A especialista em direitos humanos das Nações Unidas que realizou uma investigação sobre a morte de um jornalista saudita pediu que governos de todo o mundo pressionem a Arábia Saudita para que revele a verdade sobre o assassinato.

A relatora especial da ONU, Agnes Callamard, falou em um simpósio na terça-feira em Londres sobre o a morte de Jamal Khashoggi. Ele foi morto no consulado saudita em Istanbul, na Turquia, no ano passado.

Callamard expressou seu descontentamento com o fato do príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, ter sido recebido de bom grado na cúpula do G20 realizada no Japão no mês passado, dizendo que o ocidente arrisca gerar um “déficit democrático” ao não responder ao repúdio público gerado pelo assassinato.

Com NHK