Os presidentes de centrais sindicais de trabalhadores deixaram o gabinete do ministro da Previdência Social, no final da manhã desta quinta-feira, declarando-se "frustrados".

Os presidentes de centrais sindicais de trabalhadores deixaram o gabinete do ministro da Previdência Social, José Pimentel, no final da manhã desta quinta-feira, declarando-se "frustrados" porque ele não apresentou propostas alternativas para o fim do fator previdenciário – base de cálculo para as aposentadorias -, como reivindicam as entidades.

Eles reclamaram que não sentiram engajamento do ministro nas reivindicações apresentadas por eles.

Os sindicalistas vão discutir a proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata da questão com o relator, deputado Pepe Vargas (PT-RS), e com o líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS), além de outras lideranças.

O ministro José Pimentel afirmou que "o governo está agora aperfeiçoando os entendimentos firmados em dezembro de 2006, em que o salário mínimo, ponto de partida para o menor benefício pago pela Previdência Social, dá ganho real com base no Produto Interno Bruto (PIB), para aqueles que têm esse rendimento mínimo de aposentadoria".