A inflação na cidade de São Paulo atingiu 0,48% na terceira prévia de agosto, ante 0,43% registrado na semana anterior, segundo levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

A inflação na cidade de São Paulo atingiu 0,48% na terceira prévia de agosto, ante 0,43% registrado na semana anterior, segundo levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Foi a segunda maior elevação do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) no ano. Até então, o índice mais alto havia sido registrado na primeira prévia de fevereiro (0,49%).

A principal razão para essa alta foi a tarifa de energia elétrica que subiu, no período, 9,12%. Essa despesa fez o grupo habitação passar de uma alta de 0,94% para 1,19%, resultando em uma contribuição de 81% na composição do IPC. Também houve aumento no ritmo de reajuste de despesas pessoais (de 0,09% para 0,15%). O grupo vestuário, após seis semanas de deflação, voltou a apresentar variação positiva, de 0,06%.

O grupo alimentação, que tem peso expressivo na formação do IPC, apresentou alta de 0,20%, um pouco abaixo da anterior (0,26%). Entre os itens alimentícios, os produtos in natura lideraram os aumentos com 4,47% na média.

Além dos alimentos em geral, foram apurados reajustes em índices inferiores aos da pesquisa anterior nos seguintes grupos: transportes, com -0,01% ante 0,10%; saúde, com 0,33% ante 0,49%; e educação, com 0,05% ante 0,06%.