Uma série de propostas foi apresentada pela Rems (Rede Esporte pela Mudança Social) e pela organização Atletas pelo Brasil ao ministro da Cidadania, Osmar Terra, e ao secretário especial do Esporte, Marco Aurélio Vieira, em um encontro na terça-feira (15), em São Paulo.
Durante a reunião, que contou com cerca de 20 participantes, as entidades fizeram uma apresentação sobre elas, citaram alguns trabalhos desempenhados e abordaram a importância da prática esportiva.
A Rems é uma rede que reúne 116 instituições -a Atletas pelo Brasil é um dos seus membros- e que proporciona, por ano, o acesso regular à atividade física a mais de 400 mil pessoas.
Temas como a importância da Lei de Incentivo ao Esporte e a necessidade de um Sistema Nacional do Esporte foram debatidos.
Esse foi o primeiro contato pessoal da ex-jogadora de vôlei Ana Moser, da Atletas Pelo Brasil e do Instituto Esporte & Educação, entidade que integra a Rede Folha de Empreendedores Socioambientais, com o novo ministro da área. No governo de Jair Bolsonaro (PSL), o esporte está subordinado ao Ministério da Cidadania.
“O movimento foi o de apresentar o setor do esporte para todos do ministério e de aproximar as instituições e as pessoas”, afirmou Ana Moser.
Para ela, a apresentação das propostas serviu também para um registro de posicionamento. “Não estamos aí de brincadeira. Estamos organizados. Produzimos conhecimento, temos experiência, é importante colocar essa realidade”, declarou.
Ao final do encontro, a Rems entregou uma carta direcionada a Bolsonaro com propostas, por exemplo, para a ampliação do acesso às atividades físicas e esportivas, para garantia de financiamento público prioritário para prática educacional, para consolidação da participação das organizações da sociedade civil e para estruturação da política esportiva e de lazer.
O secretário-executivo da Rems, William Boudakian de Oliveira, contou que a entidade levou cerca de oito meses para produzir aquela carta, após ouvir as instituições.
“A gente construiu um consenso, com a aprovação de todos os membros, com as pessoas tendo a oportunidade de levar cada um o seu ponto de vista. É um desafio buscar esse consenso, é lento, mas é importante que todo mundo seja ouvido”, declarou o secretário-executivo.
O benefício do esporte para as crianças foi um dos pontos debatidos no encontro que o presidente da Associação Hurra!, Eduardo Pacheco, integrante da Rede Folha, comentou. “Quando a gente fala em esporte educacional, a gente está falando de algo muito maior que esporte. Envolve, por exemplo, formação de valores, formação de caráter e desenvolvimento cognitivo.”
O ministro Osmar Terra também fez uma apresentação, falou sobre ações do governo e disse que vai analisar as propostas.
“Acho que a gente tem que se integrar com a sociedade, principalmente com quem voluntariamente está querendo ajudar. É a obrigação nossa fazer isso”, afirmou. “Aqui [na reunião] tem atletas renomados e que conhecem realmente a realidade do esporte. Não podemos de maneira nenhuma montar políticas públicas sem ouvi-los.”