“EU QUERO ACREDITAR NO MUNDO REAL”

647

Outdoor instigante, amplas realidades

Uma empresa de outdoors está lançando uma pesquisa inusitada em Curitiba. Em cartazes espalhados pelas ruas da capital, ela lança um instigante desafio. Diz o seguinte: “Veja além do seu celular. Aqui fora tudo é real”. O caro leitor talvez possa ver um dos outdoors caso saia à rua e, no caminho, tire os olhos do celular para apreciar a paisagem. Se fizer isso, a campanha terá alcançado seu objetivo.

OUT OF HOME

Como se trata de peça publicitária bancada por um grupo que lucra com a propaganda “Out Of Home” (OOH) ou fora de casa, há sempre um dedo de suspeita. A saída então é visitar o site. Sim, por mais paradoxo que seja, o cartaz oferece um endereço de homepage e, se você o visitar, atraído por aquela curiosidade que deveria instigar todo internauta egresso da vida real, descobrirá números que explicam em parte por que Fox Mulder (o herói de “Arquivo X”) acreditava que as agências do governo estavam sempre prontas a esconder verdades que estavam lá fora. (The truth is out there).

SUBLIMINARES

Eis os dados: 54% das propagandas exibidas online não são visíveis, o que significa que são subliminares. Você é induzido a ver a mensagem sem que realmente queira fazer isso; 61,5% das propagandas visíveis foram, na verdade, visualizadas por não-humanos, ou seja, robôs; somente 8% de todas as propagandas exibidas são vistas por uma pessoa real.

CIDADÃO DO SÉCULO XVII

Parece um mundo despótico. E, de certa maneira, é. Afinal, guardadas as devidas proporções, a informação que transborda da internet, e também a que não transborda, é tão desanimadora em termos qualitativos quanto era, há 300 anos, para o cidadão do século XVII. Ao longo de sua vida, dedicada a trabalhar, a comer e a copular, toda a sabedoria acumulada por ele correspondia ao conteúdo de uma única edição de jornal.

EU, ROBÔ

O site se dispõe então a fazer um teste ao estilo “Prove que você não é um robô”. Pergunta se, nos últimos 30 dias, o leitor fez coisas como segurar um bebê, assistir uma partida de futebol ao vivo, criar um hashtag, visualizar o celular durante uma reunião de família, retuitar um tweet.

ADMIRÁVEL MUNDO NOVO

O objetivo é claro. Fazer com que a pessoa saia de casa e, se estiver ao seu alcance, dar uma espiada em um outdoor. Mas não é só isso. Há mesmo uma compulsão pelas redes sociais e pela internet. Matérias de jornais estampam reuniões de jovens em lanchonetes em que eles, mesmerizados, trocam a conversa animada por visualizações no celular. Estão juntos, mas estão sozinhos. Espera-se que seja uma fase, que em breve tudo isso mude, e não vejamos, na vida real, o que se vê apenas em séries como “Black Mirror”, que trata justamente de um futuro próximo em que avaliações de restaurantes serão destinadas às pessoas. As notas de cada uma determinarão a casta social a que ela pertencerá: alfa ou ípsilon.

Aldous Huxley previa algo parecido em seu “Admirável Mundo Novo”.

ELIXIR DE REALIDADE

O site caianareal.org, eis o seu endereço, propõe um elixir de realidade, a ser administrado com parcimônia dependendo dó grau de dependência virtual de cada um. “Coma um pedaço de bolo com as mãos”, “Equilibre-se na guia de uma rua por um quarteirão”. Vá tomar um “chopes” e comer “dois pastel”. Ou leia um livro de capa a capa. Ah, não esqueça o miolo.


PARANÁ GERMÂNICO, ANTONELLI E WILSON BUENO

Wilson de Araujo Bueno: ele conhece o ‘velho Paraná’; Diego Antonelli: preciosa presença; Fábio Campana: editor antenado

Quando editores de jornais e revistas aliam competência administrativa e visão jornalística, o resultado aparece, notável, exemplar. Digo isto com muita satisfação, ao ler o número de janeiro da revista Ideias, de Fábio Campana. Está melhor do que nunca, mantendo-se ímpar num Estado do porte do Paraná. Não há outra publicação destas plagas que se possa cotejar com Ideias, como revista de temas gerais.

MUNDO POLÍTICO, IDEM

Meu entusiasmo não é pela apenas pela qualidade gráfica e visual da revista. As análises do universo político feitas por Fábio Campana continuam de primeiríssimo nível. De alto coturno, além de colaborações que garantem um lugar único na nossa imprensa. Lá estão Luiz Geraldo Mazza, Mariana Camargo, Adriana Sydor, EdmiIson Fabbri, Solda…

OS ALEMÃES NO PR

A edição de Ideias de janeiro reserva à inteligência uma presença que não me canso de louvar, o jornalista Diego Antonelli. Ele estreia nas páginas da revista com uma sólida análise sobre a contribuição dos germânicos na vida paranaense. Tudo muito bem ilustrado, calcado nas pesquisas que poucos, além de Antonelli, fazem em nosso meio jornalístico.

NA TOPVIEW, PRECISÃO ‘AA’

Comecei a ler, com mais atenção, a revista Topview, que o publisher Leonardo Petrelli mantém solidamente. É leitura obrigatória de um público AA.

Agora tenho mais motivos para ler Topview: a revista ganhou a colaboração mensal do colunista Wilson de Araujo Bueno. Como diz o sintético texto de sua apresentação aos leitores, Wilson “guarda a memória de boa parte vida tradicional sociedade paranaense”.

Outras qualidades apreciáveis no trabalho do colunista são a discrição com que atua e a precisão com que opina e informa.


“PECADO” É DA IMPRENSA, EIS O REPETECO DE BOLSONARO

Carmen Lúcia, Jair Bolsonaro e Hitler: visões diversas

Não tenho especial antipatia por Jair Bolsonaro. Mas com certeza não votarei nele para presidente. Um dos impeditivos para sufragar seu nome é o fato de ele repetir, como todo político de baixo calão, que a ‘imprensa é que é culpada’. Tal como faz agora, transferindo a ‘culpa’ ao jornal Folha de São Paulo, no caso da denúncia feita sobre o auxílio moradia que o deputado recebe em Brasília. Lá Bolsonaro tem apartamento próprio.

NÃO AGE SOZINHO

Aliás, o radical Bolsonaro não está sozinho nesses “maus costumes”, de acusar a imprensa quando ela denuncia falcatruas políticas. Para esses tipos, o ideal é uma imprensa que seja mero boletim de elogios aos poderosos de plantão. É o sonho que alguns ‘notáveis’ ditadores.

Nesses momentos é bom lembrar aquela frase, exclamação antológica da presidente do STF, Carmen Lúcia: “Cala boca já morreu…”


INSTITUTO DOS ADVOGADOS CHEGA PORTUGAL

Advogado Oksandro Gonçalves: idealizador

O Instituto dos Advogados do Paraná (IAP) lança-se em sua primeira iniciativa internacional na promoção de uma série de eventos jurídicos a serem realizados neste mês de janeiro, em Lisboa. A programação é fruto de uma parceria viabilizada pelo associado Oksandro Gonçalves, doutor em Direito, advogado e professor.

PRESTÍGIO

A parceria – informa a assessoria do IAP – foi estabelecida com diversas instituições de prestígio: o Centro de Investigação de Direito Privado (CIDP) da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa; a Universidade de Castela – La Mancha; a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR); a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS); a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP); a Universidade de Fortaleza (Unifor); o Programa de Pós-Graduação em Direito da UFRS e a Academia Brasileira de Direito do Trabalho.

REVISTA LUSO-BRASILEIRA

O primeiro evento da série, de 15 a 17 de janeiro, celebra o terceiro aniversário da Revista Jurídica Luso-Brasileira (RJLB) e tem Oksandro Gonçalves como um dos organizadores. A programação completa pode ser conferida aqui.

Em seguida, de 17 a 19 de janeiro, realizam-se as Jornadas Luso-Brasileiras, também sob a organização de um grupo do qual o advogado associado ao IAP faz parte. Na semana seguinte, nos dias 22 e 23, as Jornadas Ibero-Americanas terão como tema “O futuro do trabalho no mundo globalizado”. A programação inclui apresentações sobre a reforma trabalhista brasileira.


HOUSE CRICKET NO NRF RETAIL’S BIG SHOW

Zeh Henrique e Fabiano Cruz: no big evento mundial

Como fazem tradicionalmente há sete anos consecutivos, os diretores da Brainbox Branding 360, Zeh Henrique Rodrigues, e da HouseCricket, Fabiano Cruz, viajam à Nova York nesta semana para observar as tendências mundiais do varejo apresentadas no NRF Retail’s Big Show 2018, mais importante evento mundial do setor.

Acompanha a dupla um grupo de clientes e parceiros do Grupo OM Comunicação Integrada, que rumam à Big Apple para visitas técnicas às grandes marcas e uma imersão no segmento do varejo.

Todo este conhecimento será transmitido ao mercado local em primeira mão no dia 27 de fevereiro, em uma devolutiva promovida pelo Grupo OM em parceria com o Shopping Mueller e Band News FM, com palestras de Zeh Henrique e Cruz, e também dos consultores Ezequiel Neves (IBM) e Renato Vertemati (Senso E-commerce Solution).

Organizado pela NRF – National Retail Federation, o evento está em sua 107ª edição, acontecerá de 14 a 16 de janeiro, no Jacob K. Javits Convention Center, e receberá mais de 18 mil varejistas, 3,5 mil empresas e 600 expositores de 95 países do globo.


CICLOTURISMO DO IGUAÇU, UMA BOA IDEIA

O deputado Ney Leprevost apresentou na Assembleia Legislativa projeto de lei que institui o “Circuito de Cicloturismo do Alto Iguaçu” no Estado do Paraná.

O projeto tem como finalidade estimular o uso de bicicleta, explorar sustentavelmente o turismo com objetivo de prolongar a permanência dos turistas na região durante todo o ano, incrementar o mercado regional com a criação de empresas voltadas ao ciclismo, valorizar a cultura local, conservar o patrimônio histórico e cultural e divulgar os municípios que integram o Circuito.

OBRIGAÇÕES DE CADA CIDADE

De acordo com o texto, ficarão sob responsabilidade dos municípios:

  • definição das rotas/estratégias que farão parte do Circuito,
  • mapeamento dos atrativos e infraestrutura turística (meios de hospedagem, locais para alimentação, bicicletários e unidades de saúde).
  • E mais: a definição da identidade visual do “Circuito de Cicloturismo do Alto Iguaçu” e a divulgação do Circuito.

QUEM PODERÁ COMPOR O CIRCUITO

Além de Curitiba, farão parte do Circuito: Adrianópolis, Agudos do Sul, Almirante Tamandaré, Araucária, Balsa Nova, Bocaiuva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo do Tenente, Campo Largo, Campo Magro, Cerro Azul, Colombo, Contenda, Doutor Ulysses, Fazenda Rio Grande, Itaperuçu, Lapa, Mandirituba, Piên, Pinhais, Piraquara, Quatro Barras, Quitandinha, Rio Branco do Sul, Rio Negro, São José dos Pinhais, Tijucas do Sul e Tunas do Paraná.

Vista geral de Mandirituba

CORRIGINDO: AINDA DOS BENFEITORES DO NATAL

José Candido Muricy, Elizabeth Castor e Edmilson Fabbri.

Falhar é humano (por exemplo, dias atrás, minha coluna apresentou a palavra intenção escrita com “s). Corrigir pode ser até divino. Por isso, registro que o Natal do Instituto Ciência e Fé de Curitiba, além dos benfeitores já citados em edição anterior, contou também com doações de José Candido Muricy, Elizabeth Castor e Edmilson Mário Fabbri.

Centenas de pessoas se beneficiaram com cestas básicas e outros alimentos, resultantes das doações.


OPERAÇÃO DA GUARDA CIVIL NO BOTÂNICO

Bom sinal é a chamada Operação da Guarda Civil, que ontem a coluna identificou presente, em viatura adequada, no Jardim Botânico. Deve ter propósito de redobrar serviço à comunidade.

Só é bom registrar: dificilmente se encontra um GC no Botânico. Em caso de emergência, não se tem nem telefone da Guarda Civil à disposição dos contribuintes.

Guarda Civil: ausência sentida