A peça SETE, dirigida por Thadeu Peronne com dramaturgia de Dione Carlos inspirada na história real da advogada Eman al-Obeidi, natural da na Líbia, estreia dia 3 próximo no Miniguairinha. A partir de seu drama – o estupro por quinze soldados –, o texto traça um paralelo com a violência cometida contra mulheres em todo mundo.
“É uma denúncia poética que traz para o palco a energia da mulher, um jogo de vozes e harmonias musicais, uma fricção de cores, de sentimentos”, diz Peronne, que conta para viver essa história os atores Leonardo Goulart, Ana Paula Taques, Erica Colognezi, Geisa Costa e Gideão Ferreira. A música é de Harry Crawl e Paulinho maia assina cenário, figurino e adereços.
O título da peça remete a um número (o tempo que Peronne levou para produzir a peça) e a um deus (o egípcio Sethe, do caos e da guerra) que, explica o diretor, atua como “uma conjunção cósmica com a psiquê humana”. Com atmosfera espiritualista, diz Dione Carlos que o texto “é o despertar de Lilith, é Iansã tomando parte do fogo de Xangô para si… É o momento de virada das mulheres, em que passamos da paralisia causada pela dor e a ignorância, ao movimento que o renascimento e o conhecimento trazem”.
Agende-se: 3 a 20 de outubro, sendo quarta, quinta e sexta, às 20h, sábado, às 18h e 20h e domingo, às 17h e 19h, no Miniguairinha.
Ingresso a 15 e 7,50 reais, na bilheteria ou no site http://www.ticketfacil.com.br/. Classificação 14 anos. No mesmo auditório estão agendadas duas palestras, com entrada franca. Tema: Violência, opressão e cultura do estupro, com a atriz Ludmila Nascarella e a advogada Xênia Mello, em 8 de outubro, às 20h. E sobre a Psiquê da mulher atual com a psicoterapeuta Rosângela Cardoso, dia 15 de outubro, às 20h.