Consultora da empresa alimentícia Superbom, a nutricionista Cyntia Maureen diz que o café da tarde não é recomendado para todas as pessoas. Incentiva-se o consumo apenas de três refeições diárias. No entanto, dependendo da avaliação nutricional, lanches intermediários se fazem necessários. Dessa forma, quando recomendado, é importante ingerir pequenas porções de alimentos funcionais, que além de trazerem benefícios para a saúde, ajudem a controlar o apetite e a glicemia até o jantar.

Por isso, a especialista indica cinco snacks veganos para um café da tarde saudável:   

Bebidas: leites vegetais, como o de aveia, de arroz, de castanhas e coco, são algumas alternativas ao leite tradicional, ideais para consumir no café da tarde. “O de coco é facilmente encontrado e muito utilizado em receitas, mas também é possível bebê-lo acrescentando um pouco de água para diluir sua concentração. Mas seu consumo deve ser muito moderado, devido sua grande quantidade de gordura saturada”, sugere.     

Queijos veganos: já existem em supermercados, empórios e no comércio eletrônico diversas opções de queijos vegetais, que podem ser picados e consumidos como aperitivos ou aproveitados em lanches com pães integrais, porém, cuidado com a quantidade, pois estes podem ser gordurosos.

Cremes e geleias: outra opção de recheio para pães e até torradas são as geleias 100% fruta e os vegan creams. A profissional informa que além de saborosas, essas pastas são ricas em nutrientes e antioxidantes.

Snacks: para quem não consegue preparar o próprio café da tarde todos os dias, há ainda os chips de frutas desidratadas e outros tipos de snakcs veganos, como cookies integrais, todos encontrados prontos em mercados e até em algumas casas de doces.

Frutas: outra possibilidade é apostar nas frutas in natura ou acompanhadas de grãos integrais, como linhaça, aveia ou chia. “Uma banana prata com uma colher de chá de linhaça, por exemplo, é suficiente para saciar a fome até a próxima refeição principal. A combinação também é fonte de fibras alimentares, que contribuem para o bom funcionamento do intestino e ômega 3, que contribui para a saúde cerebral”, indica.