O Paraná continua a enxugar a máquina. Ao máximo possível. O elefante branco da burocracia devora recursos que faltam para investimentos e programas sociais. O chefe da Casa Civil, Guto Silva, reuniu equipes das secretarias da Fazenda, Agricultura e da Procuradoria Geral do Estado para finalizar a segunda etapa da reforma administrativa do governo Ratinho Junior, que será encaminhada à Assembleia Legislativa na primeira quinzena de agosto. Nesta etapa, que será subdividida em pelo menos três projetos de lei, o foco será a junção e reestruturação das autarquias.
Na reunião, os técnicos se debruçaram sobre a economia aos cofres públicos e a modernização da gestão que será proporcionada pela segunda onda da reforma. Na primeira fase, quando reduziu o número de secretarias de 28 para 15 e eliminou 339 cargos, o governo anunciou uma economia de R$ 10,6 milhões anuais. Mas este não é o único resultado esperado. “O objetivo do governo com a reforma administrativa não é apenas economizar, mas enxugar as estruturas, diminuir a burocracia e aumentar a agilidade e a eficiência dos serviços prestados pelo governo”, afirma Guto Silva.

PDT suspende Tabata
A comissão de ética nacional do PDT oficializou nesta quarta-feira (17) a decisão de abrir processo contra a deputada Tabata Amaral (SP) e outros sete parlamentares que contrariaram o partido e votaram a favor da reforma da Previdência, no primeiro turno, na Câmara. Pelo estatuto da legenda, as punições variam desde uma advertência até a expulsão. A comissão tem 45 dias para elaborar um parecer consultivo e a decisão cabe ao diretório nacional, que só deve ser convocado entre setembro e outubro.

Mais sete pela reforma
No dia da votação, 8 dos 27 deputados presentes votaram a favor da reforma: Tabata, Alex Santana (BA), Subtenente Gonzaga (MG), Silvia Cristina (RO), Marlon Santos (RS), Jesus Sérgio (AC), Gil Cutrim (MA) e Flávio Nogueira (PI). Eles desrespeitaram o chamado “fechamento de questão”. No jargão político, quando uma sigla fecha questão, significa que determinou que aquela decisão deve ser cumprida por todos os seus integrantes, sob risco de punição.

Austeridade em Itaipu
O número de viagens de empregados da margem esquerda da Itaipu no segundo trimestre de 2019, em comparação ao mesmo período de 2018, baixou 40%. Os deslocamentos caíram de 1.570, com custo de R$ 3.869.840,35, para 949 (custo de R$ 1.487.692,98). A redução nos gastos foi de 61%, num total de R$ 2.382.147,37 de economia, recursos que serão realocados para outras áreas. O balanço é referente ao segundo trimestre de 2019, em relação a 2018.

Mais economia
Para os próximos três meses, a redução esperada é de mais de 50%, baixando de 1.684 deslocamentos (realizados no mesmo período de 2018) para 838 do planejado de viagens de 2019. No ano passado, as viagens, no período, tiveram um custo de R$ 3.614.983,46. A expectativa é de uma diminuição de R$ 1,8 milhão nesse valor. Gradativamente, a redução será ainda maior, quando for consolidado o processo de transferência do quadro de pessoal de Curitiba para Foz do Iguaçu, centro de comando da usina.

Raquel apoia Lava Jato
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, fez um gesto de apoio à Lava Jato depois de se reunir ontem com oito de seus integrantes no Paraná, incluindo o coordenador da Força Tarefa, Deltan Dallagnol. Durante o encontro, Raquel destacou que “o apoio institucional, financeiro e de pessoal ao combate à corrupção e ao crime organizado, para que a Força-Tarefa Lava Jato cumpra com integridade seus objetivos, continuará”.
Primeiro sinal
Desde o início do vazamento da troca de mensagens entre integrantes da Lava Jato e do ministro da Justiça, Sérgio Moro, essa é a primeira sinalização mais forte de Raquel em favor da atuação do grupo.

Farra dos partidos
Os partidos políticos brasileiros receberam, nos primeiros seis meses de 2019, um total de R$ 365,3 milhões de dinheiro público. O valor é resultado da soma de valores previstos no Orçamento federal e e das multas eleitorais, como determina a legislação eleitoral.

Multas e penalidades
O Fundo Partidário é composto por multas e penalidades em dinheiro aplicadas de acordo com o Código Eleitoral e outras leis vinculadas à legislação eleitoral; recursos financeiros que lhes forem destinados por lei, em caráter permanente ou eventual; doações de pessoa física ou jurídica, efetuadas por meio de depósitos bancários diretamente na conta do Fundo Partidário; e dotações orçamentárias da União. Conforme prevê a lei dos partidos, o valor da dotação anual nunca poderá ser inferior ao número de eleitores inscritos em 31 de dezembro do ano anterior ao da proposta orçamentária, multiplicado por R$ 0,35 (em valores de agosto de 1995).

Reforma ‘radical’
Numa conversa recente com empresários, Paulo Guedes disse ter recebido apelos de gigantes do mercado produtivo pela reforma tributária. Enquanto Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre lançaram suas propostas de reforma em comissões distintas no Congresso – na luta pelo protagonismo da agenda econômica pós-reforma da Previdência –, o chefe da Economia tem conversado com os empresários sobre a proposta que o governo está formulando – uma terceira versão.

Empresários apoiam
Guedes diz ter ouvido dos empresários que eles irão “apoiar qualquer reforma” que o governo fizer, porque a situação é desesperadora. “Curiosamente, o mercado está indo na direção de uma reforma tributária radical e reformadora que nós vamos fazer. Nós vamos já, já começar a falar disso”, diz Guedes.

Greca paga dívida
Enquanto a maioria das prefeituras acumula dívidas e inadimplência com companhias de limpeza urbana na ordem de R$ 16 bilhões, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM) está prestes a encerrar a dívida com o lixo. Já foram pagos 90% dos débitos. Quando assumiu em 2017, Greca encontrou uma dívida com o principal fornecedor de serviço de limpeza urbana de R$ 95,6 milhões. Ao consórcio intermunicipal de gestão de resíduos sólidos urbanos, a dívida era de R$ 30 milhões.

Irregularidades
Uma espécie de máfia que se reuniu para direcionar uma licitação no Detran-PR, favorecer uma única empresa e fazê-la faturar mais de 108 milhões de reais em apenas um ano às custas do consumidor. Essa é a principal conclusão de uma auditoria técnica independente realizada pela 5ª Inspetoria de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado.

Tem mais
Não há ilegalidade na execução das emendas parlamentares, asseguradas pela Constituição. Os governos vão soltando aos poucos, em doses estratégicas. Agora, nos primeiros cinco dias de julho forma empenhados R$ 2,6 bilhões (posterior pagamento), volume maior do que todo o montante liberados em todo primeiro semestre (R$ 1,8 bilhão). Para saciar os parlamentares, essa conta pode aumentar. Com a renovação da Câmara, mais da metade dos deputados não teve chance de fazer emendas no Orçamento de 2019, aprovado no final de 2018. Resumo da ópera: os novatos também querem sua fatia. E os veteranos querem mais do que o governo constitucionalmente deve liberar.

Pai e filho
Esta semana, na Câmara, quando Bolsonaro disse, sobre a polêmica em torno da indicação de seu filho Eduardo para a embaixada de Washington, “se está sendo criticado, é sinal de que é a pessoa adequada”, o 03 lembrou que já devia o mandato a ele. E, no plenário, emendou: “Sou seu filho, indissociavelmente”. Mais: depois que leu nas redes sociais de que o nome de Eduardo para embaixador teria sido indicado por Donald Trump (é pura fake news), Olavo de Carvalho não aguentou: “É uma boa notícia”.

Assinaturas
Nas redes sociais, cresce a campanha pro-cancelamento de assinaturas de Veja por sua fúria contra Sérgio Moro. E circulam gravações entre admiradores do ministro e funcionárias da área de assinatura da revista, que tentam convence-los de que foi um tropeção da publicação. Em várias conversas gravadas, elas colocam a culpa no ex-diretor de Veja, André Petry, afastado há semanas.

Principal
Para o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Jorge Oliveira, que engrossa o coro de apoio a nomeação de Eduardo Bolsonaro à embaixada brasileira em Washington e garante que não é nepotismo, “a principal credencial dele, obviamente, seria ser filho do presidente”. Oliveira já foi chefe de gabinete de Eduardo na Câmara dos Deputados.

Disputada
Além do governador João Doria que quer levar a deputada Tábata Amaral para o PSDB (ela é do PDT e votou pela reforma da Previdência, contra determinação do partido), também o onipotente João Amoêdo, dono do Partido Novo, avisou a parlamentar que as portas de sua sigla estão abertas para ela. Só que não ligou para Tábata: mandou dois assessores falar com ela. Tábata não se entusiasmou.

Memória
Para quem tem memória curta: foi o deputado Eduardo Bolsonaro que indicou o nome de Ernesto Araújo para ser chanceler e o de Filipe Martins para assessor especial na área internacional. No caso de Araújo, com aval de Olavo de Carvalho. Se Ernesto Araújo virar embaixador nos Estados unidos, Filipe Martins poderá ser o principal homem no posto. Mais: a mulher de Eduardo, Heloísa, está entusiasmada com a ideia de ir morar nos Estados Unidos.

Mais um
Também o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) está achando que, em 2022, será um nome potencial para disputar a Presidência da República na condição de “comunista”. Foi ele, à propósito, que arquitetou a exclusão dos estados na reforma da Previdência.

Como qualquer outro
Ainda sobre a indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada de Washington: o presidente do Senado, Davi Alcolumbre disse que ainda não foi procurado por nenhum membro do governo para efetivar a indicação do deputado ao cargo. E acrescentou o presidente pode até indicar, mas que Eduardo deverá passar por uma sabatina antes da aprovação. “Todos são iguais. Bolsonaro tem o poder de indicar. Nós, de sabatinar. Todo mundo passa por sabatina, seja quem for. Pode ser Eduardo, Maria ou José: será sabatinado igual”.

Mais grave
O presidente do PDT, Carlos Lupi, estava disposto a indicar o nome de Tábata Amaral (apesar de afirmar que não quer) para disputa da prefeitura de São Paulo, mas não admite indisciplina no partido. E acha que desobedecer a uma ordem do partido é muito grave. “Quarta terei uma reunião da Executiva Nacional com a Comissão de Ética do PDT para tratarmos dos casos de infidelidade partidária da semana passada. Votar a favor da reforma da Previdência é mais grave ainda que ter apoiado o golpe contra a Dilma. Imoralidade sem tamanho”.

Balde de água fria
Rodrigo Maia, presidente da Câmara, estava se vangloriando pela aprovação da reforma da Previdência numa primeira etapa. Seu nome foi citado como um dos fortes candidatos a disputa presidencial em 2022. Só que cientistas políticos acham que não é bem assim. O fato de Maia não dividir os louros, principalmente com o “criador” do projeto, Paulo Guedes, não foi bem visto pelos brasileiros, sem falar que Maia não tem tantos admiradores assim com a população. Foi um balde água fria nas intenções de Maia e de seu partido, o DEM.

Saída espontânea
Ainda sobre Tábata Amaral: Ciro Gomes, candidato derrotado na disputa ao Planalto e um dos veteranos do PDT acredita que Tábata e os outro sete deputados que não obedeceram a ordem do partido de votarem contra a reforma da Previdência, deveriam pedir sua desfiliação. “Eu acho que o mais digno – não quero particularizar nela (Tabata), porque foram ela e mais sete – é fazer o que eu fiz. Fui filiado e ajudei a fundar o PSDB, que tinha um programa lindo, que tinha uma série de propostas muito sérias, foi para o governo e fez o oposto. Chafurdou na corrupção, nas privatizações, na roubalheira. O que fiz? Saí.”

Reta final
O ano passado, a série Big little lies levou vários Emmys. Agora, a segunda temporada está chegando ao final no próximo domingo pela HBO. É a série que domina a preferência dos telespectadores da TV paga. Celeste (Nicole Kidman) vai bater de frente com a sogra Mary Louise (Meryl Streep) e provar na justiça que ela não pode ficar com suas crianças.

Não vai dar
A Apple acaba de suspender o projeto de instalar sua primeira loja na rua no Brasil, previsto para São Paulo. A péssima performance da economia falou mais alto.

Foro de Brasília
Atrás da possível indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada de Washington está um plano maior de Jair Bolsonaro para a área de relações exteriores. Ele quer usar o 03 para a criação de um Foro de Brasília voltado para reunir as lideranças da direita mundial, que vai de Donald Trump a Recep Erdogan, na Turquia, passando por Matteo Salvini, na Itália e Viktor Orbán, na Hungria. Seria o enfrentamento do Foro de São Paulo, que ainda tentar reunir lideranças de esquerda da América Latina.

Pode barrar
Eduardo Bolsonaro pode ser barrado na Comissão de Relações Exteriores ou no plenário do Senado para embaixada do Brasil em Washington. O diplomata Guilherme Patriota foi reprovado por 38 a 35 votos em maio de 2015 para representar o Brasil na OEA. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre vem segurando indicações de embaixadores exigindo que Mauro Vieira, ex-ministro de Dilma, represente Bolsonaro na ONU.

Em segundo
A reforma da Previdência ficou em segundo lugar nos trending topics do Twitter com 60 mil menções. Mas o primeiro lugar ficou com Carlinhos Maia, que é uma figura bem distante de Brasília com 100 mil menções, que incluía seu casamento com Lucas Guimarães. Carlinhos Maia é conhecido como “Rei do Stories” tem mais de 16 milhões de seguidores no Instagram e quase 2 milhões de assinantes em seu canal no YouTube.

De fora
O governador petista da Bahia, Rui Costa, promoveu seminário para debater políticas para mulheres com a marca do governo Bolsonaro, mas sem qualquer membro do Executivo federal. Participaram os governos do Maranhão, Pernambuco e Paraíba, todos de oposição. E quem falou foi Eleonora Menicucci, ex-ministra de Dilma e sua antiga companheira de cela. Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos não foi convidada e “mesmo que fosse, não iria a um evento petista”.

Na Argentina
Bolsonaro vai, em caráter oficial, a Argentina em outubro. Deverá assinar acordo para construção da primeira de duas hidrelétricas binacionais previstas no Tratado do Aproveitamento Hídrico firmado entre os dois países em 1980 (!). A visita do Chefe do Governo deverá acontecer pouco antes das eleições na Argentina. Em junho, durante passagem por Buenos Aires, Bolsonaro se transformou em cabo eleitoral de Mauricio Macri contra a chapa Alberto Fernandes/ Cristina Kirchner.

Onde está Wally?
Há mais de semana, Dias Toffoli, presidente do Supremo, não publica no site da Alta Corte sua agenda diária. Ele continua de plantão despachando processos urgentes durante o recesso de julho. Só que não dá para saber onde está e tampouco com quem se encontra. Em maio, depois da manifestação com críticas ao STF, decidiu-se que Toffoli não divulgaria mais a agenda com antecedência.

Contanto com o Senado
A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) disse que espera que o Senado reverta o erro cometido pela Câmara, que não incluiu Estados e municípios na proposta da reforma da Previdência. “Seria muito importante que o Senado incluísse Estados e Municípios na reforma e que derrubasse os destaques feitos na Câmara. Tenho ouvido muitas pessoas, de todas as regiões do País, e o sentimento de injustiça frente a esses destaques é geral. O Senado, uma vez mais, pode desempenhar um papel histórico. A Câmara já andou bem, mas o resultado final precisa e pode ser ainda melhor”.

Alinhamento ideológico
O porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, tentou explicar o que o presidente Jair Bolsonaro disse ao falar que indicaria um nome “terrivelmente evangélico” para futura vaga no Supremo Tribunal Federal “Naturalmente, Bolsonaro também buscará um alinhamento ideológico, que seria natural de pessoas que têm como ‘core’ do seu dia a dia os valores de família, os valores contra a corrupção, que é disso que nosso país tanto precisa”.

Contas
Segundo contas feitas pelo Governo, a reforma da Previdência já tem 42 votos dos 49 necessários no Senado para aprovação da reforma da Previdência na Casa. E garante que será mais fácil conseguir o restante do que foi na Câmara dos Deputados.

Até para aposentados
Sérgio Moro não usou o dinheiro (R$ 38 mil) da 13ª Vara Federal de Curitiba para bancar vídeo contra corrupção, conforme novo vazamento, mas poderia. Marcelo Bretas, juiz do Rio, já destinou R$ 250 milhões da Lava Jato no estado para pagar o 13º salário de servidores aposentados de lá e outros R$ 80 milhões foram para a segurança. Bretas também destinou recursos para a construção de um centro de aperfeiçoamento profissional e defesa pessoal dos agentes, na zona portuária do Rio.

Curvas em alta
Kim Kardashian já havia antecipado: o látex é o material da vez para as estrelas (e suas seguidoras) que não cansam de ser sexies. Nos trópicos, os looks de borracha aparecem no tapete vermelho e na novela das nove na Globo, onde Vivi Guedes (Paolla Oliveira) usa e abusa do látex. Também Sabrina Sato tem usado. Um vestido do material pode custar, em média, 500 reais.

Pedra no caminho
Bolsonaro quer indicar o general Osvaldo Jesus Ferreira para a presidência da Embrapa e o agronegócio trabalha pela nomeação do engenheiro Pedro Camargo, ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira e ex-secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, que conta com o apoio da ministra Tereza Cristina. É uma batalha entre dois dos principais grupos de sustentação do governo – militares e agronegócio.

Sem acordo
O jogador Neymar Jr. se reapresentou ao Paris Saint-Germain na segunda-feira (15) com uma semana de atraso. Junto com ele uma “suposta” proposta do Barcelona para ter o jogador de volta. O time espanhol teria oferecido o pagamento de € 40 milhões (cerca de R$ 168,7 milhões) mais a cessão do meia brasileiro Philippe Coutinho e o atacante francês Dembélé. O dono do PSG, Nasser Al-Khelaifi, nem importou: ele quer no mínimo, R$ 936,03 milhões. A princípio, só aceitaria R$ 1.264,90 bilhão.

Com ensaio
Quem diria: amigo que visitou o ex-governador Sérgio Cabral ficou impressionado com o método de atuação antes de qualquer novo depoimento. Ele costuma ensaiar, sozinho, por horas, como falar, o que falar, não errar nomes e datas, enfim ter uma performance competente – na área dele, claro – diante do juiz Marcelo Bretas. Detalhe: as primeiras incursões dos advogados de Cabral em áreas distintas foram recusadas.

Sobre vaias
“O presidente é a maior autoridade do país. Como cidadão brasileiro, tenho que respeitar. Se gostam ou não, é o lugar para as pessoas opinarem. Foi eleito pelo povo. A única coisa que desejo é que ele melhore nossa país e aumente a esperança das pessoas e que todos saibam que o respeito é a base de tudo”. É Daniel Alves, capitão da seleção, sobre vaias nos estádios.

Cala-te
O relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias, deputado Cacá Leão (PP-BA), que aumentou o Fundo Eleitoral de R$ 1,7 bilhão para R$ 3,7 bilhões para o pleito do ano que vem, explicou de maneira mais que transparente a razão de sua decisão. “Foi uma reivindicação praticamente de todos os partidos”. Os mais irônicos acham que o método usado equivale ao perguntar ao macaco se quer banana.

Depois do vendaval
O governo e a cúpula da Lava Jato acham que o pior já passou para Sérgio Moro. Ou seja: se isso se confirmar vai ficar complicado anular o processo do triplex e tirar o ex-presidente Lula da cadeia. Ainda mais depois que a Polícia Federal prender o hacker que saqueou o celular de Deltan Dallagnol, revelando origem das mensagens roubadas. E, acima de tudo, descobrir quem sustenta esse esquema.
Frases