Um casal que aplicava golpes em famílias que buscavam a cidadania italiana foi preso na segunda (08) pela Polícia Civil em Curitiba. Os golpistas se passavam por advogados e funcionários do Consulado Italiano em Curitiba, e ofereciam facilidades no processo de reconhecimento de cidadania daquele país. As vítimas depositaram até R$ 12 mil para o casal, para pagar supostas despesas com taxas, cópias, traduções e certificações de documentos.
Os pedidos, porém, nunca foram sequer protocolados no consulado. Pelo menos três famílias foram vítimas do casal. A mulher se identificava como funcionária do consulado. Já o marido se apresentava como advogado. Eles diziam que o processo de concessão de cidadania era complexo, e que poderiam facilitar os trâmites pela suposta influência no consulado. O casal foi detido preventivamente pela polícia, e deve ser indiciado sob suspeita de estelionato e falsificação de documento.
O Consulado da Itália em Curitiba avisa que o processo de reconhecimento de cidadania italiana pode, de fato, demorar anos. De acordo com o órgão, a fila de espera não pode ser evitada e é muito extensa porque é composta por milhares de descendentes de famílias, de até quatro gerações. O processo de cidadania começa com a apresentação de um pedido assinado para entrar na lista de espera. A cada pedido, é atribuído um número. A lista de espera pode ser consultada no site do consulado. De seis em seis meses, o consulado convoca parte da fila para apresentar documentos.
Só então é que são exigidas cópias de documentos e o pagamento da taxa consular. A lista de espera e a convocação podem ser consultadas no site do Consulado Geral da Itália em Curitiba: conscuritiba.esteri.it.

Foto: Policia civil