O Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba, que chega a sua 15ª edição em 2019, com mais de 60 filmes, acontece no charmoso Cine Passeio, neste fim de semana. O Curta 8 conta com cerca de 60 produções nacionais e de outros seis países. Na competição, eles disputarão os troféus de Super Filme Tomada Única, Super Filme Júri Popular e Super Filme do Festival.

Este ano, será homenageado o Duo Strangloscope, que receberá o troféu Super Schip. Esta honraria é entregue para figuras marcantes do cinema com passagens pelo superoitismo. O troféu foi criado em 2016, como lembrança e homenagem à memória do idealizador do festival Leandro Bossy Schip, que nos deixou repentinamente no início daquele ano. Integrado pelos catarinenses Cláudia Cárdenas e Rafael Schlichting, o Strangloscope iniciou suas atividades em 2002. Juntos, além de oficinas e cursos de cinema, os dois artistas realizam vídeos e filmes experimentais em Super 8 e 16mm.

Nesta edição do Curta 8, o Duo ministrará a oficina Cinema sem câmera e suas poéticas de reapropriação. De acordo com Cláudia Cárdenas, os participantes terão uma introdução às práticas da reapropriação e ao foundfootage, revisando as diferentes formas de intervenção sobre filmes analógicos de 16mm já filmados, utilizando algumas técnicas de cinema sem câmera. “O objetivo principal é transmitir conhecimentos diferentes de reapropriação de filmes, para que os interessados possam atualizar, expandir e diversificar as possibilidades de participação efetiva no campo audiovisual, criando suas próprias obras de animação de imagens”, explica Claudia.

Outros workshops são “História do Super 8 Paranaense”, ministrado pelo cineasta e historiador Flávio Rocha; e “Projeção de Cinema em Super 8”, que será conduzido pelo cineasta Lucas Vega, que desde a primeira edição do festival é o projecionista oficial do evento.

Mostras Paralelas

Além das mostras competitivas, há três mostras paralelas. A primeira será “Panorama Argentino – Processos Fílmicos Alternativos”, que tem curadoria dos cineastas Moira Lacowicz e Leonardo Zito. Segundo Moira, a dupla considera como processos fílmicos alternativos todos aqueles que, quando executados, priorizam um desenvolvimento pessoal e técnico específico, longe do resto. A cineasta esclarece que “os filmes que compõem esse programa se destacam e exibem o trabalho meticuloso do cinema artesanal. Um ato em que os processos manuais e a máquina se fundem, assim como as visões do autor e a técnica”.

Na mostra Panorama Global – 50 pés que abalaram o mundo, que tem curadoria do brasileiro radicado nos Estados Unidos, Ivan Cordeiro, será apresentado um recorte do que de melhor está sendo produzido nas Américas e na Europa. Em exibição filmes de importantes nomes do Super 8 mundial como o venezuelano/espanhol Ignácio Benedetti Corzo, o inglês Adrian Cousins e o americano John Cannizaro.

Já a mostra O Cinema Super 8 na UTFPR irá exibir filmes realizados pela Central de Produção de Filmes Didáticos da antiga Escola Técnica Federal do Paraná. Na década de 1970 a Escola foi um importante núcleo difusor do cinema Super 8 no Brasil. Para se ter uma ideia, entre 1975 e 1979, a instituição educacional organizou cinco edições de um dos mais importantes festivais de Super 8 do país na época.

Tomada Única

Uma das grandes atrações do festival, que sempre gera aflição entre os participantes e público, são os filmes em Tomada Única. Realizados com apenas um cartucho, eles são filmados na ordem narrativa do roteiro e não passam por edição posterior. Juntos, tanto público quanto realizadores assistirão aos filmes pela primeira vez na tela grande e com a trilha executada ao vivo durante a projeção.

Boa parte das películas em Tomada Única é fruto da oficina gratuita organizada pelo festival. Este ano, estarão em exibição os nove filmes produzidos a partir da oficina, além de vários outros de realizadores independentes. Vale salientar, que durante as sessões o público participa votando nos filmes que mais gostar em todas as mostras competitivas.

O público também poderá participar no domingo às 16 horas, quando acontece a já tradicional sessão do Dia do Filme Caseiro. No Home Movie Day são exibidos filmes pessoais, em super 8 e single 8, que os espectadores poderão trazer para avaliação técnica desde o primeiro dia do Curta 8. A ideia da sessão é apresentar um pouco de tudo: desde trabalhos de ficção autorais, até registros familiares.

 Sobre o Curta 8

Criado em 2005 por Leandro Schip, o festival cresceu rapidamente impulsionado pela paixão que ainda permanece pelo filme analógico. Ao longo dos anos, conseguiu parcerias fora do país, até se consolidar como evento mundial do gênero em 2008. Atualmente, o Curta 8 é uma das maiores iniciativas já realizadas no Brasil, um dos poucos festivais dedicados ao exclusivamente ao culto da bitola super 8 nas Américas, sendo o mais longevo realizado ininterruptamente no mundo.

Este ano  conta com os apoios da Fundação Cultural e da Prefeitura Municipal de Curitiba, do ICAC – Instituto Curitiba de Arte e Cultura, do Cine Passeio e da Rádio UNI FM; e ainda da Pro8mm e da Eye See Film, ambas dos EUA. O Festival é coordenado por Antonio Carlos Domingues, tendo curadoria de Fábio Allon nas mostras competitivas. A produção é de Adriano Esturilho, da Processo Multiartes. A programação completa do evento está disponível no site www.curta8.com.br

Agende-se: 8 a 10 de novembro de 2019, sendo sexta e sábado sessões às 18h e 20h. Domingo sessões às 16h, 18h e 20h. Consultar programação completa no site www.curta8.com.br

Local: Cine Passeio, Sala Valêncio Xavier  (Rua Riachuelo, 410). Entrada franca, sujeito a lotação do espaço (100 pessoas), Classificação etária: 16 anos.