Documento secreto da União Soviética revela planos para receber sinais da Lua, Vênus e Marte

3593

A empresa Rossiyskie Kosmicheskie Sistemy (Sistemas Espaciais Russos), RKS na sigla russa, publicou em seu site um documento histórico de 1961 dedicado a criação e modernização do complexo de comunicações espaciais de longa distância na Crimeia que assegurou os voos de sondas espaciais soviéticas até à Lua, Vênus e Marte.

De acordo com RKS, este documento está cheio de otimismo dos seus criadores, que no momento da sua elaboração tinham acabado de construir as antenas. No ano do primeiro voo espacial tripulado, eles não tinham dúvidas de que as pessoas se deslocariam pelo Sistema Solar e que os voos de sondas espaciais para outros planetas aconteceriam em breve.

“O desenvolvimento do centro espacial em Eupatória permitirá ter comunicação bidirecional via rádio com as sondas espaciais dentro do Sistema Solar e manter comunicação telefônica e fototelegráfica com as sondas espaciais com alcance de 1 bilhão de quilômetros (cerca da órbita de Júpiter)”, diz a mensagem da empresa russa.

O documento de 1961, intitulado “Desenvolvimento de um sistema de comunicação de longa distância baseado no centro de Eupatória Pluton (Plutão)” anteriormente não estava disponível para o público em geral.
O projeto reflete as perspectivas para modernização do Centro Pluton, construído em Eupatória em tempo recorde (cinco anos antes do surgimento de um centro semelhante nos EUA) e capaz de trabalhar com objetos a uma distância que atingia a órbita de Júpiter.

Segundo os autores do documento, era necessário desenvolver esse centro para se poder comunicar via rádio até à órbita de Júpiter, transmitir um sinal de televisão a partir de Vênus e comunicação videotelefônica a partir de Marte. A transmissão de uma imagem desde Vênus demoraria 5 segundos, de Marte — 1 minuto e de Júpiter — 15 minutos.

“Todos esses planos são descritos sem reservas, os autores do documento parecem estar totalmente convencidos: todas essas missões são apenas uma questão de tempo, e seriam realizadas nos tempos mais próximos”, relata a mensagem da empresa russa. Segundo explica RKS, em 1962 o complexo de comunicações espaciais remotas em Eupatória foi modernizado e assegurou a comunicação com todas as sondas espaciais soviéticas. Com ajuda deste centro, foi possível realizar o reconhecimento via radar das superfícies de Marte, Mercúrio e Vênus e cumprir quase tudo o que seus criadores haviam planejado em 1961.

Sputnik