O ex-presidente da Real Federação Espanhola de Futebol (Rfef) Ángel María Villar, preso neste mês em um escândalo de corrupção, renunciou a seus cargos na Fifa e na Uefa.

Villar era vice-presidente da entidade máxima do futebol mundial e membro do conselho diretivo da confederação europeia, onde estava havia 25 anos. Apesar disso, ele continua formalmente ligado à Rfef, embora tenha sido afastado de sua presidência.

O cartola de 67 anos foi preso no último dia 18 de julho, acusado de apropriação indébita e uso de documentos falsos na organização de partidas internacionais da seleção espanhola, cuja arrecadação teria beneficiado empresas de seu filho.