Nem todas as regiões do planeta são lugares bons para se viver. Essa verdade é provada pela quantidade de refugiados que existe no mundo atualmente. A cada dia, mais e mais pessoas deixam seus países de origem para buscar a paz em nações que gozam de condições políticas e culturais mais democráticas e que respeitam a liberdade de expressão e os direitos humanos em geral. O Brasil, felizmente, está entre os destinos procurados por aqueles que fogem do caos. O problema é que a saída do país de origem em busca de uma vida melhor não é bem sucedida para muitas pessoas.

Segundo informações divulgadas pela Agência Europeia de Apoio ao Asilo (Easo, na sigla em inglês), o número de novos requerentes de refúgio na União Europeia voltou a aumentar. Desde o início de janeiro até o final de abril, um total de 206.500 pedidos de refúgio foi registrado. No mesmo período de 2018, eles contabilizaram cerca de 179 mil. O Brasil deve, como outros países, ficar de braços abertos para receber os refugiados. Cabe ao mundo todo, porém, a obrigação de acabar com a intolerância e crueldade de governos e grupos que instalam o caos em seus territórios.