The Letter, espetáculo de mímica e de comicidade, em cartaz há 27 anos, esteve em palcos de trinta países e retorna ao Brasil em outubro, com agenda pela primeira vez em Curitiba. Inspirada em Exercícios de Estilo, do escritor francês Raymond Queneau, a peça trava um incrível diálogo com o público, apenas usando a linguagem corporal, em notável atuação do ator Paolo Nani, italiano naturalizado dinamarquês.
São 70 minutos de perder o fôlego. Criada em 1992 por Paolo Nani e Nullo Facchini, a peça recria a mesma história, encenando-a de quinze maneiras diferentes. O cenário é econômico (cadeira, mesa e alguns objetos), sem trilha sonora e sem palavras. Mas esbanja talento e atiça a imaginação, afinal o ator surpreende a plateia apresentando a mesma cena de trás para frente e em vários estilos – terror, circense, show de mágica, faroeste, filme mudo etc. Todas as variações são muito engraçadas e começa quando um homem entra em cena, bebe algo, cospe e enlouquece quando se vê com uma caneta sem tinta na hora de escrever uma carta.
The Letter é um premiado espetáculo, tendo participado de quatro edições do Festival de Comédia de Colônia e duas edições do Festival Internacional de Londres Mime.
Paolo Nani é também diretor artístico e professor de teatro em diversas escolas especializadas na Europa. Além de The Letter, trabalha na criação de várias outras montagens, em parcerias com companhias europeias.
Imperdível: Caixa Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 280. Fone 2118-5111), de 3 a 6 de outubro, sendo de quinta a sábado, às 20h e no domingo, às 19h. Ingressos, à venda já neste sábado 28, a 30 e 15 reais. Não recomendado para menores de 10 anos.

Alumbramento para as crianças

O espetáculo de contação de histórias Alumbramento circula por escolas públicas de Curitiba, prioritariamente em comunidades com vulnerabilidade e risco social, com objetivo de incentivar a leitura no ambiente escolar por meio da narração de histórias da literatura oral brasileira.
Ana Maria Machado, Figueiredo Pimentel, Ricardo Azevedo, Ruth Rocha e Monteiro Lobato, que publicaram coletâneas de recontos populares de grande sucesso, são contemplados, bem como Guimarães Rosa e Ariano Suassuna, que escreveram contos e romances apoiados em narrativas, estruturas e personagens da tradição oral. Bem como contos coletados por folcloristas como Câmara Cascudo, Mário de Andrade, Silvio Romero e Franklin Cascaes.
Até novembro serão oferecidas, gratuitamente, 120 sessões, além de trinta rodas de leitura, para crianças de 6 a 12 anos. Atingindo ao todo mais de sete mil alunos. Vinícius Mazzon, o contador de histórias deste projeto, é autor do projeto com Michellen Peixoto. Viabilizado pelo Shopping Muller através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, Alumbramento também promoverá seis Oficinas Literárias para educadores e agentes de leitura, numa realização da Travessia e Passaredo.