“Chef” paranaense é premiado  no exterior

737

Eudemar Cavalcanti com o prato vencedor

O chef paranaense Eudemar Cavalcanti  foi o vencedor da 13ª edição do Worcester’s Best Chef Competition, competição que reúne chefs dos melhores restaurantes do estado de Massachussets, nos Estados Unidos. Ele representou a churrascaria Comeketo Brazilian Steakhouse, da cidade de Leominster, sendo o único brasileiro entre os 18 chefs da edição de 2020. O evento, que foi realizado no Mechanics Hall, em Worcester (MA), neste mês de janeiro, tem como objetivo difundir e valorizar a gastronomia da região.

O paranaense, que é chef executivo e consultor da churrascaria brasileira nos Estados Unidos, comenta essa conquista, como uma das principais de sua carreira, com mais de 25 anos de experiência em cozinha profissional. “É imensurável a alegria em vir para os Estados Unidos, disputar com renomados chefs do mundo todo e levarmos o caneco pra casa! Agradecemos a todos os que torceram pela gente.”

Proprietário e Chef de cozinha na empresa de eventos Eudemar Cavalcanti Gastronomia, possui graduação em Tecnologia em Gastronomia  e pós-graduação em Gestão da gastronomia pela Universidade Positivo. Especializou-se em Cozinha Mediterrânea em Le Roches International School of Hotel Management em Marbella – Espanha; capacitou-se na utilização dos equipamentos Electrolux Profissional – Pordenone – Itália; conta com formação técnica em Gastronomia no Grande Hotel São Pedro, Hotel Escola Senac em 1996.

Nova franquia da AD Clinic em Curitiba

Empreendedora Simeia Moreira  vai comandar a nova franquia da AD Clinic no Bairro Alto.

No próximo dia 5 de fevereiro será aberta uma nova franquia da AD Clinic que será localizada  Bairro Alto, região norte de Curitiba.  A nova loja na capital paranaense localizada na Rua Alberico Flores Bueno, 424, será comandada por Simeia Moreira, mãe e empreendedora de apenas 35 anos, que viu na AD Clinic uma oportunidade de ter seu negócio próprio, e também de ser inspiração para outras mulheres. “Sempre tive o sonho de ser dona do meu próprio nariz e sempre gostei muito de tratamentos estéticos. Quando descobri a marca, vi uma possibilidade de cuidar de mim, da minha família e, por que não, de outras mulheres. Quero poder fazer a diferença na vida das pessoas”, declara. Os serviços oferecidos vão desde depilação a laser, limpeza de pele, criolipólise, aplicação de botox, peeling químico e de diamante, e também pacotes específicos para combater a flacidez, eliminar as gordurinhas e ainda harmonização facial.

Tributação das criptomoedas

Sabrina Rui é advogada especializada em direito tributário e imobiliário

A advogada Sabrina Rui, especializada em direito tributário e imobiliário,  ao comentar a informação que  até o dia 30 de setembro, todas as pessoas físicas ou jurídicas precisarão informar à Receita Federal sobre as transações relativas à criptomoedas, disse que “todas as indicações estão no Ato Declaratório Cope nº5. Essas informações poderão ser enviadas pelo formulário online ou entrega de arquivo de dados”.

Através do Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte (e-CAC), as pessoas físicas, jurídicas as exchanges – como são chamados aqueles que oferecem serviços como custória, intermediação e negociação das criptomoedas -, é possível cumprir a decisão da Receita Federal.

As ferramentas, no Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte, poderão ser acessadas de forma prática, cumprindo dos seguintes passos: Comece acessando o e-CAC;Entrando na opção “cobrança e fiscalização”Clicando na especificidade “Obrigação Acessória – Formulários online e Arquivo de Dados”.

“É importante destacar que mesmo quem teve relação com os criptoativos fora do Brasil devem apresentar essas informações, se o valor referente a cada mês for maior que $30 mil”, relata a advogada. Não podem faltar dados como a data da operação, os titulares, a conversão do valor em reais e a quantidade de criptomoedas comercializadas.A incidência da entrega de informações também deve ser regular, seguindo as indicações, de forma mensal.

Curitiba sediará evento do setor elétrico

Fábio Amaral, diretor da Engerey Painéis Elétricos: “Entre os temas a serem apresentados estão as inovações em automação”

Curitiba foi confirmada como uma de quatro cidades brasileiras que sediarão em 2020 o Cinase – o principal evento do setor elétrico da América Latina e que reúne anualmente diversos estudantes e profissionais para debater temas atuais como energia solar, veículos elétricos e cuidados com as instalações para evitar mortes e acidentes. Marcado para os dias 06 e 07 de maio, o Cinase será realizado na FIEP e contará neste ano com o apoio das empresas Engerey Painéis Elétricos e Reymaster Materiais Elétricos.

“Entre os temas a serem apresentados estão as inovações em automação, sejam elas voltadas para máquinas e equipamentos na indústria, como também para controle de iluminação e economia de energia elétrica. Com a tecnologia que contamos atualmente é possível inclusive verificar avarias nas instalações elétricas e prever acidentes”, explica conta Fábio Amaral, diretor da Engerey Painéis Elétricos.

Venda digital de imóveis no Brasil

A MRV acaba de lançar uma plataforma de vendas digital totalmente inédita no mercado imobiliário. A nova ferramenta fornece ao cliente uma jornada de compra completamente online que envolve a escolha da unidade, simulação e aprovação do crédito, negociação da proposta e assinatura do contrato digital. A primeira venda totalmente online foi realizada no dia 23 de janeiro em Belo Horizonte.

Essa nova experiência desburocratiza o processo de aquisição de um apartamento, eliminando documentos e assinaturas físicas, além de barreiras logísticas que podem arrastar uma negociação por dias e até semanas. Com a plataforma digital, a MRV prevê que o fechamento do contrato do cliente com a companhia poderá ocorrer em apenas um dia.

Segundo o presidente Rafael Menin, o projeto vem sendo desenvolvido pela MRV há cerca de um ano e utiliza a metodologia ágil para construção de uma solução digital orientada pelo objetivo de simplificar drasticamente a conquista da casa própria. “Para este projeto, quase 100 pessoas de diferentes áreas foram envolvidas. A ferramenta combina diversas tecnologias, como chatbots, inteligência artificial, visão computacional e RPA (Robotic Process Automation), tudo em uma jornada com design moderno proporcionando aos nossos clientes uma experiência simples, fácil, empática e transparente”, explicou Menin.

 

Construção civil cresce 9,7% em Curitiba

Em julho do ano passado, de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, as contratações com carteira assinada nas obras superaram as demissões pela primeira vez em 33 meses.

No Paraná, os números são positivos em comparação a 2018. Um dos melhores índices está na região de Curitiba. Segundo o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), houve aumento no número de registros de serviços. Com base nas Anotações de Responsabilidade Técnica (ARTs), o Estado teve crescimento de 6,3% em todas as modalidades; na Regional de Curitiba, o aumento de ARTs na área de  engenharia civil foi de 9,7%. A ART é um documento legal que identifica o responsável técnico por um serviço prestado ou uma obra realizada e representa uma segurança para o contratante que com este documento sabe que o profissional é habilitado no Conselho Profissional.

O gerente da regional Curitiba do Crea-PR, engenheiro civil Maurício Luiz Bassani, o crescimento ainda está restrito a uma faixa específica de imóveis. “Os números mostram um aquecimento no setor de imóveis residenciais que pode ter sido provocado pela retomada de crédito tanto por parte de compradores – com novos planos de financiamento – como por parte das construtoras. Mas, com os dados que temos no Crea-PR, podemos dizer que esse aumento não está associado ao setor de obras públicas”, avalia o gerente, referindo-se ao número ainda discreto de solicitações de acervos técnicos. Esses documentos são um parecer do Crea-PR quanto ao número de ARTs emitidas por uma construtora – o que revela sua experiência de mercado – e são requeridos por empresas ao Conselho sempre que participam de uma licitação de obra pública.