A professora Marlei Fernandes deixou escapar que a categoria dos professores, aliada aos demais sindicatos de servidores públicos do Estado, está pronta e disposta a entrar em greve no dia 29 de abril, quando se manifesta para lembrar a truculência sofrida em marcha pacífica ao Centro Cívico para reivindicar seus direitos e foi contida, no cacete, pela polícia. Ou seja, o bicho vai pegar se o governo não atender as reivindicações do funcionalismo.

O deputado estadual Soldado Fruet (PROS) questionou a defasagem salarial dos servidores públicos do estado do Paraná. “Desde o congelamento em 2016, tais perdas chegaram a 8,53%. Acrescendo a esse índice o reajuste devido até maio de 2018, de 2,76%, o reajuste devido até janeiro de 2019, de 2,80% e mais a expectativa de IPCA entre janeiro e abril desse ano, que deve ser algo como 1,50%, chegaremos a uma perda salarial superior a 16%, ou seja, a cada ano trabalhado, o funcionário público estadual perde mais de 1 salário mensal”, destacou o deputado.

Soldado Fruet fez um apelo ao atual Governador Ratinho Junior e fez questão de reforçar que a responsabilidade por essa defasagem salarial é do ex-governador Beto Richa. “Acredito que é essencial, até para garantir respeito ao funcionalismo público, que o atual governo encaminhe o mais breve possível a essa Casa de Leis, um projeto visando o descongelamento da data base e, no mínimo, uma proposta de reajuste conforme a inflação dos últimos doze meses, algo como três e meio por cento, pois não respeita o limite prudencial e da lei de Responsabilidade. Isso irá demonstrar ao servidor público que diferentemente do Ex Governador Beto Richa, esse Governo respeita e valoriza seus servidores”, concluiu o deputado.

Idas e vindas

Depois de marchas e contramarchas, muito vem cá, meu bem, a Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia aprovou a reforma administrativa de Ratinho Jr. A proposta, que prevê a redução do número de secretarias de 28 para 15, e segundo o governo resultará na extinção de 339 cargos com economia de R$ 10,6 milhões ao ano, foi apresentada originalmente em 12 de fevereiro, mas desde então sofreu uma série de questionamentos que atrasaram sua tramitação.

Contestação

A principal contestação ao projeto veio de um estudo apresentado pelo deputado Soldado Fruet (PROS), apontando que ao invés de promover redução de gastos, a proposta elevaria as despesas com cargos comissionados em R$ 10 milhões. Isso porque, segundo ele, apesar de extinguir cargos com salários mais baixos, a reforma criaria outros, com vencimentos superiores.

Em pé de guerra

A professora Marlei Fernandes deixou escapar em conversas que a categoria dos professores, aliada aos demais sindicatos de servidores públicos do Estado, está pronta e disposta a entrar em greve no dia 29 de abril, quando se manifesta para lembrar a truculência sofrida em marcha pacífica ao Centro Cívico para reivindicar seus direitos e foi contida, no cacete, pela polícia.

Perdas salariais

O deputado Soldado Fruet (PROS) também questionou a defasagem salarial dos servidores públicos do Estado do Paraná. “Desde o congelamento em 2016, tais perdas chegaram a 8,53%. Acrescendo a esse índice o reajuste devido até maio de 2018, de 2,76%, o reajuste devido até janeiro de 2019, de 2,80% e mais a expectativa de IPCA entre janeiro e abril desse ano, que deve ser algo como 1,50%, chegaremos a uma perda salarial superior a 16%, ou seja, a cada ano trabalhado, o funcionário público estadual perde mais de 1 salário mensal”, destacou o deputado.

Greca no DEM

O prefeito Rafael Greca assinou nesta quarta-feira, dia 3, em Brasília, sua ficha de filiação ao DEM. O convite oficial para que Greca ingressasse na legenda foi feito no dia 22 de março, em Curitiba, pelo presidente nacional do Democratas e prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhães Neto – ACM Neto, e pelo presidente do DEM no Paraná, deputado federal Pedro Lupion.

Muito candidato

Faltarão candidatos na eleição de quatro de outubro de 2020 e os partidos correm atrás de possíveis nomes para formarem chapas competitivas, claro, visando infraestrutura para a eleição estadual e nacional de 2022. O ex-vereador Chicarelli tem um grupo de aproximadamente 40 pré-candidatos à Câmara Municipal de Curitiba e mensalmente se reúne com um potencial candidato à Prefeitura da capital paranaense.

Dos privilégios

Na defesa do fim dos privilégios com a reforma da Previdência apresentada pelo governo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Legislativo tem aposentadoria 20 vezes superior em média à do INSS. Em audiência na CCJ, o ministro destacou que a aposentadoria média dos parlamentares é de R$ 28 mil, enquanto a dos trabalhadores que recebem pelo INSS é de R$ 1,4 mil.

Discrepâncias

Depois de o presidente Jair Bolsonaro questionar as pesquisas do IBGE, o ministro da Economia, Paulo Guedes, citou dados do instituto para ilustrar as disparidades na Previdência Social. Em audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Guedes afirmou que 15,6% da população é rural, enquanto 34% das aposentadorias são rurais.

Lenta e gradual

Na audiência, Guedes disse que a discussão sobre o sistema de capitalização está aberta e que será feita uma transição “lenta e gradual”. “Ninguém propôs o desmanche do sistema atual. A transição é lenta, gradual, jovem por jovem”, afirmou, em resposta à deputada Talíria Petrone (PSOL- RJ), que disse que a reforma é um desmanche da Previdência Social.

Discrepância absurda

O Brasil gasta dez vezes mais com aposentadorias que com educação, disse hoje (3) o ministro da Economia, Paulo Guedes, ao iniciar sua fala na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. Em audiência para discutir a reforma da Previdência, ele disse que o sistema de repartição (onde os trabalhadores da ativa financiam os aposentados) está fadado ao fracasso.

Pressão da Previdência

O ministro destacou que a maior despesa que pressiona o déficit das contas públicas tem sido a Previdência. “Ano passado gastamos R$ 700 bilhões com a Previdência, que é o nosso passado, e gastamos R$ 70 bilhões com educação, que é o futuro. Gastamos dez vezes mais com a Previdência que com o futuro, que é a educação. Antes de a população brasileira envelhecer, a Previdência está condenada”, declarou.

Sem partido

Segundo Guedes, os problemas fiscais decorrentes do crescimento dos gastos com a Previdência estão se impondo aos governos locais, independentemente do partido. “Tenha quem tiver, o partido que tiver, independentemente de quem esteja no governo, esse problema está se impondo”, advertiu. O ministro participou ontem de audiência na CCJ para explicar a proposta de emenda à Constituição que reforma a Previdência. Originalmente previsto para ocorrer semana passada, o encontro foi adiado para hoje porque Guedes tinha cancelado a ida enquanto a comissão não definia o relator da proposta.

Não vai mudar

O presidente Jair Bolsonaro não vai mudar de comportamento e agora, suas novas declarações em Israel de que o nazismo era um movimento comunista, aumentam seu desgaste. Ele está desgastado pelas bobagens que produziu ou que foram produzidas por seus filhos e alguns ministros. A hipótese desse quadro mudar é pequena. Se o governo aprovar o pacote anticrime e a reforma da Previdência, Bolsonaro se cacifa para extrapolar sua ideia das fronteiras do estado e mesmo migrar para outras capitais brasileiras. Pesquisa qualitativa feita entre 230 empresários sinaliza que 58% dos entrevistados acham que ele não concluirá o mandato.

 

Holocausto

Duas horas depois de visitar o Museu do Holocausto, em Israel, onde estão dispostas as plaquinhas com nomes dos que foram assassinados durante a ditadura de Hitler, é que Bolsonaro resolveu defender a ideia de que nazismo foi organizado por esquerdistas. Numa entrevista relâmpago, o Chefe do Governo esqueceu de sua posição e contrariou a própria história, tropeçando na sigla do partido de Hitler. Era “Partido Nacional Socialista” e Bolsonaro pediu ajuda.

 

Socialite

Uma das figuras do Rio que movimentaram o jet set da época, Noelza Guimarães, 79 anos, morreu. Ela brilhou nas colunas cariocas e paulistas dos anos 70 aos anos 90. No passado, era casada com Márcio Braga, ex-presidente do Flamengo. Vivia sozinha.

 

Avaliação

Levantamento feito pela Paraná Pesquisas no estado de Minas Gerais avalia a administração do governo Bolsonaro nestes três meses de governo; 54,7% dos mineiros aprovam, 38,6% desaprovam e 6,6 não quiseram ou não souberam opinar. Mais: somente 37,5% acham a administração do atual Chefe do Governo ótima/ boa; 32,2% regular e 27,5% ruim/ péssima.

 

Governo mineiro

Ainda sobre o levantamento da Paraná Pesquisas: também foi avaliada a administração do governador de Minas Gerais, Romeu Zema no mesmo período: 59,8% aprovam sua conduta; 32,5% desaprovam; e 7,7% não quiseram ou não souberam opinar. Ainda 38,8% dos mineiros acham a administração ótima/boa; 32,4% regular e 25% ruim/ péssima.

 

Entre a cruz e a espada

Circulam boatos em Brasília que grupo de deputados mandou um recado para o presidente Jair Bolsonaro; para ele escolher qual projeto gostaria que fosse aprovado: a reforma da Previdência ou o pacote anti-crime de Sérgio Moro, garantindo que somente um deles irá passar.  Se não for fake news Bolsonaro ficará em uma grande saia justa, porque se um deles não for aprovado provocará a saída e um dos dois grandes nomes de seu ministério: ou sai Sérgio Moro ou Paulo Guedes.

 

Quer discutir

Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, quer retomar a discussão sobre o projeto que trata do abuso de autoridade ainda este ano. “Tem que discutir. O nome já está falando, abuso. É abuso de todo mundo, é abuso policial, é abuso de um médico, é abuso de delegado. Tem que discutir todo mundo, de um político. A gente tem que discutir”.

 

Multada

O Procon-SP resolveu multar a empresa Empiricus, aquela que a funcionária Bettina falava que havia chegado a um patrimônio de R$ 1 milhão depois de três anos, com investimento inicial de R$ 1.552, por propaganda enganosa. A multa será aplicada por meio de um processo administrativo que poderá variar de R$ 650 até R$ 9 milhões.

 

Sem intromissão

Antes de embarcar de volta ao Brasil, o presidente Jair Bolsonaro disse que irá se esforçar para conseguir que a reforma da Previdência seja aprovada, e se possível ainda neste semestre. Só que garantiu que agora não depende dele e que o projeto já estava nas mãos do Congresso.  “No que depender de mim, farei gestões. Eu conheço mais da metade dos parlamentares, fiquei 28 anos lá dentro e sei como aquilo funciona. Posso dar sugestões, mas não quero me meter porque agora estou em outra Casa”.

 

Pula Brejo

O governador de São Paulo, João Doria vem exibindo durante o dia quase um uniforme: seus ternos são azul escuro, justíssimos e calças – surpresa – não descem até cobrir parte das pernas. No passado, calças desse tipo eram rotuladas de “pula brejo”. E Doria também mantém, como complemento, sapatos quase na cor mostarda.

 

Na lista

O próprio ministro da Economia, Paulo Guedes, resolveu se encontrar com dirigentes e executivos de empresas para falar sobre o projeto da reforma da Previdência. Guedes sabe que há pontos sobre o funcionalismo a favor e contra.

 

Duelo

O general Santos Cruz, da Comunicação Social, deverá assumir o comando da Secretaria Geral do Governo, antes ocupada por Gustavo Bebianno. Santos Cruz, também anda batendo em Olavo de Carvalho, ex-astrólogo e guru do governo. Olavo virá logo ao Brasil, para acompanhar a votação da Previdência.

 

Dando moral

Por falar em Olavo de Carvalho, o ex-astrólogo é um dos entrevistados do programa Conversa com Bial, que este ano trará algumas entrevistas feitas no exterior. Será a primeira da nova temporada do programa e irá ao ar dia 9. Foram meses de conversas para se chegar a um acordo e com certeza será polêmica. Quem não gostou foi Jair Bolsonaro, ele quer distância da Globo.

 

Definição

Definição feito pelo deputado federal Newton Cardoso Jr (MDB-MG) sobre o Brasil, causou estranheza e alguns ataques de riso. Ele disse: “O Brasil é uma carcaça de Fusca, com motor de Ferrari, tanque de combustível de moto 50cc, carregando a carga de uma jamanta”.

 

Bons amigos

Nathalia Dill e Sérgio Guizé mostram que nem todo fim de relacionamento termina mal e que podem ser bons amigos. Ambos irão trabalhar na próxima novela das 21h A Dona do Pedaço. Guizé será disputado por Fabiana (Nathalia Dill) e Vivi (Paola Oliveira). Atualmente ele namora Bianca Bin e Nathalia, o músico Pedro Curvello.

 

Primeiro campo

Os historiadores estão perplexos diante da nova referência sobre o nazismo feita por Jair Bolsonaro. Todos concordam que foi um movimento de extrema direita. O primeiro campo de concentração, em Dachau, foi inaugurado com envio de comunistas e socialistas, recebendo depois judeus, ciganos e homossexuais. E isso está nos livros escolares.

 

Bancos públicos

Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal emprestaram em fevereiro, com juros subsidiados, através do BNDES, um volume equivalente a R$ 3.241 bilhões, com recursos livres com juro médio de 38,5% ao ano. E concederam ainda outros R$ 1.489 bilhões, com recursos direcionados pelos bancos públicos com juro médio de 7,5% ao ano.

 

Chapa preta

Os senadores Jaques Wagner, Álvaro Dias e Davi Alcolumbre, presidente da Casa, enviaram à área administrativa do Senado pedido para “esconder as chapas pretas de seus automóveis” para que possam transitar com “naturalidade”. Álvaro Dias não quer ter “privilégios de autoridades”, usando chapa preta e Jaques Wagner ficou apenas na “consulta”. Cada senador, a propósito, custa mais de R$ 210 mil mensais.

 

Mais dinheiro

O ministro Paulo Guedes, da Economia, mandou aumentar a verba publicitária para a campanha da Previdência. Serão R$ 60 milhões, remanejados do Ministério da Economia para a Secretária da Comunicação da Presidência. O governo já usou R$ 17 milhões e o resultado é quase zero. Michel Temer torrou R$ 190 milhões e não conseguiu aprovar sua proposta de reforma da Previdência.

 

Outra tragédia

Enquanto as redes sociais discutem o nazismo, Modesto Carvalhosa alerta para mais uma tragédia brasileira. A mensagem diz: “Tragédia anunciada. 1.Fundo da Vergonha custeia campanhas políticas; 2. O projeto de lei do deputado Paulinho da Força anistia partidos eximindo responsabilidade fiscal, ou seja, 3. Vitória da impunidade, você paga”.

 

Ataque e contra-ataque

O presidente Bolsonaro não acreditou no resultado das pesquisas feitas do IBGE sobre o desemprego nacional e ganhou uma nota: “A nossa metodologia é internacional e segue as recomendações da Organização Internacional do Trabalho”.

 

Bye, bye

A Disney, que se recusa a confirmar a saída da Fox Sports, está conversando com grupos estrangeiros para a venda da emissora. É a condição imposta pelo Cade para aprovar a fusão entre o grupo e a Fox no Brasil. Os norte-americanos, a propósito, detém outro canal esportivo, a ESPN.

 

Protesto

O Conselho Tutelar da Infância e da Adolescência da Zona Sul do Rio resolveu protestar para valer: esta semana, não abriu as portas, atendendo as pessoas na calçada. Reclamavam contra a escassez financeira que atinge os conselhos tutelares na cidade. O Conselho da Zona Sul, por exemplo, tem um cardápio sortido de problemas: falta de água no banheiro até constantes quedas no sistema de informática, que não permite o acompanhamento dos casos registrados.

 

Sem máscara

O britânico Financial Times acaba de publicar matéria sobre o guru de Jair Bolsonaro, o ex-astrólogo de Carvalho e diz que ele “escorregou”. Antes “plácido e educado”, agora o “ideólogo hardcore explodiu em insultos”. O jornal demonstrou extrema polidez ao descrever o tsunami de palavrões que Carvalho tem disparado contra gente do governo.

 

Saiu caro

Os homens do mercado acham que “malgrado a pororoca, as baixas por ora são apenas espumas”. E lembram que Paulo Guedes sempre foi “arrogante” e “agressivo”, especialmente quando avisa que vai embora se as reformas não saíres. O que eles se irritam loucamente com Guedes é que ele “não controla Bolsonaro”. E repetem: “O mito saiu caro”.

 

Devendo a sogra

Mariasita de Sousa Marques, 86 anos, sofrendo do mal de Alzheimer, está processando seu ex-genro, o governador Wilson Witzel, do Rio, por uma dívida de R$ 115,1 mil. O processo corre desde 2005: o empréstimo foi feito cinco anos antes para quitação de um imóvel. Agora, intimado, Witzel terá de se manifestar sobre o débito (corrigido) ou ter suas contas bancárias bloqueadas.

 

Patinetes

Os patinetes eletrônicos estão ganhando as ruas de São Paulo rodando especialmente nas faixas destinadas a bicicletas. E já protagonizaram trombadas com as bikes e mesmo às pessoas. Os patinetes alcançam velocidade e não são fáceis de brecar.

 

Destino

A ideia de levar a deputada Joice Hasselmann (um milhão de votos) para o núcleo central mais próximo de Bolsonaro não deverá dar certo. Os mais lúcidos querem que ela permaneça como líder do governo no Congresso. Os colegas gostam dela, Joice tem boa circulação, não se esconde, fala o que tem de falar e o Planalto não teria ninguém para colocar no lugar dela.

 

Data center

A TCS, gigante da área de TI controlada pelo indiano bilionário Ratan Tata, planeja instalar um data center no Brasil. É projeto para mais de R$ 500 milhões.

 

Quanto falta

Segundo pesquisa da FGV, o Brasil precisaria crescer 5,7% até o final de 2020 para que está não seja a pior década de resultados dos últimos 120 anos. E o PT insiste em dizer que não tem nada a ver com a história.

Frases

 “Não é possível negar que houve uma ditadura no país. Não se pode apagar o passado.”

João Doria, governador de São Paulo,