A posição incorreta da mandíbula pode desenvolver sintomas de doenças no ouvido como a labirintite, provocar doenças respiratórias e até depressão e problemas de aprendizado, ronco, insônia, alteração no sistema nervoso central, dores musculares, entre outras enfermidades, segundo a cirurgiã-dentista especializada em Ortodontia e tratamentos de disfunções orofaciais, Adriana Bonfim. Ela abordou o tema durante o Ciclo de Palestras realizado pela BPW Curitiba – Business Professional Women e direcionado a saúde da mulher, no Concierge do Shopping Pátio Batel, no dia 8 de maio. Adriana defende que essas doenças precisam ser melhor investigadas, o que inclui um diagnóstico do dentista. “Com investigações inconclusivas, há o risco de se tratar apenas os sintomas”, pondera.
A especialista explica que a mastigação reflete na respiração, na visão, audição, nos músculos, no Sistema Nervoso Central (SNC) e na ATM. “Temos 230 articulações no nosso corpo e a mais complexa é a ATM”, disse Adriana. Essa visão da Odontologia se encaixa em novos conceitos que existem hoje para o tratamento dentário que vão além de cáries, canais, entre outros problemas da região de mastigação. Ela explica que os dentes nascem para estabilizar a posição correta do maxilar inferior e se a mandíbula está numa posição errada é preciso corrigir primeiro esta alteração, e não só tratar os sintomas.