O Centro Europeu pretende repetir periodicamente o evento Break Enogastronômico, cuja primeira edição, na terça-feira 20, em sua sede Gourmet (alameda Princesa Isabel, 1300), foi bastante movimentada, com aula-show do chef Bruno Stippe

 


Chef Bruno Stippo: simplicidade deve ser a base da boa gastronomia

O Centro Europeu pretende repetir periodicamente o evento Break Enogastronômico, cuja primeira edição, na terça-feira 20, em sua sede Gourmet (alameda Princesa Isabel, 1300), foi bastante movimentada, com aula-show do chef Bruno Stippe, dono da Cantina C Q Sabe, de São Paulo, para convidados especiais e degustação de vinhos italianos harmonizados com pratos italianos preparados à vista da platéia.

Bruno, com 26 anos como profissional e integrante de gerações de cozinheiros iniciada pelo trisavô, acumula também as funções de presidente da FIC Brasile (Federação Italiana de Cozinheiros do Brasil), vice-presidente da Aregala ((Associação de Restauradores Gastronômicos das Américas), representante da Italian Food Style Education e apresentador de programas semanais de gastronomia em várias emissoras de TV e pela internet.

Adepto da cozinha italiana simples – reserva pratos insólitos apenas para concursos e é campeão mundial em um deles -, Bruno Stippe destaca que a Itália garante sua marca de qualidade em um tripé formado pela arte, pelo design e pela gastronomia e que a elaboração dos pratos exige sempre uma boa dose de paixão. “A simplicidade confere alma e cor à gastronomia”, com a opção pelos produtos naturais da terra e do mar.

Na degustação, rodelas de berinjela recheadas com ricota, parmesão ralado e molho de tomate

Em palestra pontuada pelo bom humor, o chef foi distribuindo informações a respeito dos pratos que elaborava – entrada de beringelas, spaghetti com lulas e funghi e um peixe com abobrinhas. Ofereceu dicas importantes sobre azeites, tomates e a importância da massa de “grano duro”, entre outros. E disse que a alta gastronomia pode também ser encontrada em um simples boteco.

A escolha dos vinhos ficou por conta do sommelier André Porto, que escolheu um prosecco para acompanhar a entrada, um branco para a massa e ousou com acerto com um tinto leve para harmonizar com o peixe. Porto é formado em importantes instituições da vinicultura mundial. Na plateia, o presidente da Aregala Brasil e vice da internacional, Celso dos Santos Silva, que foi professor de Bruno.