Acaba de ser divulgado os  vencedores do prêmio “Personalidades ADVB 2019”. São eles: a responsável pelo marketing da Tirol,  Giocéli Escorsin; o CEO da Neodent e vice-presidente executivo da Latam Straumann ,  Matthias Schupp e o diretor do Grupo Tacla Shopping, Anibal Tacla. A cerimônia de entrega do Prêmio Personalidades será no próximo dia 24, às 19h30, no auditório da FAE Business School, que reunirá empresários, executivos e líderes empresariais de todo o Estado.

Os profissionais foram os mais votados nas categorias Marketing, Vendas e Empresário do ano, respectivamente. O prêmio tem objetivo de reconhecer e homenagear os profissionais de destaque do Paraná.

A escolha dos profissionais começou no mês passado, por meio de eleição online. Dezenas de profissionais foram indicados e os finalistas participaram de uma votação final dentro de um mailing da ADVB, formado por profissionais das áreas comercial e vendas do Estado.

Na mesma ocasião, a ADVB-PR também irá homenagear com o Prêmio Zilda Arns de Responsabilidade Social a instituição Serpiá – ONG com finalidade clínica terapêutica aliada a espaços sociais.

Criada em 2003 e reconhecida como utilidade pública federal, estadual e municipal, oferece atendimentos a crianças e adolescentes que estão com dificuldade em seu desenvolvimento. A proposta da instituição é acolher, escutar e tratar crianças e adolescentes por meio do livre brincar e do ser criativo, considerando a singularidade de cada um.

Locadoras  no Paraná  buscam integração

Tércio Gritsch, diretor regional da ABLA no Paraná

No Paraná, o setor de locação de veículos está em forte crescimento: entre 2017 e 2018, abriu-se 271 novas locadoras, totalizando 827 empresas no estado. Juntas, elas operam uma frota de mais de 37 mil veículos, segundo dados da Associação Brasileira de Locadoras de Automóveis (ABLA).O segmento, entretanto, está em profunda transformação, devido a fatores como o surgimento de aplicativos como o Uber e o desenvolvimento do turismo e do agronegócio. Para Tércio Gritsch, diretor regional da ABLA no Paraná, um dos desafios da associação no estado é lidar com a heterogeneidade do mercado. “A gente está integrando os associados da capital e de Foz de Iguaçu, voltados ao turismo, com os do interior, focados no agronegócio”, descreve Gritsch.

Ranking das “Melhores Empresas Para Trabalhar”

Hilgo Gonçalves, presidente da Acrefi

A Acrefi (Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento) e a Great Place to Work (GPTW) divulgaram, recentemente,   as 34 instituições financeiras premiadas como “Melhores Empresas Para Trabalhar – Instituições Financeiras Brasil 2019”. Trata-se do primeiro ranking que reconhece boas práticas do setor na gestão de pessoas, em uma iniciativa inédita idealizada e promovida em parceria entre Acrefi e GPTW

Nessa primeira edição, as instituições foram divididas em quatro categorias (Bancos, Cooperativas de Crédito, Financeiras e Serviços Financeiros) e 90 empresas foram submetidas a rigorosos critérios de avaliação, conforme a metodologia do GPTW, que envolve questionários junto aos colaboradores e avaliação das práticas das empresas. Ao final da análise, 34 empresas foram premiadas.

Hilgo Gonçalves, presidente da Acrefi, destaca que iniciativas como essa ajudam a criar um círculo virtuoso envolvendo gestores, funcionários e clientes: “Pela minha experiência de vida, sei que o clima organizacional se torna favorável quando o colaborador é tratado com respeito e é valorizado. Por outro lado, o cliente, ao ser bem tratado pelo funcionário, passa a ser fiel à marca ou ao serviço, melhorando resultados e gerando mais lucro aos acionistas”.

Para Victor Garcia, diretor da GPTW, empresa que é autoridade global em pesquisa de clima organizacional desde 1997, um caminho positivo para a construção de uma sociedade melhor é transformar cada organização em um “great place to work for all”. “Isso será positivo para as pessoas, para as empresas e para a sociedade”, afirma Garcia.

Plataforma reduz custo de capital de giro

Ronaldo C. de Oliveira e Deividi Alexandre Cavarzan, sócios da Giro.Tech

Os microempreendedores Marilze de Oliveira e Silva e Wladir Aielo, sócios de uma fábrica de papéis no município de Carambeí no Paraná decidiram ampliar seu negócio, mas não estavam numa situação financeira favorável. Até que, certo dia, através de uma ligação, receberam a proposta que foi a solução para seus problemas: uma oferta para obterem capital de giro a juros bem abaixo dos praticados no mercado.

A proposta que Marilze recebeu partiu da Giro.Tech, uma fintech recém criada que lançou uma plataforma digital que conecta agentes financiadores dispostos a fazer a antecipação para essas pequenas empresas. “Quem compra quer esticar o prazo para pagamento, mas quem vende precisa receber. Às vezes, o dinheiro leva até 90 dias para entrar no fluxo de caixa do pequeno empresário. Isso impacta no pagamento de suas contas, dos funcionários e até mesmo da matéria-prima de seu negócio. O capital de giro ajuda a pequena empresa a continuar firme em seu mercado”, explica o sócio da Giro.Tech, Ronaldo Campos de Oliveira.

Até o momento, a nova fintech já realizou mais de R$30 milhões em antecipações com uma taxa de desconto a partir de 1%, ou seja, bem abaixo das comumente utilizadas no mercado, que, para o pequeno empresário, geralmente partem de 3% e podem chegar a 10%.