O ICI (Índice de Confiança da Indústria), apurado pela FGV (Fundação Getulio Vargas), teve alta de 1,2% em fevereiro em relação a janeiro, passando de 113,7 para 115,1 pontos.

O ICI (Índice de Confiança da Indústria), apurado pela FGV (Fundação Getulio Vargas), teve alta de 1,2% em fevereiro em relação a janeiro, passando de 113,7 para 115,1 pontos, segundo dados divulgados na sexta-feira.

No mês passado em relação a dezembro o índice havia registrado queda de 2,1%, para 113,6 pontos. O índice, no entanto, é inferior ao registrado na mesma comparação com o período de janeiro a fevereiro do ano passado, 5,7%.

Na comparação com fevereiro do ano passado, o ICI deste mês registrou crescimento de 4,1% – índice, no entanto, também inferior ao de janeiro deste ano em comparação ao de janeiro do ano passado, quando o avanço havia sido de 8,7%.

"O resultado geral da pesquisa mostra que a indústria continua aquecida no primeiro trimestre de 2008, mas num ritmo menos intenso do que o do segundo semestre de 2007", diz a FGV em comunicado. "As expectativas para os próximos meses continuam favoráveis, sinalizando continuidade do crescimento no trimestre fevereiro-abril e sustentação do otimismo com a situação dos negócios no horizonte de seis meses."

Os estoques industriais "caminham para uma situação de normalidade", informou a FGV. A parcela de empresas que apontam estar com estoques insuficientes (sinal de aquecimento) ficou em 9% janeiro e fevereiro. Já a proporção das que afirmam estar com estoques excessivos aumentou de 6% para 9% – maior índice desde outubro de 2006 (11%).

As previsões relativas à contratação de mão-de-obra continuam favoráveis. Das 1.042 empresas consultadas, 28% prevêem aumento do contingente empregado nos próximos três meses, enquanto 17% prevêem uma redução – em fevereiro de 2007, as proporções eram de 22% e 18% respectivamente.