O dólar comercial foi negociado a R$ 1,691 para venda, com avanço de 1,31%, nas últimas operações da sexta-feira.

O dólar comercial foi negociado a R$ 1,691 para venda, com avanço de 1,31%, nas últimas operações da sexta-feira. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi trocado por R$ 1,790 (venda), com acréscimo de 0,56%. No ano, o preço da moeda americana acumula decréscimo de 4,84%. No mês, de 3,97%.

Embora profissionais de mercado tenham reservas em assumir uma previsão de curto prazo para a taxa de câmbio, havia uma expectativa de que, após nove dias consecutivos de queda, o preço da moeda americana teria algum repique hoje. Quando o dólar caiu abaixo de R$ 1,70, profissionais de mercado já haviam notado o aumento da procura pela moeda.

"É final de mês e muitos devem ter entrado no mercado por conta de remessas de lucros. O movimento dos negócios foi bastante normal, com um volume só um pouco abaixo da média. O Banco Central entrou, mas não fez nada diferente do habitual", afirma João Carlos Reis, gerente de tesouraria da corretora Prime.

O BC promoveu leilão de câmbio às 15h39 e aceitou ofertas dos dealers por R$ 1,6894 (taxa de corte). Até quinta-feira, o nível das reservas internacionais era de US$ 191,541 bilhões.

As taxas projetadas para 2008 e 2010 ficaram mais altas no mercado futuro de juros – que baliza as tesourarias dos bancos – da BM&F (Bolsa de Mercadorias & Futuros).

Entre os contratos mais negociados, a taxa projetada para abril de 2008 avançou de 11,11% ao ano para 11,12%; no contrato de janeiro de 2009, a taxa projetada cedeu de 11,77% para 11,76%; no contrato de janeiro de 2010, a taxa projetada passou de 12,41% para 12,44%.