Sequência da história vivida por personagens feitos de pecinhas plásticas que moram numa caixa e têm por donos dois irmãos, Uma Aventura Lego 2, com direção de Mike Mitchell, que dirigiu o primeiro Trolls, chega às telas após o roteiro passar por três versões. As primeiras cenas remetem ao caos do clássico Mad Max e as demais prosseguem, principalmente nos diálogos, com referências ao cinema, séries e principalmente ao universo Marvel, vide a rivalidade entre Batman e Superman.

Essas referências garantem boas risadas (dos adultos). Afinal, a ideia é visar a criançada sem olvidar seus acompanhantes. O segundo filme surge cinco anos após a estreia da bem-humorada animação – para uns o primeiro é melhor, para outros, tanto faz. Vale a diversão.

Uma Aventura Lego 2, mantém o clima e faz a plateia ficar vendo os créditos enquanto é cativado pela trilha musical (de Mark Mothersbaugh). A animação vale-se de computação gráfica 3D e da simplicidade para cativar seu público infanto-adulto.