Cinema:Aquaman

2930

De calça jeans apta a mergulhos abissais, tatuagens inebriantes, tubarões-tanques de guerra perfilados e ritmo de aventura e romance borbulhante, eis Aquaman deixando os quadrinhos para sua entrada triunfal no cinema. O personagem é vivido por um não-ator (Jason Momoa), mas com Nicole Kidman e Willem Dafoe na figuração e uma boa direção com referências inteligentes (James Wan). Vale ver, ainda mais se for em uma big tela, como do Imax.

A lenda de Atlanta, o mito Netuno, o conto do italiano Pinóquio, os vilões sempre tão necessários no universo dos super-heróis, romance entre reis e princesas e o cenário estupendo fazem de Aquaman um bom programa para adeptos do gênero DC Comics. O vilão Arraia Negra (Yahya Abdul-Mateen II), inimigo número 1 do herói, comparece no início do filme e não deixe a sala durante os créditos porque, ah, pois é, fique e confira.

Mas, para além da fantasia, há um recado aos espectadores nesses tempos de devastação da natureza, de xenofobia e de preconceitos de toda ordem: a poluição dos mares pode causar uma guerra e os mestiços merecem respeito dos arianos de sangue-puro. E o amor, ah o amor, encurta distância entre os diferentes.