O Fundo Rotativo pode ser utilizado para a compra de materiais de limpeza, escritório e serviços rotineiros, como troca de vidros e pequenos reparos. Foto: Luiz Costa/SMCS

A educação curitibana recebe esta semana R$ 4,6 milhões. A maior parte – R$ 3,2 milhões – é depositada pela Prefeitura de Curitiba nas contas bancárias das escolas, Centros Municipais de Atendimento Infantil (CMEIs) e Centros Municipais de Atendimento Educacional Especializado (CMAEEs).

O dinheiro é a terceira parcela deste ano do programa Fundo Rotativo, referente aos meses de junho e julho. Os outros R$ 1,4 milhão são do Programa Dinheiro Direto na Escola, o PDDE Básico, do governo federal.

Os valores do Fundo Rotativo podem ser utilizados para a compra de materiais de limpeza, escritório e serviços rotineiros, como troca de vidros e pequenos reparos. O dinheiro é liberado diretamente para cada unidade, conforme o número de estudantes.

“Dessa maneira é mais fácil e rápido fazer compras e contratar serviços, o que garante uma administração eficiente e transparente”, explicou o superintendente Executivo da Secretaria Municipal da Educação, Oséias Santos de Oliveira.

Já os valores do PDDE devem ser aplicados conforme os planos previamente definidos pelas unidades.

No total, o valor depositado ao longo do ano passado por meio do Fundo Rotativo, de R$ 15,9 milhões, foi superior ao de 2017, quando a Prefeitura de Curitiba repassou às escolas R$ 12,8 milhões.

Os dados estão no site www.cidadedoconhecimento.org.br da Secretaria Municipal da Educação. Para acessar as informações, basta entrar no site e clicar no link Recursos Descentralizados, do lado esquerdo baixo da página.