A Trupe Ave Lola, que tem teatro próprio, está no palco do Guairinha com a peça Manaós-Uma saga de luz e sombra por dois motivos: festejar dez anos de vida e levantar fundos para realizar turnê europeia. A Dinamarca receberá a companhia curitibana em setembro de 2020 e a ideia é aproveitar e fazer temporada em outros países.

“Queremos ampliar relações com outros países, abrir portas para parcerias, apoios, financiamentos, algo que será benéfico para todos”,diz Ana Rosa Tezza, diretora fundadora da premiada trupe. “A intenção é colocar Curitiba no mapa das companhias internacionais e fomentar essas relações e parcerias”.

Em sua sede, no centro de Curitiba, Ave Lola possui uma sala de teatro onde realiza temporadas de suas produções teatrais, exposições, oficinas e recebe companhias do Brasil e do mundo que dialogam com sua linguagem. Ao longo desta primeira década, produziu as peças O Malefício da Mariposa (2012), Tchekhov (2013), Nuon (2016) e A pequena abelha e a árvore alta (2019), vistas por cerca de 45 mil pessoas em apresentações nacionais e internacionais e tiveram o reconhecimento da crítica. Todas as peças foram premiadas em diversas categorias do Prêmio Gralha Azul, a maior premiação teatral do Paraná.

Ave Lola realizou os projetos: “Ave Lola Rumo ao Rio Negro” vencedor do prêmio Myriam Muniz da Funarte, e o “Brasil Fronteiras do Norte” patrocinado pela Petrobras, ambos executados em 2015. Por meio destes projetos, a trupe conseguiu levar o teatro para as comunidades ribeirinhas da região norte do país, percorrendo em apenas três meses aproximadamente 7.000 km entre sete cidades, abrangendo mais de 20 comunidades ribeirinhas.

Desde quinta-feira no Guairinha, onde pisa pela primeira vez, Ave Lola encena até domingo a peça Manaós, cujo título se completa com A Pequena Abelha e a Árvore Alta.  Para este projeto, teve apoio do Sesi Cultura Paraná. “Queremos também que os curitibanos que gostam, que são acostumados a consumir teatro, arte e cultura nos espaços mais tradicionais conheçam o trabalho que estamos desenvolvendo. Queremos que o público saiba que ele é importante”, observa Ana Rosa.

A produção é esmerada, desde a história ambientada na Manaus de 1911à presença dos músicos Breno Monte Serrat e Arthur de Lima Jaime, sob direção do músico francês Jean Jacques Lemêtre, artista do Theatre Du Soleil.   O espetáculo dá continuidade à pesquisa poética do grupo, levando à cena um universo fantástico, tendo por base o conto Pequena-abelha, a irmã de Árvore-alta, da escritora acreana Jamilssa Melo, e a obra do cineasta Hayao Miyazaki. A história, que acontece na época áurea do ciclo da borracha, é centrada em três mulheres de povos distintos,  desafiadas a enfrentar os medos e as ameaças de uma dura realidade.

Imperdível: Guairinha às 20h30 e no domingo às 19h. Quem comprar dois ingressos diretamente na bilheteria do teatro  paga R$ 25,00 cada. Neste combo, o ingresso sai mais barato do que a meia-entrada. O preço individual válido para as compras pela internet é de R$60 (inteira) e R$30 (meia entrada).

Ficha Técnica

TEXTO E DIREÇÃO: Ana Rosa Genari Tezza

DIREÇÃO MUSICAL: Jean Jacques Lemêtre

DRAMATURGIA: A Trupe

ASSISTENTE DE DIREÇÃO: Giovana de Liz

ELENCO: Ailén Roberto, Ana Rosa Genari Tezza, Caro Hampf / Manuella Prestes, Cesar Mathew, Eduardo Giacomini, Helena Tezza, Regina Bastos

MÚSICOS: Arthur Jaime, Breno Monte Serrat

ILUMINAÇÃO: Beto Bruel e Rodrigo Ziolkowski

FIGURINO: Eduardo Giacomini

ASSISTENTE DE FIGURINO: Helena Tezza

ESTAMPAS, FIGURINO E CENÁRIO: Sandra Hiromoto

PLÁSTICA DO PERSONAGEM: Maria Adélia e Trupe

CENOGRAFIA E ADEREÇOS DE CENÁRIO: Fernando Marés

ADEREÇOS DE CENA: Eduardo Santos

PRODUÇÃO: Dara Van Doorn, Larissa de Lima e Laura Tezza

APOIO LOCAL:  Blanche, Sweet Storage, Torriton, Clube Da Alice, Casa Das Bolachas, Tuk Tuk, Celestiale, Sushi Zen, Al Beirut, Santo Dolce, Tamanduá.

PARCERIA:  Lofra, Sesi Cultura Paraná

PRODUÇÃO: Entremundos

REALIZAÇÃO: Ave Lola e as Meninas Produções Artísticas LTDA