Depois de perder quase dez centavos em três dias, a cotação do dólar chegou a R$ 4 na manhã desta quinta-feira (24). A moeda americana, no entanto, ganhou força contra o real ao longo do pregão e acabou cotada a R$ 4,0430 -alta de 0,17%.
O movimento acompanha a queda da Bolsa brasileira. Após três recordes seguidos com a euforia em tono da aprovação da reforma da Previdência, o Ibovespa perdeu força e caiu 0,52%.
Ao fechamento do pregão, a Bolsa desacelerou perdas e fechou a 106.986 pontos. O volume de negociações ficou acima da média, a R$ 19,163 bilhões.
O movimento de ajuste é natural após uma queda de 2% do dólar e uma alta de 2,66% da Bolsa em três dias. Mas, além da realização de lucros, investidores estão temerosos quanto aos resultados do terceiro trimestre de 2019 da Petrobras, que serão divulgados nesta quinta (24).
“Esperamos que a Petrobras reporte resultados ligeiramente mais fracos, dado que o aumento de produção de petróleo com a entrada de novas plataformas foi compensado por um menor preço do petróleo de US$ 62/barril [no terceiro trimestre] contra US$ 68,5/barril no segundo trimestre deste ano”, aponta relatório da XP Investimentos.
As ações da petroleira tiveram forte queda na sessão. As preferenciais, mais negociadas, caíram 2,18%, a R$ 28,32. As ordinárias, com direito a voto, recuaram 1,97%, a R$ 30,81.
Outro relevante balanço desta quinta é o da Vale. O mercado espera resultados melhores da companhia, com alívio dos efeitos de Brumadinho. As ações da mineradora, no entanto, caíram 0,76%, a R$ 46,75.
As maiores quedas desta sessão ficaram com CSN e Localiza, após reportarem lucro menor que o esperado.
A siderúrgica teve sua receita comprometida pela reforma do alto forno 3, em Volta Redonda (RJ), e por uma queda de preços no setor e aumento do custo do frete. As ações da CSN caíram 6,85%, a R$ 12,51, menor valor em duas semanas.
Já a Localiza teve seu balanço uma margem de lucro mais fraca no aluguel de veículos, um aumento de despesas e ambiente macroeconômico desfavorável. As ações da companhia caíram 6,17%, a R$ 41,64, menor valor desde julho.
Nos Estados Unidos, até agora, a maior parte dos balanços excedeu as expectativas do mercado, o que indica que os efeitos da guerra comercial e da desaceleração econômica não foram tão vastos no terceiro trimestre quanto se imaginava.
Há companhias, no entanto, que apresentaram resultados mais fracos, como o Twitter. As ações da companhia despencaram 20,6%, a US$ 30,80, menor patamar desde março deste ano.

JÚLIA MOURA
FOLHAPRESS