Enólogo Alberto Guolo e o coordenador de produtos da Domno, Rafael Lumi

A par de ser relacionada por publicações especializadas internacionais entre as 50 melhores vinícolas do mundo para visitar – e a melhor do Chile com essa finalidade -, a Casas del Bosque é dona de um portfólio de rótulos que inclui as linhas Reserva, Gran Reserva, Pequena Produção e Reserva de Família, todos com grande aceitação nos mercados importadores.
No Brasil, os vinhos Casas del Bosque chegam através da Domno Importadora, empresa integrante do grupo gaúcho Famiglia Valduga, que promoveu em Curitiba um almoço harmonizado com seus produtos, apresentados pelo enólogo da vinícola, Alberto Guolo, e pelo coordenador de produtos da Domno, Rafael Lumi, com a participação da executiva de vendas Eliana Duarte.
Em um ambiente adequado – a adega da Porcini Trattoria – Alberto Guolo discorreu sobre cada um dos vinhos apresentados na ocasião: o Riesling Reserva, os Gran Reserva Sauvignon Blanc e Cabernet Sauvignon e o Late Harvest (colheita tardia) de sobremesa. A Casas del Bosque produz também um espumante chamado Bo.
Entre os ícones da vinícola estão o Gran Reserva Selection Red e o Gran Bosque e suas edições limitadas, além de um Pinot Noir também edição limitada. Através da Domno Importadora, a Casas del Bosque está com ação para ampliar a divulgação e as vendas de seus vinhos no Brasil.
O enólogo Alberto Guolo falou um pouco sobre a história da Casas del Bosque, fundada em 1993 pela família Cúneo, no Valle de Casablanca, a 70 quilômetros de Santiago do Chile e a 30 do porto de Valparaiso. O nome foi inspirado nos belos e antigos bosques da região. A produção chega a 1,2 milhão de garrafas/ano, exportadas a mais de 40 países. Em Curitiba, podem ser encontrados em casas especializadas como Adega Brasil Gourmet e Casa da França.