O economista Murilo Resende Ferreira ficou na coordenação do Enem por 24 horas

A passagem do economista Murilo Resende Ferreira como diretor de Avaliação da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e coordenador do Enem foi meteórica. Na noite da última quarta-feira, Ferreira foi nomeado em edição extraordinária do Diário Oficial pelo ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil. Já na noite de quinta-feira, em nova edição extraordinária do Diário Oficial, foi publicada outra portaria, tornando “sem efeito” a nomeação do economista. A indicação de Murilo Resende Ferreira causou muita polêmica, primeiro pelo fato de ele não ter experiência nenhuma com educação e depois pelas declarações, tornadas públicas, de que “os professores brasileiros são manipuladores e não querem estudar”. As entidades ligadas à educação viam a nomeação de Ferreira como uma doutrinação do Enem. Não foi escolhido o novo coordenador do Enem. Ferreira não ficou sem cargo. Ele será assessor da Secretaria de Educação Superior.