mat4bAs aulas do segundo semestre já começaram e você achou que seu filho não teve um bom desempenho no início do ano? Quem sabe o espaço dedicado aos estudos não está adequado para que a criança se concentre e aproveite ao máximo o momento de fixar os conhecimentos aprendidos na escola, em casa. Confira as dicas das profissionais da EFTM Arquitetura para proporcionar um espaço adequado para o estudo.

Local

Independentemente da idade, o local de estudos de uma criança precisa ser escolhido com cuidado. Levar em conta o perfil de aprendizado de cada um é importante, já que alguns estudantes se concentram melhor com o silêncio absoluto e outros sentem necessidade de uma música ambiente, por exemplo. “As crianças novas costumam se distrair muito facilmente, o que pode influenciar no desempenho escolar. Por isso, o ideal é evitar objetos que possam desviar a atenção, como cama, televisão, rádio, som e brinquedos”, comenta Thalita Miyawaki, arquiteta da EFTM Arquitetura.

Organização

Manter o espaço organizado também facilita no momento do estudo, por isso planejar estantes, nichos e gaveteiros para guardar os materiais é essencial. “A bancada deve ser posicionada de forma a não dispersar a atenção dos estudantes e os móveis devem ficar próximos à mesa para organizar livros e cadernos, deixando o espaço mais prático e funcional. Os gaveteiros podem ser fixos na bancada ou com rodízios, para criar um móvel dinâmico e que possa ser retirado debaixo da bancada, deixando-a ainda mais ampla”, explica Erika Fukunishi, também arquiteta da EFTM.

Decoração

A escolha da cor da decoração pode ajudar na concentração, como o amarelo que estimula a atenção e a criatividade. A iluminação, tanto natural quanto projetada, deve focar no local de estudo, principalmente se a pessoa utilizar o espaço a noite. A lâmpada mais indicada é a de LED, que além de mais econômica ao longo da vida útil, não causa ofuscamento ao ambiente, e está em conformidade com todas as normas técnicas.

A cadeira de escritório deve atender a todas as exigências das normas vigentes que exigem dimensões, tipos e regulagens adequadas a cada atividade, consideradas indispensáveis para a manutenção do conforto, saúde e segurança das pessoas no desempenho de suas funções. A bancada deve possuir uma altura ideal de acordo com a idade. Para crianças de até 7 anos, ela é de 65 cm de altura e para adolescentes de 72 a 83, dependendo da altura da pessoa. “Além de seguir as regras técnicas, o quarto de estudo merece móveis diferenciados. Os materiais ideais para a mesa de estudos não podem ser condutores de calor e devem proporcionar uma sensação tátil agradável. Para os filhos pequenos, madeiras e laminados com bordas arredondadas, são mais seguros e resistentes, além de optar por cores leves”, finaliza Thalita Miyawaki.