*Por André Kim, sócio e analista de Investimentos da GEO Capital

Você sabe o que é poder de preço? Para quem investe, pode ser considerado um pilar importante na hora de classificar as empresas em relação à qualidade do modelo de negócio. De forma resumida, trata-se de uma competência da empresa de proteger a sua rentabilidade operacional, que pode ser representada por meio da precificação de seus produtos e/ou serviços.

Para explicar melhor esse conceito, vamos usar a Disney como exemplo.

No mês de janeiro, saiu uma notícia dizendo que a Disney aumentará o preço dos ingressos num valor acima da inflação americana. Para os bilhetes de alta temporada, esse reajuste será de aproximadamente 10% em dólares. Curiosamente, a empresa já está acostumada a fazer esses aumentos de preço e, ainda assim, suas vendas de ingresso e de consumo nos parques continuaram crescendo ao longo dos últimos anos.

Em 2018, o público mundial de seus parques aumentou por volta de 4% e o valor dos gastos por visitante dentro dos parques subiu 6%. Isso é fruto das decisões do time de gestão da empresa, afinal, a Disney tem investido muito na aquisição de novas empresas e na ampliação de sua biblioteca de personagens, que se traduz em novas atrações nos parques temáticos detidos pela companhia.

Na minha avaliação, a Disney é uma empresa com ótima capacidade para monetizar seus conteúdos por meio de diversos canais: seja pelos brinquedos e bonés vendidos em lojas, passando por lançamentos de filmes e séries, além de atrações em parques temáticos.

Essa competência de impor seus preços e continuar com margens estáveis é o que chamamos de poder de preço. Tendo essa característica presente em sua atuação, é um passo inicial para considerar que uma empresa possa ser de qualidade e caracterize-se como um modelo de negócio vencedor ao longo do tempo.

Sobre André Kim

André Kim é sócio e Analista de Investimentos da GEO Capital, gestora brasileira com foco em investir, exclusivamente, em ações globais fora do País. André trabalha na GEO Capital desde 2014. Anteriormente, foi Analista de Investment Banking Risk do J.P. Morgan por três anos. André é formado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas.