Quem o vê à frente de casos importantes, de repercussão nacional e até internacional, não imagina sua origem tímida e humilde. Elias Mattar Assad nasceu em 1955 na histórica cidade paranaense da Lapa, descendente de sírios e libaneses. O amor por suas raízes é uma das características mais marcantes do advogado.
Há 40 anos, o advogado fundou o escritório Elias Mattar Assad e Advogados Associados, com sede em Curitiba e atualmente com filial em Foz do Iguaçu. Sua esposa, Arlete, e as três filhas também atuam no escritório – as mais velhas já se formaram em Direito e a mais nova está cursando a faculdade.
Ele atuou em casos vultosos, como a atuação como assistente de acusação no caso Yared-Ribas Carli – em que o ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho matou dois jovens ao dirigir em alta velocidade após ingerir bebida alcoólica (o ex-parlamentar foi condenado em júri popular). “O caso tramitou rápido na Justiça do Paraná. Toda demora se deu nos tribunais superiores em Brasília”, disse Mattar Assad. “Existe o direito de recorrer e o abuso do direito de recorrer”. Ele fez a defesa da médica Virgínia Souza, que era acusada de antecipar mortes na UTI de um hospital de Curitiba, mas foi absolvida, e tantos outros, fizeram com que seu nome se tornasse referência na advocacia criminal. Mattar Assad é atualmente o presidente nacional da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas – Abracrim.