O volume de vendas do comércio no país aumentou 9,6% em 2007 em relação ao ano anterior – a maior alta desde 2001, segundo a Serasa.

As vendas das lojas do varejo especializado cresceram 12,3% no ano passado e as dos hipermercados, supermercados e do varejo de alimentos e bebidas (mercearias, açougues, quitandas, distribuidoras de bebidas etc.) subiram 6,6% no período.

Na comparação de dezembro de 2007 contra igual mês em 2006, as vendas subiram 8,6%. O volume de vendas do varejo especializado registrou elevação de 12,1% e o dos hipermercados, supermercados e do varejo de alimentos e bebidas aumentou 5,2%. A inflação de vários produtos básicos prejudicou a performance deste último, segundo a entidade, que consulta 6.000 empresas em todo o país para o levantamento.

Para os técnicos da Serasa, de uma maneira geral, o desempenho do comércio em 2007 foi beneficiado pelo crédito e pelo estabelecimento de prazos mais longos para pagamento. "Isto pode ser comprovado pelo desempenho do varejo especializado, que é caracterizado por produtos de maior valor agregado e, portanto, dependente de financiamento", aponta a entidade, destacando as vendas recordes de automóveis e as condições de pagamento oferecidas pelo segmento.

O aumento da massa salarial e do emprego formal (com carteira assinada) e a inadimplência praticamente estabilizada também foram determinantes para o crescimento do crédito e do comércio, segundo a entidade. "Aliados a esses aspectos estão o real valorizado, que estimulou a demanda por importados, inclusive no comércio de alimentos, e a queda das taxas de juros", divulgou a Serasa