Curso da Polícia Científica teve simulação de desastres em massa

439
Foto: SESP

A Polícia Científica do Paraná realizou na ultima semana, no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, um simulado para avaliação das práticas abordadas no curso de Perícia em Local de Desastres em Massa – Identificação de Vítimas de Desastres (DVI). A aula em campo contou com o apoio da Infraero e do grupo Tigre da Polícia Civil.

Participaram da capacitação 52 profissionais, entre médicos legistas, auxiliares de necropsia, odontoperitos, papiloscopistas, integrantes da Força Nacional e peritos criminais que atuam em locais de morte, além de pessoas que trabalham diretamente com os familiares das vítimas, como assistentes sociais.

Para o diretor da Polícia Científica, Luiz Rodrigo Grochocki, a instrução é essencial para que os peritos estejam cada vez mais preparados para situações de grandes desastres. “É muito importante para os servidores terem a vivência de uma situação de grandes desastres por meio de um simulado. Foi feita toda a parte de identificação de vítimas em grandes desastres e coletas de vestígios”, disse.

O Paraná é o único estado a ter uma comissão permanente de DVI que segue integralmente o protocolo da Interpol e afirmou que a prioridade do trabalho é fornecer um melhor atendimento à população.