% ressaltam que os resultados valeram a pena, enquanto 40% defendem que algumas decisões tomadas devem ser revistas.

Bolsonaro “alveja” Moro

A foto na capa do jornal O Estado de São Paulo, fita por Gabriela Biló, mostra o presidente Jair Bolsonaro (PSL) com a mão direita – imitando um revólver – apontada para a cabeça do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, sob risos do ministro da Economia, Paulo Guedes. A foto, feita durante a cerimônia de hasteamento da bandeira, em Brasília, ilustra a reportagem de capa sobre a nova crise instaurada por Bolsonaro após a ação da Polícia Federal contra o presidente do PSL, deputado federal Luciano Bivar, na investigação sobre as candidaturas laranjas da sigla.

Na imagem, Moro está cabisbaixo., em reverência ao presidente. Em 2011, o mesmo jornal mostrou uma foto da então presidente Dilma Rousseff (PT) levemente arqueada com a espada de um cadete parecendo trespassar seu corpo. Abaixo da foto, o título “Honras Militares” – e um sobre a participação de Dilma numa cerimônia militar.

Vereador quer proibir o VAR

Motivo de discórdia entre os amantes de futebol, o VAR se tornou caso de política. O vereador Zico (PTB-RJ) quer proibir o uso do árbitro de vídeo em partidas organizadas pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). Um projeto de Lei de sua autoria publicado nesta quarta-feira (16) do Diário Oficial da Câmara Municipal propõe que a arbitragem não tenha qualquer contato com vídeos durante os jogos e estipula uma multa de R$ 250 mil para quem descumprir a norma. Segundo o político, o valor arrecadado deve ser destinado para o Fundo Municipal de Defesa do Consumidor.

Bolsa Família

Promessa de campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro assinou ontem (15) a medida provisória (MP) que oficializa o pagamento da 13ª parcela do Bolsa Família a todos os beneficiários do programa. O adicional será pago em cerca de 60 dias, junto com o benefício de dezembro, e totaliza uma injeção extra de R$ 2,58 bilhões na economia.

Projeto de Lerner

O projeto urbanístico desenvolvido pelo arquiteto Jaime Lerner em União da Vitória será premiado na sétima edição do Prêmio Gestor Público Paraná. O prêmio, promovido pelo Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Paraná, será entrega no dia 12 de novembro em solenidade presidida pelo deputado Ademar Traiano (PSDB) na Assembleia Legislativa.

Quadrilha suspeita

Uma operação contra uma quadrilha suspeita de fraudar licitações no interior do Paraná deve prender 11 pessoas temporariamente nesta quarta-feira (16). Os policiais civis também cumprem 26 ordens de busca e apreensão. A principal suspeita é de que os crimes tenham acontecido em contratos para a compra de peças de reposição para máquinas pesadas da Prefeitura de Missal, no oeste do Paraná. Além deste município, os 37 mandados autorizados pela Justiça também são cumpridos em Cascavel, Guaíra, Terra Roxa, Diamante do Sul, Pérola D’Oeste, Roncador e Catanduvas, sobretudo nas regiões oeste e central do Paraná. Os prejuízos causados aos cofres públicos ainda são calculados pela Polícia Civil.

Sarampo em Londrina

O Núcleo de Comunicação da Prefeitura de Londrina informou que o primeiro caso de sarampo na cidade foi confirmado na tarde desta terça-feira (15). Segundo o Boletim Epidemiológico divulgado na última quinta-feira (10), 103 pessoas estão infectadas com a doença no Paraná. Entretanto, os casos confirmados eram de Curitiba, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), Jacarezinho, Ponta Grossa, Maringá e Rolândia. Informações do Portal Ricmais. A única cidade da Regional de Saúde de Londrina com caso confirmado, até o último boletim, era Rolândia. Agora, o município mais populoso do interior do estado teve o primeiro caso de sarampo confirmado.

Tabata vai à Justiça

Sexta deputada federal mais votada em São Paulo e afastada do PDT desde julho, Tabata Amaral anunciou que entrará na Justiça contra o partido para sair da sigla e manter seu mandato. Em entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura, nesta segunda-feira 14, Tabata diz que dará mais detalhes sobre a ação em uma coletiva de imprensa nesta terça, ao lado de outros parlamentares também punidos, incluindo membros do PSB.

Julgamento do STF

Viúva do ex-governador José e mãe de Beto, ambos ex-governadores do Paraná, dona Arlete Richa conseguiu suspender o julgamento da ADI 4545 que estava na pauta da sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) desta quarta-feira (16) – o que, na prática, mantém por tempo indeterminado a pensão de R$ 30 mil que recebe e as aposentadorias de oito ex-governadores do estado, no mesmo valor. Paralisação do julgamento se deu por ato do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, após a entrada na Corte de um requerimento de dona Arlete para ingressar na ADI na qualidade de “amicus curiae” – isto é, como parte interessada na causa e eventual colaborada para o entendimento das questões de mérito pelos ministros.

OAB propôs

A ADI 4545 foi proposta pela seção paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em 2011 e busca considerar como inconstitucional um dispositivo que constava na Constituição Estadual que concedia o benefício vitalício de aposentadoria a ex-governadores e pensões às viúvas.

‘Atirador de tomates’

Alexandre de Moraes mandou a Polícia Federal apreender armas de Ricardo Rocchi, manifestante do movimento Tomataço, que já tentou atirar tomates nos ministros do STF. Ele já havia sido proibido, dentro do inquérito inconstitucional aberto por Dias Toffoli, de se aproximar a menos de 200 metros dos ministros.

Bolsonaro vs. Bivar

A bonita advogada de Jair Bolsonaro, Karina Kufa, garante que “já temos indícios de má gestão” no PSL. Ela acha que o partido (Bolsonaro quer abrir a caixa-preta da sigla administrada por Luciano Bivar) sempre foi “controlado de uma forma coronelista e individual” e não é possível que venha a ficar com mais de R$ 8 milhões por mês “para gastar como bem entende”. O TSE já aprovou as contas da campanha de Bolsonaro, mas Karina acha que “a auditoria foi feita de forma superficial”. Ela também é advogada do Patriota, que pode abrigar Bolsonaro.

 

Outra batalha

O Recife deverá ser palco de outra batalha entre Bolsonaro e Luciano Bivar que quer se candidatar à prefeitura da cidade. Ele tem boa imagem por lá, na condição de ex-cartola do Sport Club. E o Chefe do Governo quer lançar Gilson Machado Neto, presidente da Embratur, que sucedeu Geraldo Júlio (PSB). Mais: Bolsonaro tem oferta de cinco partidos e o PSL deverá expulsar Carla Zambeli (SP) e mais três parlamentares alinhados a Bolsonaro. João Doria, governador de São Paulo, já acenou para esses parlamentares: o PSDB está aberto.

 

Na Justiça

A jovem e já famosa deputada federal Tabata Amaral, 25 anos, surpreendeu seus entrevistados do Roda Viva na noite de segunda-feira (14) anunciando que vai entrar na justiça  para que possa deixar o PDT sem perder o mandato. Ela votou a favor da reforma da Previdência e a direção da sigla pretendia expulsá-la – mas recuou. Ela ainda não sabe para que partido vai, mas João Doria também já abriu as portas do PSDB para ela.

 

Virou piada

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, que já está achando que essa história de embaixador não vai sair, resolveu imprimir nova tradução da sigla LGBT numa camiseta. Em inglês, ele colocou a palavra Liberty para o “L” e depois, Guns para o “G”. Na sequência, “B” Bolsonaro e “T” para Trump. Os internautas ironizavam a iniciativa, acrescentaram “Q” no final da abreviatura e postaram outra tradução: Laranja (“L”), Gado (“G”), Burro (“B”), Terraplanista (“T”) e Queiroz (“Q”).

 

Unanimidade

Entre as mulheres de políticos que integravam a  comitiva que foi assistir a cerimônia de canonização da Irmã Dulce, no Vaticano, a campeão da fé e da elegância foi mesmo Paula Mourão, mulher do vice-presidente Hamilton Mourão. Chorou na hora da comunhão da primeira missa em homenagem à santa e levaram livrinhos da celebração, como lembrança. As demais mulheres presentes não pouparam elogios para o discreto modelo exibido por ela (era da estilista italiana CAllíope Marcondes Ferraz, casada com Paulo Marcondes Ferraz).

 

Nova campanha

O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, participou de novo programa sobre política no SBT, onde denunciou que a Caixa “rouba R$ 7 bilhões por ano do trabalhador com taxa de FGTS” e que esse dinheiro deveria ser revertido para o trabalhador e não para casas de outras pessoas. E anunciou que fará uma campanha para que outros bancos administrem o fundo. “É a única poupança do trabalhador”.

 

Aqui, não

A Record foi a única emissora brasileira que não dedicou nem um segundo à canonização da Irmã Dulce, no Vaticano e tampouco à comitiva brasileira que viajou para o Vaticano  para acompanhar a cerimônia.

 

Mapa

O Banco Mundial fez um levantamento sobre a folha de pagamento dos servidores federais (menos Banco Central e Abin) e apenas seis dos 27 governos regionais (Alagoas, Maranhão, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina). Os resultados surpreendem: existem 321 carreiras em 25 ministérios, administrados a partir de 117 tabelas salariais. Esse catálogo prevê 179 forma de pagamento e contaram-se 405 tipos de gratificações, 167 delas “por desempenho” e extensíveis aos aposentados. De quebra, há 105,5 mil cargos de chefia.

 

Quanto ganha

Ainda o levantamento do Banco Mundial: 44% dos servidores recebem mais de R$ 10 mil mensais e estão no topo da pirâmide. Em estados como Alagoas, eles têm renda média 60 vezes maior que a dos trabalhadores do setor privado. 53% desse  grupo ganha entre R$ 10 mil e R$ 33,7 mil por mês e 1% vai além, com supersalários. Nas carreiras jurídicas, um iniciante ganha mais de R$ 20 mil. O governo Bolsonaro, através de deputados aliados, quer acabar com isso tudo, só não sabe como.

 

Trem-fantasma

O consórcio Move São Paulo, pilotado pela Queiróz Galvão, acabou vendendo a linha 6 do Metrô paulistano à norte- americana KT2. Só que até  agora ninguém sabe o nome dos acionistas dessa companhia. A KT2 está registrada em Delaware, conhecido paraíso fiscal. A linha 6, por ironia, atende pelo sugestivo nome de “linha laranja”.

 

Minério mágico

A CSN apresentou um super lucro líquido no segundo trimestre da ordem de R$ 1,8 bilhão, mas não resistiria aos expurgos de receitas não recorrentes e ao desastre de Brumadinho, se não fosse o mágico preço do minério de ferro que subiu mais de 40% (e inflou os resultados da CSN Mineração). Caso contrário, seria provável o registro de um prejuízo na mesma faixa do lucro de R$ 87 milhões no primeiro trimestre.

 

Pode quebrar

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema quer acelerar o referendo sobre a venda da Cemig e da Copasa. E joga todas suas fichas no “sim” dos mineiros para pressionar a Assembleia Legislativa a autorizar as duas privatizações. Detalhe: se “não falar mais alto, o governo de Minas quebra”.

 

“Doença terminal”

O PSDB chama o ministro Abraham Weintraub no Twitter de “doença terminal da Educação no Brasil”. É uma resposta  aos ataques feitos a FHC.  Ele comparou o ex-presidente tucano à Aids. Segundo Weintraub, Fernando Henrique “enfraqueceu nosso organismo” e abriu caminho para Lula. “Então, você tem a doença oportunista e você tem a Aids. Quem enfraqueceu nosso organismo foi justamente Fernando Henrique”.

 

Pressionado

Em seu livro Nada menos que tudo, o ex-procurador Rodrigo Janot conta que foi pressionado para parar com as investigações contra Eduardo Cunha. Primeiro, num almoço com o ex-ministro Henrique Eduardo Alves; depois, Cunha ameaçou José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça e ele disse que Janot “tinha autonomia”. O procurador pediu o afastamento de Cunha em dezembro de 2015, dias depois abertura do processo de impeachment na Câmara. E o STF não teve pressa. O ministro Teori Zavascki só levou o caso ao plenário cinco meses depois.

 

Novo programa

A Jovem Pan está estreando o programa Corujão, desenvolvido e produzido pela holding BBL (um dos sócios é Antônio Amaral de Carvalho filho, conhecido como Tutinha). O Corujão terá frequência semanal e se propões a tratar dos games no contexto do universo geek. Terá elenco de influenciadores digitais como Diana Zamborozukj, Hads e Felpy e um bate-papo com convidados além do humorista Mauricio Meirelles.

 

Dedicada a Olavo

Lobão, que rompeu com os bolsonaristas, acaba de escrever uma música dedicada a Olavo de Carvalho. Na letra, diz: “Todo tolo não entende o horizonte/ nem os mistérios do céu/ satisfaz-se feliz com blefe/ de qualquer fariseu/ e o dia amanhece tranquilo/ com graça de Deus/ e os segredos do homem sozinho/ ele chama de seu…”. Mais: Lobão acha o governo “bem pior do que eu pensava”. E emendou: “O Sérgio Moro é fraquinho e o Paulo Guedes uma decepção”.

 

Campeonato

Nada menos do que 14 empresas nacionais e estrangeiras, entre elas a boliviana YPFB e as espanhola Repsol, já demonstraram interesse no contrato de transporte de gás pelo Gasoduto Bolívia-Brasil, no vácuo deixado pela Petrobras. O acordo entre a estatal e a Gasbol para a passagem de 18 milhões de metros cúbicos/ dia acaba dia 31 de dezembro.

 

Até Parmalat

Nas delações do ex-ministro Antônio Palocci são reveladas relações promiscuas entre a cúpula do PT com empresas de laticínios. Ele contou que recebeu propina de R$ 100 mil para interferir junto ao então presidente do BB, Rossano Maranhão Pinto, atual executivo do Banco Safra (Rossano é citado 38 vezes na delação de Palocci) para liberar uma linha de crédito à Parmalat, mesmo a operação sendo “prejudicial” ao Banco do Brasil. Palocci entregou contrato, notas, extrato e procedimento de liberação de crédito do BB.

 

Mão na lama

No último volume dos Diários da presidência, FHC admitia que era preciso “colocar a mão na lama” para negociar com o Congresso. “Na proximidade de todos nós circulam malandros, é difícil evitá-los”. No início de 2011, ficou assustado como apetite de seus aliados pelo dinheiro público. “Há setores políticos da base que são uma podridão. Esse é o problema do Brasil. não é a maioria, mas os mais espertos dominam parte importante da maioria e eles são parte do jogo brasileiro”.

 

Eles se completam

O senador Major Olímpio (PSL-SP) que já tinha demonstrado decepção com a conduta do presidente Jair Bolsonaro, resolveu opinar sobre a confusão de sua sigla. E não tomou partido: “Jair Bolsonaro, o nosso mito, que encantou a população brasileira com 57 milhões de votos, mais o Bivar, que foi quem abriu as portas do partido e permitiu que isso acontecesse. Os dois se completam”.

 

Internação

Ainda sobre Major Olímpio: ele não gostou dos ataques vindos do vereador do Rio e filho do presidente, Carlos Bolsonaro, que o chamou de “bobo da corte”. E fez uma sugestão ao Chefe do Governo: internação. “Quando as ofensas chegarem ao ponto de eu judicializar, eu o farei. São molecagens irresponsáveis que já derrubaram ministro, arrebentaram com fiéis aliados de Bolsonaro. Um péssimo exemplo para o país. Mas comigo o papo vai ser outro. Eu não vou me intimidar por se tratar de filho do presidente. Que se dane. O presidente precisava providenciar a internação psiquiátrica para ele. Não tem outra medida. Mas isso é questão de família”.

 

Aprovado

Levantamento feito pela Paraná Pesquisas no estado de Goiás mostra que o governador Ronaldo Caiado, após nove meses de governo tem 67,3% de aprovação. Mais: 43,2% acreditam que a administração de Caiado é ótima ou boa e apenas 16,9%, ruim ou péssima.

 

Também vai bem

Ainda sobre o levantamento da Paraná Pesquisas em Goiás: por lá, os entrevistados também avaliaram de forma positiva a administração de Jair Bolsonaro, que tem 64,9% de aprovação. 46,8 dos entrevistados avaliam como ótima ou boa e 22,3% como ruim ou péssima.

 

Imoral

Um dos deputados ameaçados de expulsão pelo PSL Bibo Nunes (RS), não se constrangeu nem um pouco com a intimidação. “Para mim, será uma grande honra. O PSL é um partido sem prestação de contas, que mudou estatuto sem conversar com ninguém, totalmente imoral. Estou há meses nessa luta, fui o primeiro a entrar nessa briga. Eu me sinto honrado. É um partido totalmente contrário aos nossos princípios junto ao Bolsonaro. A expulsão confirma que estou completamente certo. É uma placa de ouro que estão me dando”.

 

Impublicável

Jair Bolsonaro ficou ainda mais bravo com o PSL, após a decisão do presidente Luciano Bivar de afastar deputados de cargos em comissões e lideranças porque o apoiarem. E garante que se seu filho Eduardo Bolsonaro perder suas funções na Câmara  (existe a possibilidade de perder o comando do PSL em São Paulo), suas falas a respeito serão impublicáveis.

 

Contornável

Apesar da crise no PSL, o deputado Eduardo Bolsonaro, por incrível que pareça, não demonstra nervosismo e acredita que o conflito interno é contornável e que não deve afetar as discussões das reformas e que os problemas serão resolvidos em breve. E afirmou: “Só para morte não existe solução”.

Frases

“Moro chegou quase como primeiro-ministro, depois virou personagem que Bolsonaro leva para jogo do Flamengo.”

Gilmar Mendes