Daqui não saio

486

O secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, confirmou ter recebido convites para assumir o mesmo cargo em outros estados. Ele não relevou nomes, mas especula-se que teria sido sondado por Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, que recentemente decretaram situação de calamidade financeira. “Meu trabalho aqui [no Paraná] ainda não foi concluído por conta da crise econômica pela qual passa o país e que, a todo o momento, exige um ajuste fino das contas. Não costumo sair sem a conclusão do trabalho”.   O último empréstimo a que o Paraná teve o acesso autorizado pela União data de julho de 2014, às vésperas da eleição estadual. Vencida pelo governador Beto Richa no primeiro turno, a disputa teve a campanha marcada por acusações do tucano de que o governo federal – à época comandado pelo PT – boicotava e perseguia o Paraná.

Gleisi boicotava
A orientação para o boicote ao Paraná partia da senadora petista Gleisi Hoffmann, que acabou derrotada na briga para assumir o Palácio Iguaçu – acusação sempre negada pela parlamentar. Um dos empréstimos, por exemplo, de R$ 817 milhões do Programa de Apoio ao Investimento de Estados e do Distrito Federal (Proinveste), só foi liberado por decisão liminar do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segurança
O delegado da Polícia Federal, Wagner Mesquita, secretário de Segurança Pública do Paraná, vai participar no próximo dia 17, em Brasília, de encontro do ministro da Justiça, Alexandre Moraes, com os secretários estaduais de segurança. Na pauta, a situação dos presídios nos estados, a criação dos núcleos de inteligência e a execução dos recursos do Fupen (fundo penitenciário nacional).

O fim da esquerda
A esquerda está acabando na América Latina. A BBC entrevistou a diretora da Latinobarómetro. Ela disse: “Sim, vamos da esquerda para o outro lado”. Depois das derrotas na Argentina, no Peru e no Brasil, em 2016, as pesquisas mostram que a esquerda pode ser derrotada também no Equador, no Chile e em Honduras, em 2017.

Richa espera aval
O governador Beto Richa vai assinar junto ao BID empréstimo de R$ 215,4 milhões – somados a contrapartida de R$ 134,6 milhões do Estado – que serão investidos na segurança pública de Curitiba, região metropolitana e municípios da tríplice fronteira. Ainda para o primeiro e segundo semestres de 2017, Richa espera o aval da Secretaria Tesouro Nacional para financiar mais R$ 1,5 bilhão, que somados às contrapartidas serão mais de R$ 2 bilhões em obras nas cidades paranaenses.

Mais polícia
Dos 2.736 policiais militares que passam a integrar nesta semana os batalhões da PM do Paraná, 800 vão atuar nas regiões de Londrina (norte) e de Maringá (noroeste) a partir desta terça-feira, 10. Pela manhã, às 8h45 no Ginásio Moringão em Londrina, o governador Beto Richa participa da formatura de 394 soldados e 33 bombeiros. Á tarde, a partir das 14h30 no Ginásio Chico Neto em Maringá, Richa participa da formatura da turma “Sentinelas do Noroeste do Paraná” formada por 373 soldados e bombeiros que vão atender as cidades do noroeste do Estado.

Novo deputado
O ex-prefeito de São Jorge D´Oeste, Luís Raimundo Corti, assumiu na manhã de ontem, no gabinete da Presidência, o mandato de deputado estadual na vaga deixada pelo deputado Leonaldo Paranhos (PSC) na Assembleia Legislativa do Paraná. Paranhos deixa o Legislativo estadual após ser eleito prefeito de Cascavel. Corti foi candidato a deputado estadual pelo PSC nas eleições gerais de 2014 e obteve 20.495 votos, ficando como terceiro suplente. Como os dois primeiros, Toninho da Farmácia e Berto Sila, foram eleitos prefeitos dos municípios de São José dos Pinhais e Laranjeiras do Sul, respectivamente, Corti herdou a vaga da coligação.

Greca melhora
A saúde do prefeito Rafael Greca melhorou. A respiração alcançou nível normal e evolução positiva levou a equipe médica a dar alta hospitalar. O médico José Eduardo Marchesini e o prefeito atenderão a imprensa no Hospital Marcelino Champagnat.

Socorro
A governadora de Roraima, Suely Campos (PP), pediu socorro ao presidente Michel Temer (PMDB). Nesta segunda-feira, 9, ela enviou uma petição de duas páginas ao peemedebista e ao ministro da Justiça Alexandre de Moraes, solicitando dinheiro e homens da Força Nacional de Segurança.

Mais três
Na sexta foram massacrados 33 prisioneiros na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista.

Caiado presidente
Assim que voltar do recesso, Onyx Lorenzoni começará a trabalhar para botar de pé a candidatura de Ronaldo Caiado à presidência da República. Numa conversa no final do ano, o próprio Caiado autorizou o colega a dar início à correria. No primeiro momento, Onyx vai convocar uma reunião da Executiva Nacional e sair em busca de apoios. As informações são de Gabriel Mascarenhas na Veja.

Em causa própria
O ok de Caiado tem alto valor para Onyx. O deputado pretende disputar o governo de seu estado, Rio Grande do Sul. E o sonho de qualquer candidato a cargo Executivo é ter um aliado na briga pelo Palácio do Planalto para dar musculatura aos correligionários.

Presídio federal
O presidente Michel Temer (PMDB) anunciou na manhã desta segunda-feira, 9, que um dos cinco presídios federais que serão construídos no País – um por região – deverá ser no Rio Grande do Sul. Temer manifestou essa intenção ao governador do Estado, José Ivo Sartori (PMDB), durante a entrega de ambulâncias a 340 municípios brasileiros em evento realizado em Esteio, na região metropolitana de Porto Alegre.

Siga o dinheiro
O problema dos presídios deixou de ser de segurança pública para se transformar, em uma semana, numa ameaça à segurança nacional. Esta foi a conclusão que dois ministros envolvidos com a crise enunciaram à coluna ao longo dos últimos dias. O combate à guerra de facções não é simples nem imediato, por vários fatores: depende de uma atuação conjunta com os Estados, esbarra na falta de recursos, necessita de colaboração dos países vizinhos produtores de drogas.

Partidos?
A Operação Lava Jato expôs em doses inéditas as mazelas dos partidos políticos nacionais. Aos olhos da população não chega a ser uma novidade o envolvimento das legendas com a corrupção, mas as revelações da Lava Jato mostraram outro patamar de participação de lideranças partidárias no crime. Naturalmente, essas descobertas contribuíram para piorar ainda mais a imagem – já bem desgastada – dos partidos políticos.

Vitória atleticana
Um decreto assinado pelo então prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, no dia 21 de dezembro do ano passado, fará com que a CAP S/A – sociedade de propósito específico criada para gerir as obras da Arena da Baixada – consiga quitar sua dívida com a Agência de Fomento do Paraná e que, inclusive, está em execução. De acordo com o decreto número 1.342, que a Tribuna teve acesso com exclusividade, a prefeitura de Curitiba transfere parte dos títulos de potencial construtivo ao Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE), ligado a Fomento Paraná, para a comercialização.

A conta da pirataria
A Associação Brasileira de Combate à Falsificação estima que o país perde R$ 120 bilhões por ano em arrecadação de impostos e faturamento de empresas com todo tipo de produtos falsificados. O cigarro contrabandeado contribui com a maior perda: R$ 4,5 bilhões. Em seguida, vem o setor de autopeças, com R$ 3 bilhões; e bebidas, R$ 2 bilhões.

Que futuro nos aguarda
Um prodígio, o presidente Michel Temer e seu time de auxiliares. Empenhados em marcar distância de mais uma erupção da bestial violência que há décadas abala o apodrecido sistema carcerário brasileiro, eles conseguiram com espantosa facilidade justamente o contrário. Ninguém de bom senso ligaria o governo atual ao que aconteceu no Amazonas e em Roraima. Então o governo meteu com gosto o dedo na tomada.

Auditoria no MEC
Paga para ver O Ministério da Educação vai contratar uma auditoria externa para avaliar a eficiência e os gastos de programas da pasta. Estão na mira a Universidade Aberta do Brasil, o Programa de Bolsas de Iniciação à Docência e o Projovem, que dá auxílio financeiro para que pessoas de 18 a 29 anos concluam o ensino fundamental. O ministério estima que as ações que passarão pela reavaliação consumam cerca de R$ 1 bilhão por ano. A ideia é ver se o custo delas compensa o retorno obtido.

Menos cargos
O governo Michel Temer (PMDB) anunciou a conclusão de sua reforma administrativa, cuja inovação mais relevante é restringir o uso de cargos de livre nomeação do Executivo como moeda de troca nas negociações políticas. Até o final do ano passado, a administração federal dispunha de algo em torno de 24 mil postos dessa modalidade. De acordo com um decreto presidencial recém-editado, 3.000 deles serão extintos de janeiro a julho deste ano.

Sarney vai
José Sarney integra comitiva de Michel Temer que irá ao funeral de Mario Soares, marcado para amanhã, em Lisboa. Gilmar Mendes também.

Um delator em NY
Luiz Navarro, ex-secretário-executivo da CGU, para quem Marcelo Odebrecht pediu a Antonio Palocci “mais espaços” no governo, vem a ser primo de Claudio Melo Filho, o lobista da Odebrecht que estremeceu meio mundo com sua delação. Melo Filho, aliás, curtiu com a família Nova York na semana passada.

Alckmin com Maia
Geraldo Alckmin recebe nos próximos dias os dois mais fortes candidatos a Presidência da Câmara em audiência — na quinta-feira, Jovair Arantes, e na segunda-feira que vem, Rodrigo Maia. Mas que ninguém se engane. Alckmin não está indeciso. Resolveu apostar suas fichas em Rodrigo Maia. Aliás, na segunda-feira receberá Maia ao lado de João Doria.

De olho
Eliseu Padilha continua interessado no destino da encrencada Geap, a operadora de planos de saúde dos servidores federais. Recentemente, despachou com o ministro Napoleão Nunes Maia, do STJ, sobre o assunto. (Atualização, às 15h56: o ministro Padilha ligou para negar o conteúdo da nota acima)

Na cadeira, não
Rodrigo Maia está chegando daqui a pouco a Brasília para assumir interinamente a Presidência da República. Fica até amanhã, quando Temer volta de Lisboa.

Liderança absoluta
O ranking da consultoria Crowley com as músicas mais executadas nas rádios brasileiras na primeira semana do ano mostra que os sertanejos começaram 2017 como terminaram 2016: no topo. As 16 canções mais executadas são sertanejas. A líder é “Eu sei de cor”, com Marília Mendonça. É uma espécie de vitória do mau gosto, mas o que fazer?

A conta da pirataria
A Associação Brasileira de Combate à Falsificação (ABCF) estima que o país perde R$ 120 bilhões por ano em arrecadação de impostos e faturamento de empresas com todo tipo de produtos falsificados. O cigarro contrabandeado contribui com a maior perda: R$ 4,5 bilhões. Em seguida, vem o setor de autopeças, com R$ 3 bilhões; e bebidas, R$ 2 bilhões.

Pode?
Paulo Coelho é escolhido pela Fundação Einstein como um dos 100 maiores pensadores do nosso tempo. Ele é o novo “Visionário” da Fundação Albert Einstein. A honraria também premia Shimon Peres, Alice Munro e outros dez ganhadores.

Ministério da Chacina
Esse Bruno Júlio, demitido da Secretaria da Juventude nas últimas horas de sexta-feira, depois de pedir outra chacina, mostra mais uma vez como é estelar parte do time formado por Michel Temer para governar o Brasil.

Fato positivo
O Palácio do Planalto está suando para encontrar uma agenda positiva para Temer neste começo de ano. Quando não são os ministros das pastas com potencial de boas notícias que estão de férias, é a pasmaceira da burocracia estatal em janeiro que emperra tudo.

Odebrecht só em vídeo
Todos os 980 depoimentos colhidos na delação da Odebrecht pelos cerca de 100 procuradores do Ministério Público Federal no fim do ano passado foram entregues em vídeo a Teori Zavascki. O material só será transcrito pela PGR depois da homologação, quando forem pedidos inquéritos a partir de cada fato a ser investigado.

Chapecoense na Netflix
A Boutique Filmes, responsável pela primeira produção original da Netflix no Brasil, “3%”, está negociando com a diretoria da Chapecoense a realização de uma série sobre o clube. A ideia é que também seja exibida pela Netflix. Aliás, um documentário sobre a Chape já está sendo filmado pela Fox, que perdeu seis jornalistas na tragédia. A equipe da emissora está em Chapecó (SC).

Juros a 10%
A previsão para os juros ao final do ano continua caindo. Entre os especialistas que mais acertam no Focus, o Top 5 de curto prazo, a mediana chegou a 10%, recuo de 0,25 ponto. Na reunião desta semana do Copom, todos esperam um corte na Selic, só há dúvida sobre o tamanho dele. A taxa está atualmente em 13,75%. A maioria acredita em recuo de 0,5 ponto. Mas nos últimos dias alguns especialistas passaram a considerar um corte maior, de 0,75 ponto. Eles levam em conta que os dados da atividade estão piores que o esperado e que a inflação deve chegar ao centro da meta de 4,5% em meados de 2017.

Crescimento fraco
No levantamento geral do Focus, a mediana para os juros ao final de 2017 ficou em 10,25%. A estimativa para o IPCA caiu de novo e agora está em 4,81%. A projeção para o crescimento da economia continua fraca, em 0,5%. Há alguns meses, a mediana para o PIB estava na casa do 1%.