Cida Borghetti recebeu nesta segunda-feira (09), no Palácio Iguaçu, as lideranças do G7

Foto: Arnaldo Alves/ANPr

O Governo do Estado está aberto ao diálogo e trabalho conjunto com a sociedade, afirmou a governadora Cida Borghetti às lideranças do G7, grupo que reúne as principais entidades do setor produtivo paranaense. “Queremos o diálogo permanente com o setor produtivo e com os segmentos que representam a sociedade civil”, afirmou a governadora, em encontro com os representantes das entidades, nesta segunda-feira (9), no Palácio Iguaçu.

Ela também apresentou os nomes já confirmados de sua equipe de governo. “Temos uma equipe comprometida com uma gestão eficiente e que produza resultados para a população, em serviços de qualidade. Estamos abertos a sugestões”, disse Cida.

O G7 é formado pelas federações do comércio (Fecomércio), indústria (Fiep), Agricultura (Faep), transporte de carga (Fetranspar), das associações comerciais (Faciap), pela Associação Comercial do Paraná (ACP) e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar).

O coordenador do G7 e presidente da Fecomércio, Darci Piana, destacou que o setor produtivo precisa trabalhar de forma conjunta com o governo estadual em prol do desenvolvimento do Paraná. “Esta primeira reunião com a governadora é importante para confirmar este relacionamento e demonstra, desde o início, a boa vontade de um diálogo franco, aberto e produtivo”, afirmou. “A governadora demonstrou estar à disposição do setor produtivo para conversar olho no olho e discutir o futuro do Paraná”, disse o presidente da Faciap, Marco Tadeu Barbosa.

CONSELHOS – O secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e chefe interino da Casa Civil, Sílvio Barros, explicou que uma das propostas é que o relacionamento entre o Governo do Estado e a sociedade civil organizada se intensifique por meio de conselhos estaduais, como o de Desenvolvimento Econômico e Social e o Conselho de Segurança Pública.

MAKITA DO BRASIL – A governadora também reuniu-se nesta segunda-feira (09) com representantes da Makita do Brasil, multinacional japonesa que vende ferramentas elétricas.

No encontro, o CEO da companhia, Teruaki Okabayashi, e o diretor financeiro, Claudio Azevedo, agradeceram a parceria com o Governo do Estado. Por causa de um decreto assinado pelo então governador Beto Richa em julho de 2017, que introduz alterações no regulamento do Imposto Sobre Mercadorias e Serviços (ICMS), a empresa conseguiu a redução de 6% para 4% no tributo.

“Viemos agradecer esse benefício fiscal, que teve um impacto direto na empresa. Conseguimos fazer mais investimentos e importações com melhores preços”, disse Azevedo, reforçando que sempre teve uma parceria estreita com o governo e espera mantê-la nessa gestão.

A empresa, criada em 1915, chegou ao Brasil em 1981. Em 2008, instalou sua fábrica em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. “O Governo do Paraná entende a grandiosidade do trabalho do grupo, e agradece a geração de renda e emprego para nosso povo”, disse Cida.

GRUPO – Além da fábrica em Ponta Grossa, a empresa tem um escritório comercial e centro de distribuição em São Bernardo do Campo, em São Paulo, oito filiais para atendimento ao cliente e uma rede autorizada com mais de 5 mil revendas.

O grupo produz ferramentas elétricas, a bateria e a combustão que atendem áreas como construção civil, indústria automotiva, marcenarias, marmorarias, jardinagem, agricultura e engenharia.