As oito contas bancárias abertas pela Defesa Civil de Santa Catarina para doações aos atingidos pela chuva no estado receberam R$ 7.862.028,74 até esta terça-feira.

As oito contas bancárias abertas pela Defesa Civil de Santa Catarina para doações aos atingidos pela chuva no estado receberam R$ 7.862.028,74 até esta terça-feira.

O número de desabrigados na região do Vale do Itajaí chega a 78 mil pessoas entre desabrigados e desalojados, além de 116 mortos.

Dos R$ 3,6 milhões contabilizados em doações ao Fundo Estadual de Defesa Civil até a última sexta-feira, R$ 811.727,00 já foram usados para compra de produtos de higiene pessoal, itens de limpeza e cestas básicas.

Os produtos foram encaminhados para a região do Vale do Itajaí, que recebeu R$395.558, Brusque (R$ 244.920) e Jaraguá do Sul (R$ 172.289).

O número de telefone 0800 48 2020 foi disponibilizado pela Defesa Civil, no último domingo para informações sobre como proceder com as doações.

Sujeira
A retirada do entulho das ruas de Itajaí, um dos municípios mais atingidos pela chuva que castiga Santa Catarina nos últimos 90 dias, exigirá cerca de 11 mil viagens de caminhão.

A informação foi dada na manhã desta terça-feira pelo prefeito Volnei José Morastoni à Agência Brasil. Segundo ele, pelo menos mil viagens já foram feitas para remover o lixo – a maioria móveis danificados durante a enchente – das ruas da cidade.

“Nossa preocupação agora é com a retirada do lixo da frente das casas”, disse Morastoni. “As ruas estão entupidas de entulho”, acrescentou o prefeito.

De acordo com ele, a situação está voltando à normalidade no município e o trabalho de remoção do lixo deve ser concluído em uma semana, caso não volte a chover.

“Aumentamos nossa frota de caminhões e de máquinas e o efetivo de pessoal para acelerar o trabalho”, disse Morastoni.

O município de Ilhota, no Vale do Itajaí, tem o maior número de mortes causadas por deslizamentos de terra provocados pela chuva que atingiu Santa Catarina nos últimos 90 dias.

Dos 116 óbitos confirmados pela Defesa Civil, 37 ocorreram na cidade. A secretária de Indústria, Comércio e Turismo, Marisa Terezinha, disse à Agência Brasil, que está preocupada com os boatos de que o município está totalmente destruído e que as cerca de 100 fábricas de lingerie e de roupas de praia da cidade ficaram submersas devido às cheias do Rio Itajaí-Açu.

Ela explicou que uma área de 70% do município está na margem esquerda do rio, onde ocorreram os deslizamentos.

O comércio, esclareceu a secretária, fica nos outros 30%, onde ocorreram enchentes, mas não há registro de desabamentos.