Tem gente chiando antecipadamente. Por coincidência aqueles que recebem salários miliardários no governo e principalmente nas estatais do Paraná. Projeto do deputado estadual Homero Marchese pretende aumentar a transparência do poder público paranaense, tornando a divulgação individualizada e nominal dos vencimentos dos servidores da administração indireta uma norma.

Levantamento realizado pela equipe jurídica de Homero mostra que, atualmente, pelo menos 12 entes públicos, entre empresas públicas de economia mista, fundações e autarquias, não divulgam informações individuais e nominais sobre os salários dos funcionários. É o caso, por exemplo, da Fundação Estatal de Atuação em Saúde (Funeas), Fundação Araucária, E-Paraná Comunicação, PalcoParaná, Simepar, Ceasa, Cohapar, Compagas, Copel e Sanepar.

O Deputado Estadual Requião Filho (MDB/PR) encaminhou na última semana seis pedidos de informações às estatais paranaenses, para que encaminhem a relação de pagamentos feitos a todos os seus servidores concursados, comissionados e empregados (permanentes ou temporários). Foram questionadas além da Copel e suas subsidiárias, Cohapar, Sanepar e Compagás, também os Conselhos Estaduais.

Transparência

“A transparência é a arma contra a corrupção. E quando diz respeito aos gastos públicos, isto deve ser atendido por todos os integrantes da administração estadual. É um dever do cidadão tomar conhecimento sobre onde está sendo investido o seu dinheiro dos impostos. No intuito de bem compreender os valores desses pagamentos, as contratações de servidores e empregados recentes dessas estatais, encaminhamos os pedidos de informações para fiscalizar o que é de direito da população saber”, justificou.

Desvio de verbas

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) cumpre, na manhã desta terça-feira (12), 12 mandados judiciais, sendo oito de busca e apreensão domiciliar e cinco de sequestro de bens, em razão de um esquema de corrupção, que gerou um prejuízo superior a R$1 milhão ao Estado. A organização criminosa era comandada por uma servidora pública, de 55 anos, responsável pela Secretaria da Diretoria Clínica do Hospital Universitário de Londrina.

Depois de polêmica

O Ministério Público Federal pediu à jJustiça a suspensão da criação da fundação que administraria R$ 2,5 bilhões, recursos resultantes do acordo entre a Petrobras e o governo norte-americano. “A força-tarefa da Lava Jato no MPF/PR informa que vem mantendo tratativas com a Advocacia-Geral da União e a Petrobras e optou por propor, ao juízo que homologou o acordo, a suspensão dos procedimentos para constituição da fundação que daria uma destinação de interesse público para os recursos depositados em conta judicial”, diz a nota à imprensa.

Outras consultas

“Também serão consultados a Controladoria-Geral da União e o Tribunal de Contas da União. Durante esse período, os valores que seriam pagos aos Estados Unidos pela Petrobras estão depositados em conta judicial vinculada à 13ª Vara Federal de Curitiba, com rendimento pela Selic”, adianta a nota. A decisão, segundo o MPF, busca encontrar a melhor solução jurídica para que os recursos possam ficar no Brasil e ser empregados “em favor da sociedade brasileira, com base na melhor experiência nacional e internacional, foi proposta a criação de uma fundação de interesse social”.

Requião no twitter

“D Veronice, espantada, me diz; “imagine o risco que corria o Bolsonaro! Os dois assassinos eram vizinhos dele, moravam no mesmo condomínio!” Verdade, que risco corria o capitão!

Fim da mamata

O deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR), que vai integrar a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, defende que, além da Reforma da Previdência, o colegiado aprecie, ainda neste ano, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 435/2018), de sua autoria, que limita em 30 dias as férias de todos os servidores públicos do país e também acaba com a licença prêmio. Hoje, por exemplo, juízes e promotores têm direito a férias de 60 dias, sem contar os dois períodos de recesso por ano. A PEC contou com assinaturas de apoio de 174 deputados.

Paraguai entrega bandido

Expulso do Paraguai por ordem do presidente Mario Abdo Benitez, o brasileiro apontado como líder da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), Thiago Ximenes, o ‘Matrix‘, cruzou a linha de fronteira com o Brasil, em Foz do Iguaçu, sob a escolta da Polícia Federal brasileira. A entrega do traficante brasileiro aconteceu no aeroporto internacional Guarani, em Ciudad del Este. O traficante foi levado para sede da Polícia Federal em Foz.

A nova ponte

O presidente Jair Bolsonaro, disse nesta terça-feira, 12, que pretende inaugurar uma das duas novas pontes que serão construídas na fronteira com o Paraguai. Bolsonaro, disse que “se Deus quiser”, visitará o Paraguai para inauguração “de uma das pontes que construiremos juntos melhorando a relação comercial”, disse ao presidente paraguaio, Mario Abdo Benitez.

Matadores de Marielle

Uma operação conjunta do Ministério Público e da Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu na madrugada desta terça (12) dois suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes em 14 de março de 2018. Ronnie Lessa é policial militar reformado e Élcio Vieira de Queiroz foi expulso da Polícia Militar.

Domínio dos fatos

Segundo o Ministério Público, os dois foram denunciados depois de análises de diversas provas. Lessa teria sido o autor dos disparos de arma de fogo e Élcio, o condutor do veículo usado na execução. De acordo com o MP, o crime foi planejado nos três meses que antecederam os assassinatos.

Prefeito flanava

Enquanto cinco pessoas morriam em deslizamentos e sete afogadas, centenas ficavam desabrigadas e milhares perdiam seus pertences, o prefeito Bruno Covas passeava na cidade de Praga, capital tcheca, e já tinha voo marcado para seguir em férias para Genebra, na Suíça. Ele escolheu sair de férias exatamente quando a cidade que administra enfrentava temporais que chegaram a derrubar mais de 600 árvores.

Cidade acéfala

Na segunda pela manhã, a impressão era de acefalia. Com o prefeito ausente, ninguém aparecia. Informado do que se passava em São Paulo, Bruno Covas parece ter recuperado o juízo para retornar à cidade pela qual é responsável. Ao flanar em Praga, Bruno Covas repetiu o erro da então prefeita Marta Suplicy, que foi passear em Paris com a cidade debaixo d’água. A revista Veja insinuou que Bruno Covas viajou na companhia de Gustavo Pires, “principal assessor e amigo”.

Coronel será o chefe

O coronel Didio Pereira de Campos será o novo chefe de gabinete do general Otavio do Rêgo Barros, porta-voz da presidente Jair Bolsonaro, e não “coordenador das redes sociais”, como indicava uma fake news. A estruturação do Gabinete do Porta-Voz ainda não está pronta, por isso Didio foi nomeado para cargo do mesmo nível, ligado à Secretaria de Comunicação (Secom): diretor do Departamento de Publicidade.

Além da imaginação

A nomeação de Didio Pereira de Campos excitou a imaginação de quem viu uma “intervenção” nas redes sociais do presidente. Sites de grandes jornais chegaram a noticiar que Didio foi “escalado” para coordenar redes sociais, “após polêmicas”. Nada, era falso. Após instantes de perplexidade, a especulação sobre o papel do coronel Didio Pereira de Campos virou chacota no Planalto.

Estado paralelo

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) usam a expressão “estado paralelo” para definir a estrutura criada pela força-tarefa da Lava Jato em Curitiba com R$2,5 bilhões “doados” pela Petrobras.

Agente de viagens

Ex-assessora que escapou do atentado a Marielle, Fernanda Chaves contou ao jornal português Diário de Notícias que Dilma (PT) foi a sua casa oferecer “ajuda com contatos de entidades fora do Brasil”.

Tradução errada

Na conversa gravada, a jornalista Constança Resende, do Estadão, não diz que fez matérias com o objetivo de “arruinar” Flávio Bolsonaro. Apenas se revela orgulhosa do trabalho que fez no caso Queiroz.

Câmara vai às compras

Um mês depois de eleita, a mesa diretora da Câmara Legislativa do DF foi às compras: cinco carrões para mordomia de deputados, avaliados em quase meio milhão de reais. A licitação será no próximo dia 26.

Dirigindo na cadeia

Ao noticiar, como todos, a suspeita do MP paulista sobre o papel do PT na morte de Celso Daniel, um jornalista de Itabuna (BA) foi processado por José Dirceu, que vai mofar na cadeia, mas ganhou com incrível rapidez a ação para tomar de Marcel Leal seu carro pago em 36 vezes.

Foco na Lava Jato

Após “intervenção” do presidente Bolsonaro no Ministério da Educação, que resultou numa dezena de demitidos, o MEC concentra seu foco na Lava Jato da Educação, anunciada pelo presidente.

Um foguete? Um avião?

Ao tentar vender o carro em Brasília, leitor da coluna descobriu que foi multado por excesso de velocidade e, segundo a infração, trafegava a 530 km/h. Como a multa estava vencida, não teve como recorrer.

Checou, perdeu

Banco fatura alto nas tarifas escorchantes. O Santander cobra R$2,50 de clientes que desejam checar o saldo, no Caixa 24 Horas. O desavisado só não paga se isso está previsto no “pacote de serviços”.

Pensando bem…

Tem gente, inclusive no governo, precisando de tradutores melhores.

Onde está Wally?

Depois de dar o ar da graça no desfile das escolas de samba de São Paulo e aparecer ao lado de João Doria (ele acredita que o governador deverá apoiar sua tentativa de reeleição), o prefeito Bruno Covas (PSDB), mais uma vez decidiu tirar uma semana de licença não remunerada – e como sempre, sumiu. Alegou cansaço diante do crescente problema de falta de manutenção de pontes e viadutos de São Paulo. Bruno não informa onde vai, desliga celular. Há quem garanta que seu assessor Gustavo Pires sabe onde ele vai e outros acham que Gustavo também se ausenta.

No asilo

Martha Rocha, 82 anos, a mais famosa Miss Brasil, acaba de postar no Facebook que foi morar num asilo de idosos por problemas financeiros. E diz: “Não me sinto diminuída ou humilhada por isso. Minha dignidade segue sem máculas”. Vencedora do concurso em 1954, só perdeu o Miss Universo “por duas polegadas a mais” e hoje enfrenta dificuldades. Sobrevive com uma aposentadoria de um salário mínimo. Ela em uma filha, fruto de seu relacionamento com Ronaldo Xavier de Lima, seu segundo marido, que vive afastada dela.

 

Na China

Quando uma caravana de deputados do PSL foi à China, a convite do Partido Comunista, os anti-bolsonaristas caíram em cima, incluindo Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro. Agora, o Chefe do Governo é que vai à China, ver de perto como funciona o comunismo de lá (o país está cheio de bilionários) e aprimorar relações com quem é o maior parceiro comercial do Brasil.

 

Delírio

Nesses dias, o ministro Paulo Guedes, da Economia, dá entrevista e garante que faltam apenas 48 votos de parlamentares para a aprovação da reforma da Previdência e com poucas modificações no projeto enviado. Ninguém levou a sério a matemática de Guedes, sempre lembrando que serão necessários 308 votos na Câmara para a reforma andar. Guedes também não tem informações do pessoal do governo que tenta animar os congressistas (hoje, até integrantes do PSL não gostam do projeto e PT e PSOL trabalham contra). Onyx Lorenzoni não tem a menor ideia de onde Guedes tirou esse número.

 

Tradutores

Com o volume de falar e produzir tanta bobagem, atentando contra a si própria, a cada dez dias em média, o presidente Jair Bolsonaro ganhou a participação atenta de dois tradutores, que sempre dizem que “não é bem assim” e que ele “foi mal interpretado”. De um lado, o general Augusto Heleno (GSI), que já anda abatido; de outro, o vice Hamilton Mourão que, sempre bem-humorado, não consegue esconder seu desconforto e tenta encontrar interpretações favoráveis aos equívocos presidenciais. Os filhos, quando entram na história, pioram qualquer situação.

 

Agora é o patinete

Agora é o patinete eletrônico que está na moda. No Rio, já tem 71 estações e São Paulo segue o mesmo caminho. É ideal para economizar tempo e andar menos de metro (ou trem) ao trabalho. A primeira corrida (10 minutos) é de graça; depois, cada viagem custa 3, com cadastro preenchido. Minuto extra rodado custa mais R$0,50. É muito rápido (até 20km/ h), é preciso cuidado para não atropelar as pessoas e sem capacete. O Constran autoriza a circulação em ciclovias, ciclofaixas – e na calçada.

 

Folclore

Ainda a propósito da golden shower propalada pelo presidente Jair Bolsonaro (quem não sabia o que era, ficou sabendo): nos Estados Unidos, há tempos, especula-se sobre a existência de uma “pee pee tape” vídeo supostamente gravado em segredo pelos russos, mostrando Trump, num hotel de Moscou, levando golden shower de garotas de programa.

 

Nova comparação

Só para os aficionados pelos personagens da série South Park na televisão: agora, esse bloco compara a figura de Eric Cartman ao presidente Bolsonaro.

 

Apoio

No episódio do vídeo pornô que Bolsonaro divulgou em seu Twitter, segundo a “Bites”, o presidente mostrou que ainda em grande apoio de seus eleitores e conta com o silêncio dos envergonhados que votaram nele e discordam de seus posts. O sentimento antipetista ainda não murchou e favorece o Chefe do Governo. Mais: entre os 556 posts publicados por Bolsonaro, desde sua posse o do “golden shower” é o de maior dispersão digital, com 57.639 compartilhamentos. É o quarto de maior adesão desde janeiro.

 

De novo

Pela segunda vez, estão separados Luana Piovani e Pedro Scooby. Mas continuam amigos: ela em Portugal e ele, no Brasil, em busca de reforço para o orçamento doméstico.

 

Em campanha

O governador João Doria acaba de montar um grupo, no Palácio dos Bandeirantes, com a missão de garimpar as redes sociais e levantar diariamente temas de maior repercussão e alcance no país. Aí, Doria usa essas informações como “cola” em seus pronunciamentos e entrevistas. Quer ser ouvido no Brasil – e não apenas em São Paulo. Doria está de olho nas eleições de 2022.

 

Quase terminal

O sindicalismo, de novo, no banco dos réus: o Supremo deverá julgar logo o pedido do DEM para que a participação direta das centrais sindicais – CUT, Força, CTE e outras – em negociações trabalhistas seja declarada inconstitucional. O STF, como se sabe declarou constitucional o fim da contribuição sindical obrigatória, impondo grande perda para as entidades – e muitas perderam perto de 90% de suas receitas.

 

“Patrocínio”

Há na internet um movimento chamado “Meu patrocínio”, onde mulheres – de mais jovens a quase maduras – se oferecem (e contam suas habilidades) para ser “patrocinadas” por período mensal para fazer face a despesas de aluguel, faculdade e outras. Quem está em situação mais sufocante, parte para o “patrocínio” diário. E – surpresa – entre quem se candidata, tem também muitos travestis. O que não são escolhidos ficam irritados, dizem que é segregação e xingam.

 

Mais um

Também o governador Wilson Witzel, do Rio, já sonha em se candidatar ao Planalto, em 2022.

 

Defeito de origem

As duas caixas pretas do Boeing 727 Max 8 que caiu na Etiópia, matando 157 pessoas, dirão se o modelo do avião, usado por 37 empresas do mundo, tem um defeito de origem na hora da decolagem. Outro Boeing Max caiu do mesmo jeito na Indonésia. A China já encostou seus dois aviões desse modelo e, no Brasil, apenas a Gol usa – e continua usando – um deles.

 

Olho nas focas

O chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, aproveitou os feriados emendados do Carnaval, para levar sua mulher Denise Verberling para ver de perto as focas da Antártica, a bordo de um navio que excursionava por lá. Foi cumprir uma “gelada viagem de lua-de-mel” e conhecer um projeto do governo de lá.

 

Favorita

Quem diria – Bolsonaro tem especial predileção pela ministra Damares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humano. E gosta do jeito que ela coloca sua posição em discussões. Também a primeira-dama Michele Bolsonaro gosta muito de Damares.

 

Super-esforço

Com páginas inteiras (muitos dias, duas ou três em jornais de maior circulação), Carlos Alberto Oliveira Andrade vem promovendo e apresentando os primeiros carros chineses (Chery) que chegam ao Brasil. E os primeiros resultados de venda não tem sido inspiradores. Pesquisas qualitativas revelam que o consumidor tem um pé atrás com veículos fabricados na China, no quesito qualidade.

 

Mais gastos

Novo levantamento mostra que gastos dos estados com servidores na ativa e aposentados aumentaram em 2018. Passaram de 47,43% da arrecadação total em 2016 para 49,36% em 2017 e 50,23% no ano passado.

 

Viciado

O filho Carlos, o 02, como Bolsonaro gosta de chamá-lo, é quem administra as contas do Chefe do Governo nas redes sociais. E o presidente gosta de ler as mensagens. Gosta da força que recebe dos seguidores e não consegue ignorar os ataques. Fora das redes, Bolsonaro gosta de conversar “sobre a vida lá fora” com auxiliares do Alvorada e seguranças.

 

Punhos de renda

O governo Bolsonaro rendeu homenagens ao ex-ministro petista das Relações Exteriores, Antonio Patriota, para irritação de diplomatas perseguidos nos tempos do PT, que será removido de Roma para Haia, na Holanda. Mauro Vieira, último chanceler de Dilma, vai para Atenas e Luiz Alberto Figueiredo, o penúltimo, para Copenhague.

 

Pescaria

A ministra Cármen Lúcia, relatora que arquivou no Supremo o processo contra Bolsonaro por pesca ilegal em 2016, acaba de negar a um pescador artesanal o princípio da insignificância do crime por ele ter sido flagrado pescando em época do defeso.

 

Vazias

No carnaval, Búzios e Cabo Frio estavam vazias. As cidades sempre foram destinos de quem queria fugir da folia. A explicação de quem entende da área é que os blocos seguraram no Rio e em Belo Horizonte os principais clientes da Região dos Lagos, sobretudo gente mais jovem.

 

Era previsto

Muitos analistas políticos apostavam que Jair Bolsonaro não conseguiria manter a promessa de que seu governo não seguiria a política do toma lá, dá cá. De olho na reforma da Previdência, já começa ceder. O economista Márcio Pochmann disse que, mais uma vez, foi prometido o que não poderia ser cumprido. “A farsa da antipolítica perdeu fôlego, voltando-se à filosofia dita franciscana de que ‘é dando que se recebe’ ou também a conhecida frase do toma lá dá cá”.

 

Vai recorrer

Ciro Gomes disse que irá recorrer a decisão da Justiça que o obriga a pagar indenização ao vereador Fernando Holiday por danos morais. Ciro chamou Holiday de “capitãozinho do mato”. “Sim, vou recorrer. Claro que não é preconceito. Esse garoto é negro e assumiu o mandato falando em negritude. A primeira lei que ele propôs foi o fim das cotas para os negros em São Paulo. A segunda lei foi acabar com o Dia da Consciência Negra. Portanto, esse é um negro traidor da negritude. E quem era o negro traidor da negritude na história brasileira? Era o capitão do mato, que era um escravo submetido à humilhação do patrão, que aderia à essa humilhação e se prestava ao serviço de matar, açoitar e humilhar o escravo”.