ESPUMANTE, O VINHO DOS BRINDES.

1519

Osvaldo Nascimento Juniors.:

Finalmente chegou o verão e, com ele, os esperados dias de descanso. Entre os familiares e os amigos, esse é aquele momento em que sentimos uma leve sensação de vitória pelo fim de mais um ano. Ao mesmo tempo, já olhamos para a frente, pensando em novos desafios. E que bebida combina com tudo isso? Claro que um bom e gostoso espumante, cheio de borbulhas para nos fazer rir por dentro. Atribui-se como seu criador, o monge Dom Perignon por volta de 1680, em Reims na França, que ao produzi-la exclamou ” Vejam estou bebendo estrelas”, e hoje toda esta região tem o nome da bebida, Champagne-Ardenne e desde 1927, só pode ser chamado de Champagne o vinho espumante ali produzido com as uvas Chardonnais, Pinot Noir e Pinot Meunier, os demais são Cremants. Termo correto então para a bebida no Brasil é espumante.

MAS O QUE É O ESPUMANTE?  O espumante é um vinho ao qual se adiciona o licor de expedição, que é uma espécie de xarope de vinho que contém bastante açúcar. Ele provoca uma segunda fermentação no líquido e produz as famosas bolhas. De forma simples, os métodos mais clássicos para se produzir espumantes são realizar essa segunda fermentação nas garrafas a (método Champagnoise) ou em grandes tanques de aço inoxidável (método Charmat). A temperatura indicada para se degustar a bebida é abaixo de 09 graus em copo que não deixe escapar as borbulhas (a medida é uma taça para ser degustada em três goles). Um espumante caro é normalmente produzido pelo método champagnoise e licor de expedição, além de seu envelhecimento, deixam-no com um gosto seco, que lembra frutas secas e torradas. Produzidos em vários países, têm suas SUTIS DIFERENÇAS como os FRISANTES, tem menos gás carbônico ou borbulhas (perlagem) que os espumantes e esse gás pode ser produzido naturalmente a partir do processo de fermentação da uva ou injetado artificialmente. É fermentado somente uma vez, ao contrário dos espumantes. Um dos tipos mais famosos de frisantes é o LAMBRUSCO italiano, produzido a partir de uvas como Malvasia e Lambrusco, entre outras. É bastante refrescante, jovem e muito frutado.  Outro frisante conhecido são os CAVAS ESPANHÓIS, feito com as variedades de uvas Macabeo, Parrelada e Xarello, além de alguma porcentagem de Charbonnais, Pinot Noir e Subirat. Introduzida na Espanha por Josef Raventós da Bodega Codorniu, que anos antes visitara Champagne na França trazendo a ideia em 1872, hoje uma das mais famosas no mundo vínico. Destacam-se ainda entre os espumantes mundiais o PROSECCO, da região do Veneto, produzido pelo método Charmat, com 85% uvas GLERA que antes se chamava PROSECCO, é refrescante e leve. Portugal também comparece com ESPUMANTES DE BAIRRADA, com mais de 20 marcas, da região que lhe dá o nome desde 1890 pelo método clássico (Champenoise), produzido com as uvas autócnes (próprias), Maria Gomes, Sercial, Bical, Arinto, Baga e um pouco da francesa Chardonnay. E O BRASIL como está neste planeta vínico? Reconhecidos já mundialmente, nossos espumantes têm seu lugar de destaque principalmente os do Vale dos Vinhedos do RS, Bento Gonçalves e Garibaldi com suas importantes vinícolas como Aurora, Salton, Casa Valduga, Chandon e outras mais não nos esquecendo do VINHO DO SERTÃO, no Vale do São Francisco cada vez melhores, destacando o mais premiado TERRANOVA, que numa parceria das vinicolas Miollo brasileira e Dão portuguesa hoje já é um dos mais premiados internacionalmente.

Eis uma viagem ao mundo dos espumantes para sua escolha nos momentos mais felizes, afinal merecemos umas borbulhas (perlagens) para sentirmos aquele gostinho de vitória e prazer em mais esta ano que encerramos. SAÚDE.

A escolha é sua. AVOE. BRADO DE SAUDAÇÃO A BACO POR SEUS SÚDITOS.

Osvaldo Nascimento Juniors.: