7º Fórum Paranaense de Mobilidade Urbana, no Salão de Atos do Parque Barigui. Na imagem, palestra Anna Rosa Ruzyk. Foto: Lucilia Guimarães/SMCS

Curitiba teve menos mortes em acidentes de trânsito no ano de 2018, na comparação com o ano anterior. A redução foi de 6,7%, de 166 mortes em 2018 para 178 em 2017.

Entre as vítimas de acidentes de trânsito no ano passado, os casos mais frequentes foram de ocupantes de motocicletas (61 mortes), pedestres (49), ocupantes de automóvel (34), ciclistas (17) e ocupantes de caminhão (3) e de ônibus (2).

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (31/5) e fazem parte do relatório anual do Programa Vida no Trânsito (PVT). Aqui a pesquisa completa.

A apresentação do relatório foi feita por Anna Rosa Rissatto Ruzyk, da coordenação do Programa Vida no Trânsito, e fez parte da programação do 7º Fórum Paranaense de Mobilidade Urbana, no Salão de Atos do Parque Barigui. A ação também marca o encerramento do Maio Amarelo, mês de alerta sobre a segurança no trânsito.

Álcool e alta velocidade

De acordo com o relatório, em 2018 foram registrados 162 acidentes na cidade, com 166 mortes. Dirigir após beber e em alta velocidade foram as principais causas dos acidentes com vítimas fatais. Quanto às condutas, o desrespeito à sinalização foi o que causou o maior número de acidentes com óbitos.

“Com a análise desses dados conseguimos planejar ações integradas mais efetivas para tentar diminuir os casos de acidentes com mortes”, explicou Anna Rosa.

Exemplos de ações implantadas com base nos relatórios são o projeto Boa Prosa sobre Trânsito, que envolve a FAS e promove palestras com idosos; os semáforos especiais de pedestres com tempo aumentado para travessia de idosos e pessoas com baixa mobilidade, ação implantada pela Setran; e as blitze direcionadas para inibir a conduta de álcool e direção e voltadas a motociclistas.