A médica veterinária e proprietária do Hospital Veterinário Pró Vita, de Curitiba (bairro Vista Alegre), Rhéa Cassuli Lima dos Santos, dá conselhos importantes para quem vai viajar levando seu animal de estimação. Ela é especialista em Endocrinologia e Metabologia de Cães e Gatos pela Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais de São Paulo. Além das vacinas em dia e da alimentação saudável, é importante observar esses itens:

• Não deixe o animal desidratado. A água deve estar sempre fresquinha;

• Se o destino for a praia, cuidado com a areia: os bichinhos costumam pegar bastante bicho de pé;

• Na bagagem do animal, além da água fresca, leve um tapete higiênico, que é absorvente e ajuda a manter o ambiente livre de odores de fezes e urina.

• Nas viagens de carro, é recomendável fazer paradas de três em três horas, em média. Deixe o cãozinho andar um pouco, fazer xixi, e tomar água.

• Não se esqueça do antipulgas. As aplicações têm por objetivo reduzir a infestação por ectoparasitas e evitam as doenças que pulgas, carrapatos e outros ectoparasitas podem transmitir para o animal e para o ser humano. A recomendação é que as aplicações sejam feitas mensalmente e de forma regular para evitar nova infestação por ovos que ainda permaneçam no ambiente.

• Cuidado com o transporte do animal no carro. Ele deve ser feito sempre no banco de trás, dentro de uma caixa especial de transporte, ou cinto especial para cães. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, transportar animais em caçambas ou com parte do corpo para fora da janela é infração grave e o condutor perde cinco pontos na carteira, além de pagar uma multa de R$ 127,69. Caso o animal esteja entre os braços ou as pernas do motorista, a multa é de R$ 85,13, além da perda de quatro pontos na carteira de habilitação.

• Nas viagens de avião, não é necessário preencher a Guia de Trânsito Animal (GTA) para cães e gatos, mas é necessário apresentar o atestado de saúde animal, emitido por um veterinário inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária. Geralmente o transporte é feito em caixas de fibra de vidro ou caixa plástica. As vacinas também precisam estar em dia! Certas companhias aéreas aceitam cães com até 10kg dentro do avião. Também é preciso verificar o valor especial da passagem para o transporte do animal. E a partir de fevereiro de 2014, em viagens internacionais, cães e gatos poderão viajar com um passaporte brasileiro.

• Evite medicação sem orientação do médico veterinário.