O Dia das Mães é reconhecido pelo mercado varejista como uma das principais datas do calendário de vendas anual. Com o objetivo de compreender quais são os desafios deste ano e antecipar alguns movimentos, a CREDZ – emissora e bandeira de cartões de crédito de loja, realizou uma sondagem com suas redes parceiras para identificar quais são as expectativas para 2019.
De acordo com Flávio Simões, diretor de desenvolvimento de negócios da CREDZ e responsável pela análise, a perspectiva dos varejistas parceiros nos segmentos analisados é alavancar em pelo menos 10% o tíquete médio durante todo mês de maio, comparado com maio/18, e alguns fatores contribuem para este incremento:
Este ano, com a previsão de uma queda maior da temperatura e a troca da coleção outono/inverno, projeta um incremento nos segmentos de calçado, têxtil e vestuário. As roupas e calçados desta estação, por exemplo, possuem um tíquete médio maior comparado a outras estações.
O Dia das Mães em 2018 foi impactado pela greve dos caminhoneiros. Muitas mães receberam apenas “pequenas lembranças” que resultou em um tíquete médio menor no varejo.
Além dos dois fatores acima, a CREDZ está otimista em relação ao Dia das Mães desse ano por conta do co-branded firmado com a Visa, projetando mais que dobrar o seu faturamento em maio, comparado com Maio/18. “Os cartões de nossas lojas parceiras agora são CREDZ/Visa, completos, digitais e internacionais. Isso aumenta o interesse do cliente em obter o cartão e ativá-lo nas compras em sua loja favorita e também fora, nas despesas do dia a dia, nas compras pela internet, incluindo sites internacionais, nos aplicativos, entre outros. O cartão CREDZ/Visa se firma como um importante instrumento de crédito e meio de pagamento para os nossos clientes. Por isso, estamos constatando mais clientes querendo os cartões nas lojas parceiras, acelerando sua ativação e intensificando o seu uso. Isso se traduz em mais vendas para as nossas redes parceiras e clientes ainda mais fiéis. Até o Dia das Mães, a CREDZ espera ter 100% de sua base de cartões migrada para os cartões CREDZ/Visa”, conclui Flávio Simões.