Iso Fischer tem apoio da Procuradoria Geral da República

Acredite-se ou não no poder terapêutico da Homeopatia, com seus postulados que até podem soar estranhos para muitos, o fato é que ela é reconhecida como Especialidade Médica. É, por isso, aceita pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), e Associação Médica Brasileira (AMB) e só podem praticá-la – ou ensinar Homeopatia – médicos devidamente habilitados como tais.

A importância da Homeopatia no Brasil não pode ser desconhecida: o país é o segundo maior centro mundial, depois da Alemanha, a reunir médicos formados por escolas regulares de Medicina (reconhecidas pelo MEC) que escolheram os postulados e ensinamentos de Samuel Hahnemann para seu exercício profissional.

O básico da Homeopatia centra-se no enunciado “Similia Similibus Curantur”, curando com o semelhante.

O multitalentoso médico Iso Fischer, formado pela USP – o que dispensa maiores apresentações -, presidente da Associação Médica Homeopática do Paraná (400 associados) está agora reafirmando seu alerta às autoridades policiais e do judiciário: há pessoas físicas e jurídicas ministrando (depois de farta publicidade) curso pra “formar homeopatas leigos”. O que é fundamentalmente crime, porque homeopatia só pode ser exercida por médicos.

PROVA ANUAL

Iso Fischer, com mandato de presidente da Associação Médica Homeopática do Paraná, até 2020, explica:

– E existe uma prova anual para receber um Título de Especialista em Homeopatia desde 1990, organizada e oferecida pela Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB), que, por sua vez, é filiada à AMB).

(Cabe exclusivamente à Associação Médica Brasileira a emissão dos títulos de especialista e certificados de área de atuação concedidos pelas sociedades de especialidades, regularmente filiadas e aprovadas pelo CNE.)

É CRIME EXERCÍCIO ILEGAL

Sendo uma especialidade médica (que também pode ser exercida por Odontólogos e Médicos Veterinários), sua prática por leigos constitui-se em crime. Pois trata-se de um Ato médico.

Segundo reafirma Fischer, o desrespeito à lei vem acontecendo: há vários casos de Cursos de Homeopatia sendo oferecidos a leigos, aqui no Brasil.

PROVIDÊNCIAS

A AMHB já vem tomando providências, denunciando junto à PGR e ao Conselho Federal de Medicina, requerendo a suspensão dos cursos denunciados.

Christian Samuel Hahnemann: fundador da homeopatia

A divulgação de cursos, alguns divulgados como especialização ou pós-graduação e tratamentos oferecidos por não médicos a profissionais não médicos, sem qualificação e capacitação para tais fins “é um absurdo equívoco e em descompasso com a emissão dos títulos de especialista no Brasil”, acentua Fischer, que diz mais:

– Esse exercício ilegal da Homeopatia gera iminente risco aos pacientes e consumidores leigos que são submetidos ao tratamento por falsos especialistas.

NÃO É INÓCUA

A homeopatia não é inócua, (“se não fizer bem, mal não faz”) ao contrário, tem efeitos muito marcantes e, se mal prescrita ou erroneamente mantida, pode causar e causa grandes danos à saúde.

Por ocasião do período pré-eleitoral, neste ano de 2018, alguns candidatos a cargos políticos, fizeram um termo de cooperação junto à AMP, se comprometendo a defender a medicina em suas gestões.

Um dos caminhos deverá ser o contato com esses políticos da nossa região, que foram eleitos, para buscarmos criar um ambiente político favorável à nossa especialidade.

Além de estarmos atentos a divulgações referentes a novos cursos para leigos, e continuarmos a denunciar.

DECISÃO JUDICIAL NO TRF- 2

O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro, através da Comissão de Defesa das Prerrogativas Médicas (Codeprem) ganhou, no dia 15 de março de 2018, ação no Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região contra o Instituto Tecnológico Hahnemann, cujo nome fantasia é Homeobrás, que oferecia um curso de Formação em Ciência da Homeopatia de forma ilegal.


Na posse de Xisto

Advogados Marcelo Teixeira e Cléverson Marinho Teixeira, o desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira e o fundador do Diário Indústria&Comércio, Odone Fortes Martins, durante a cerimônia de posse da nova gestão do Tribunal de Justiça do Paraná.

Judeus do Paraná: quem são eles, quando chegaram?

Jaime Lerner, Fani Lerner, Saul Raiz, Saulo Raskim, Paulo Bromfman, Alexandre Knopfholz, Arthur Grimbaum, Miguel Krigsner, Maurício Brik, Joel Ilan Paciornik (hoje ministro do STJ), Ary Zugman, Max Rosenman.

A edição de fevereiro da Revista Ideias traz uma ampla reportagem, produzida pelo jornalista Diego Antonelli, que conta a saga dos judeus no Paraná. A primeira onda imigratória do povo judeu para o Paraná começa em 1889 e segue até 1929. Os primeiros imigrantes judeus eram oriundos da Galícia Austríaca. Vieram, primeiramente, cinco homens e três mulheres da família Flacks e dois irmãos da família Rosenmann. Eles se estabeleceram na então colônia agrícola Thomaz Coelho, criada em 1876, onde hoje é a cidade de Araucária.

NO COMÉRCIO

Ao se instalarem em solo paranaense, assim como ocorreu no restante do Brasil, os judeus se dedicaram às atividades comerciais, vendendo principalmente produtos agrícolas, especialmente cereais. Os Flacks e os Rosenmann uniram-se e organizaram um armazém de secos e molhados.

Ao deixar a colônia de Thomaz Coelho, a família Rosenmann foi para o centro urbano da cidade de Curitiba e instalou, no centro da cidade, um moinho a vapor, e, com o passar dos anos tornou-se um líder da pequena comunidade judaica que já se formava.

CENTRO ISRAELITA

Para congregar os imigrantes foi fundada no ano de 1913 a União Israelita do Paraná, em Curitiba, com atividades religiosas e culturais.

Revista Ideias, Fevereiro/2019

Oficialmente, como aponta Regina, o grupo judeu nessa época já era constituído por 12 famílias e mais 17 homens, alguns solteiros e outros que haviam chegado sem as respectivas esposas ou outros parentes. Em 1920, esses primeiros judeus organizaram o Centro Israelita do Paraná.

Em 1925, através de uma doação, a comunidade judaica estabeleceu o seu primeiro cemitério, no bairro Água Verde.

HOLOCAUSTO

A reportagem de Antonelli não deixa por menos a terrível perseguição nazista contra os judeus. A matéria conta histórias de pessoas que fugiram do Holocausto e vieram para o Paraná tentar reconstruir suas vidas. O Museu do Holocausto, sediado em Curitiba, possui catalogadas histórias de aproximadamente 100 sobreviventes do Holocausto que reconstruíram suas vidas no Paraná. Hoje, são seis sobreviventes vivos que residem na capital.

LEMBRANDO ALGUNS

Os judeus têm tido desde o século 19 papel importante na vida paranaense, nas ciências, Medicina, de forma especial, nas artes, na política, no Executivo do Estado, no Direito, nas artes.

NOTÁVEIS PARANAENSES

À parte a narração de Diego Antonelli, a coluna lança seu olhar em torno de judeus – brasileiros ou não – fortemente associados à vida paranaense. Alguns morreram, outros continua aqui, contribuindo com o Paraná:

Dentre eles, Jaime Lerner, Saul Raiz (ex-prefeito de Curitiba), Moyses Paciornik (Medicina), Julio Pechmann (Arquitetura), Jaime Guelman (Médico), Miguel Krigsner (industrial e empreendedor ambiental), Maurício Schulman (área da energia elétrica), Manoel Knopfholz (educador e consultor empresarial), Szyja Ber Lorber (jornalismo), Alexandre Knopfholz (Criminalista), Fani Lerner (Serviço social), Ester Proveller (Artesanato paranaense), Cecília Krigsner (empresária), Rafael Dely (Urbanismo), Segismundo Morgenstern (Administração), Salomão Soifer (empresário), Hélio Bruck Rotenberg (alta tecnologia e Administração), Leo Kriger (Odontologia e UFPR), Clarita e Henrique Naigeboren (administração pública), Zezo Zindeluk (Medicina), Sara Schulman (vida comunitária), Maurício Brik (Medicina), Arthur Grinbaum (empresário), Saulo Raskim (Genética, UFPR), Milton Naigeboren (Arquitetura), Sale Wolokita (Teatro), Ronald Simon (Pintura), Maurício Brik (Medicina), David Federman (Político, in memoriam), Ronald Schulman (Direito), Isaac Baril (Agronomia e liderança comunitária), Paulo Bromfman Medicina)…


NOTÍCIA DOS OUTROS:

Para Veneri, Sanepar “enfia a faca”

(Assessoria de Imprensa de Tadeu Veneri)

Tadeu Veneri

Antecipar o reajuste da tarifa de água, que vinha sendo cobrado em parcelas, equivale a “enfiar a faca” no consumidor paranaense. A crítica foi feita pelo deputado Tadeu Veneri (PT) na sessão desta quarta-feira, 6, na Assembleia Legislativa, ao comentar as declarações do presidente da Sanepar, Claudio Stabile, sobre a possibilidade de aplicar em até três anos o reajuste de 25,63% que estava previsto para ser parcelado até 2025.

AUTORIZADO

Este reajuste foi autorizado pela Agência Reguladora do Paraná em 2017 a título de recomposição da tarifa, que estaria defasada durante os governos anteriores. Além deste aumento, a tarifa da Sanepar ainda é corrigida uma segunda vez para a reposição da inflação, anualmente, em abril. Para Veneri, o governador do Estado deveria intervir na direção da empresa antes que a antecipação seja executada. “O governador deveria exonerar essa diretoria antes que cometam essa loucura”, disse.

MAIS PARA ACIONISTAS

Na origem dos sucessivos reajustes das tarifas da Sanepar que já somam 123 % em seis anos, está o aumento da remuneração dos acionistas de 25% para 50% aprovado pelo ex-governador Beto Richa. Ele voltou a defender a redução dos dividendos dos acionistas. “A Sanepar não pode existir para dar lucros a acionistas e investidores. A empresa existe para levar água e saúde pública aos paranaenses”, disse Veneri.

NOVO REAJUSTE

O próximo reajuste anual deve ficar em torno de 15% para uma inflação no período de menos de 4%, assinalou o deputado. Em março, a empresa deve divulgar o lucro de 2018, que gira em torno de R$ 900 milhões.


DOS LEITORES:

Novos guardiães da memória Telepar

Olá, Caríssimo Amigo e Professor Aroldo Murá,

Em 2013, o Amigo publicou extensa matéria – link abaixo – sobre a comemoração simbólica do Cinquentenário da Saudosa Telepar, com amplo destaque à Astelpar – Associação dos Aposentados, Pensionistas e Participantes de Fundos de Pensão do Setor de Telecomunicações no Paraná, idealizadora do evento.

O LIVRO

O livro sobre TELEPAR

Posteriormente, também, o Amigo deu ampla cobertura sobre o lançamento do Livro “Telepar, a revolução das telecomunicações no Paraná”, em dezembro de 2017, na FIEP, durante evento cerimonioso naquela Federação, reunindo mais de 600 pessoas.

MUITAS LUTAS

E nesse ano a Astelpar comemora o Ano 30, Jubileu de Pérola, lançando a sua história – de muitas lutas e sucesso – em livro, em julho/19, em evento semelhante ao do lançamento do Livro da Telepar. A editoria do livro é do jornalista Walter Werner Schmidt.

A comemoração será em 13 de julho de 2019 – sábado – a partir das 11h, no Restaurante Dom Antonio em Santa Felicidade.

NOVA DIRETORIA

Em 01 de janeiro de 2019 foi empossada a nova Diretoria, para a gestão 2019 a 2021, assim formada:

DIRETORIA EXECUTIVA

Presidente: Cleomar Justiniano Gaspar;

Diretora Administrativa-Financeira: Maria Angélica Fonseca da Silva;

Suplente Diretor Admin-Financeiro: Paulo Arruda Bond;

Diretor Ação Social: José Francisco Cunha;

Diretor Jurídico: Álido Lorenzatto;

Diretor de Planos Sistel e Outros: Enrique Fernandez de Aramburo Pardo;

Diretor de Planos Fundação Atlântico: Fernando Antonio Alves.

CONSELHO FISCAL

Efetivos: Pedroair José Buest; Mauro Olandoski; Laécio Claudio Werneck.

Suplentes: Fernando Nunes Patrício; José Atair Castanharo; Bráulio José Simões.

COLABORADORAS

Maria Luiza Vallejo (Malu), Maria Aparecida Villas Boas (Cidinha) e Nilda Mariza Pranke.

AGRADECIMENTO

Respeitando a disponibilidade de espaço e interesse do tema à sua coluna, ficaremos imensamente agradecidos pela divulgação do evento aos seus leitores.

JOSÉ FRANCISCO CUNHA, Curitiba

https://www.diarioinduscom.com/estilo-telepar-de-ser-empresa-tem-festa-de-empregados-veteranos/


Defesa quer caso Lula fora de Curitiba

Ministra Carmen Lúcia: relatora

Em pedido protocolado no Supremo Tribunal Federal (STF), a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) solicitou que a ação relativa ao sítio em Atibaia seja retirada da 13.ª Vara Federal de Curitiba, que condenou Lula nesta quarta-feira, 6, a 12 anos e onze meses de reclusão, e enviada para a Justiça Federal de Brasília. Com isso, os advogados do petista pedem que todas as decisões tomadas pela 13.ª Vara na ação, sob comando da juíza Gabriela Hardt, sejam anuladas.

O pedido, sob relatoria da ministra Carmen Lúcia, foi feito à Corte na manhã de quarta, horas antes de ser publicada a condenação por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro no processo do sítio.

(O ESTADO DE SÃO PAULO)


Candidata a prefeita de São Paulo

Sede da Prefeitura de São Paulo

O nome da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) já começa a aparecer como forte candidata a candidata a prefeita de São Pulo, no ano que vem. Ela não desmente a possibilidade. Diz-se que vai contando muito com o embalo fácil que seu nome teve nas redes sociais. E também com o apoio do presidente Bolsonaro.


E-mail ressurge, com toda força

O The New York Times publicou na sua edição de segunda-feira, 4, uma ampla análise do “reavivamento” do e-mail no mundo empresarial e entre todos os que até o haviam dispensando em favor de redes como o FaceBook.

Também, não deixa de reconhecer que uma boa fatia dos ligados à web, no mundo todo, jamais dispensou o e-mail, muito por seu valor documental estabelecido, dito insubstituível.

Nada de propalar, pois, que o e-mail é jurássico.


Velho “Zapata” está preparando armas

Praça Salete, no Centro Cívico

“El Diablo”, ou velho “Zapata”, como queiram, está arregaçando as mangas para expor sua virulência crítica, muito conhecida e respeitada ao longo dos últimos 40 anos.

“Ele parece estar dormindo. Mas, na verdade está de olhos bem abertos em direção a áreas do Centro Cívico”, garante à coluna um veterano jornalista.


ATUALIDADES:

Guarda Suíça se moderniza e estreia capacetes impressos em 3D

O papa cumprimenta soldado da Guarda Suíça (Antoine Mekary – ALETEIA – I.Media)

Os anteriores custavam muito mais caro e esquentavam consideravelmente no sol do verão de Roma

Maria Paola Daud / Aleteia

No dia 22 de janeiro, na ocasião do seu 513º aniversário, a Guarda Suíça Pontifícia estreou novos capacetes. Os acessórios são inovadores e foram feitos em impressoras 3D na Suíça. Eles são mais resistentes aos raios ultravioletas e mais leves do que os antigos, de metal.

O novo modelo (embora com mais tecnologia) segue a proposta original do século XVI e possui canais de ventilação que ajudam a proteger os soldados das intempéries.

Cada capacete custa cerca de 800 euros, a metade do que custavam as versões anteriores de metal. O tempo de produção também foi consideravelmente reduzido, já que eram necessárias 100 horas para produzir o capacete de metal (agora, a impressão em 3D é feita em 14 horas).

Este é o primeiro passo na modernização da guarda particular do Papa. A corporação já pensa em usar uniformes com tecidos mais transpiráveis e impermeáveis.

Clique em “Abrir a galeria de fotos” para ver os detalhes do novo acessório! (https://pt.aleteia.org/slideshow/nuevos-capacetes-da-guarda-suica/?from_post=234473)


Paraná cria ambiente político para projetos de infraestrutura

Governador apresenta projeto ligando os portos de Paranaguá e Antofogasta, no Chile no Show Rural (Foto: Arnaldo Alves/ANPr)

Governador Ratinho Junior afirma que Estado busca excelência em logística. Além da ligação entre Paranaguá e Antofogasta (Chile), ele falou da Ferroeste e dos planos de concessão de rodovias e aeroportos.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior afirmou nesta quinta-feira (7) que o Governo do Paraná atua para criar um ambiente político para projetos de infraestrutura. A estratégia, afirmou, é buscar a excelência em logística para o escoamento dos produtos paranaenses.

“Não adianta ter excelência na produção do campo e não ter o mesmo nível de qualidade em logística para conseguir entregar os produtos para o mundo”, disse ele, em entrevista coletiva no Show Rural Coopavel, em Cascavel, Oeste do Paraná.

Um dos projetos é o do corredor bioceânico ligando os portos de Paranaguá e Antofogasta, no Chile. Ratinho Junior disse que já tratou dessa proposta com o presidente Jair Bolsonaro e, também, com os ministros da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A proposta já foi apresentada ao diretor-geral paraguaio da Itaipu, José Alberto Rodríguez, e será pauta de agendas com os embaixadores da Argentina, Paraguai e Chile.

“Temos que criar o ambiente político para fazer com que os presidentes façam adesão ao projeto. Acredito que vamos avançar nisso”, salientou Ratinho Junior. “Depois desta etapa, vamos procurar viabilizar o projeto executivo, e a Itaipu pode ser a grande financiadora. A etapa seguinte à concessão por 40 ou 50 anos”, explicou.

FERROESTE

Outra iniciativa voltada a aperfeiçoar a logística é a ampliação da estrutura ferroviária do Estado para fazer com que os trilhos da Ferroeste cheguem até o Porto de Paranaguá. “A ideia é fazer com que a Ferroeste seja a saída estratégica, em especial para atender toda a região Oeste do Paraná, além de escoar a produção do Paraguai e do Mato Grosso do Sul”, disse o governador.

Para isso, o Governo do Estado está estudando como ampliar a ferrovia através da Serra do Mar de forma ambientalmente sustentável. “Nosso trabalho agora é conversar com ambientalistas, ONGs e Ministério Público para acharmos o traçado com o menor impacto ambiental”, explicou. “Nosso desafio é fazer com que a soja produzida no Oeste esteja dentro do navio em 30 horas”, disse Ratinho Junior.

CONCESSÕES

O governador citou também as concessões como caminho para aprimorar a infraestrutura do Paraná. Ele destacou a parceria do Paraná com o Governo Federal, com a criação de um comitê para discutir os projetos de concessão de aeroportos e rodovias do Estado.

O comitê ficará responsável pela discussão sobre a renovação da delegação das rodovias federais que formam o Anel de Integração e o processo de abertura de um novo processo de concessão deste e de outros trechos de estradas que cortam o Estado.

SHOW RURAL

No encontro com a imprensa, o governador também destacou o papel do Show Rural na difusão da tecnologia e inovação no campo. “É a vitrine do agronegócio paranaense para o mundo”, afirmou. “Minha missão é estar junto com o setor agrícola e fazer com que Paraná passe a ser o maior protagonista no mundo na geração de alimentos”, destacou.

O evento chega à sua 31ª edição e bate recorde de público. “O Show Rural tem estimativa de movimentar quase R$ 2 bilhões em negócios”, afirmou o secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara. “É uma universidade ao ar livre que apresenta tecnologias para todas as áreas”.