LEONARDO VOLPATO
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Nervoso, explosivo e, definitivamente, um “turbilhão sexual sem controle”. É dessa forma que chega o personagem de Cauã Reymond, o Dante, na segunda e última temporada de “Ilha de Ferro”, que já está disponível para assinantes no Globoplay.
“Para não dar spoiler, o que garanto é que o Dante estará bem nervoso porque ele não está com a Júlia [Maria Casadevall], o irmão está preso e descobrirão o que rolou com a Leona [mulher dele, de Sophie Charlotte]. Ele estará dez tons acima do nervoso”, diz Cauã, que protagoniza a série.
Nesta temporada, Dante tem de lidar com a chegada de uma nova funcionária à empresa que deverá mexer com seus sentimentos. A psiquiatra Olívia (Mariana Ximenes) entra para ajudar alguns petroleiros, mas será a mente do líder da plataforma que ela vai mais mexer.
A trama promete muitas explosões, brigas, romances, perseguições e embates entre os petroleiros, tanto em terra quanto em alto-mar, quando embarcados na plataforma 137 de petróleo. Dante continua a ser um mulherengo indomável. Há apenas seis personagens mulheres na série, com exceção da filha pequena do protagonista.
Das seis, Dante até o fim dos capítulos terá se envolvido sexualmente com ao menos quatro delas. “Dante retorna para a nova leva de episódios ainda mais mulherengo”, diz o diretor artístico da série, Afonso Poyart.
“Ele se relaciona com algumas mulheres, quase todas [risos], e a gente brinca que ele é esse turbilhão sexual sem controle. Acho que o coração dele é da Júlia, mas enquanto ela não vibra na mesma frequência que ele, Dante vai passando o rodo e criando mais confusões”, diverte-se o diretor.
Além de mulherengo, ele continuará se metendo em enrascadas. Júlia voltará a conviver com ele na plataforma de petróleo, e as relações vão ficar exacerbadas para o bem e para o mal. O próprio Cauã diz que não tem como defender as atitudes intempestivas do personagem. “É uma obra de ficção. Dante toma atitudes muito erradas, passou por coisas difíceis, mas isso não é justificativa. A princípio, não o defendo.”
ESTREANTES A nova leva de episódios traz personagens estreantes, como a médica Olívia, o vilão e presidente da Federativa de petróleo, Diogo (Eriberto Leão), e Playboy (Erom Cordeiro), um bandido impiedoso que conhece o irmão de Dante, Bruno (Klebber Toledo), na prisão.
Também aparece na vida de Júlia o mergulhador de combate da Marinha Ramiro, interpretado pelo ator Romulo Estela. E será justamente Ramiro quem mais deverá chacoalhar a trama, sobretudo na parte amorosa, já que ele teria um envolvimento com Júlia, o que deve atrapalhar os planos de Dante com ela.
“Depois que Ramiro se envolve com ela, ele acredita que dessa relação surgirá algo para a vida toda, a construção de uma família que ele nunca teve, já que na infância ficou em um reformatório após cometer um crime. Júlia tem essa relação instável com Dante que virá à tona. Terão muitas idas e vindas, sim, além de brigas”, diz Romulo.
Ambos os personagens, o dele e o de Cauã Reymond, são bem diferentes. “Ramiro é diferente de Dante, porque tem mais autocontrole. Dante é o oposto, explosivo. Existirá, sim, uma rota de colisão entre os dois”, completa.
Para dar vida ao papel, Estrela conta que passou algumas semanas com a Marinha para aprender detalhes do dia a dia desses profissionais. “É um personagem distinto de todos os que eu já fiz. Isso me deixou instigado. E também para apresentar esses oficiais à sociedade porque são pessoas pouco conhecidas. Eles só entram em ação quando nenhum outro oficial consegue resolver algum problema.”
Ao redor de tudo isso, o público poderá ver a ação de Playboy (Cordeiro), um homem que da cadeia faz amizade com o irmão de Dante, Bruno (Toledo). No decorrer da trama, o público começa a perceber que esse cara tem uma relação muito próxima com o desenrolar dos fatos. “Todo mundo está prestes a explodir, igual à plataforma de petróleo”, diz o diretor.