O Democratas entrou nesta quarta-feira (12/01) no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) usado como base pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para evitar a extradição do italiano Cesare Battisti.

O partido pede ao STF que declare inconstitucional o parecer. Segundo a Advocacia-Geral da União, o presidente tem amplos poderes para avaliar o agravamento da situação de Battisti, caso seja extraditado, observando sua condição social e pessoal. Pelo parecer, acrescenta o DEM, o Judiciário não poderia verificar o acerto ou equívoco da decisão do presidente da República.

A assessoria jurídica do partido argumenta justamente o contrário. Na avaliação dos advogados, cabe ao Supremo julgar a extradição solicitada por Estado estrangeiro, no caso em questão a Itália. Eles acrescentam que é atribuição do STF o exame sobre a incidência de impedimentos constitucionais, legais e convencionais à extradição requerida.